14/12/2010 11h31 - Atualizado em 14/07/2011 07h09

Máquinas de fax viram alvo de grupo pró-WikiLeaks

Rafael Silva
por
Do Tecnoblog

Apesar de terem suas contas no Twitter e Facebook canceladas pelas respectivas redes sociais, o grupo de cyberativistas a favor do WikiLeaks não parou de se organizar. O grupo passou a se encontrar nos canais de bate-papo do IRC, combinando novos ataques às empresas que forem de encontro com a organização criada por Julian Assange. E ontem, um novo alvo foi escolhido.

Por mais não ortodoxo que possa parecer, o grupo decidiu que era vez de atacar as máquinas de fax. Não as máquinas físicas em si, mas os números associados a elas. O que eles fizeram foi descobrir números de linhas de fax das mesmas empresas que cortaram as contas de doações do WikiLeaks, como o PayPal, Visa e Mastercard, e passaram a enviar faxes em massa para esses números desde as 11 horas da manhã de ontem (horário de Brasília).

FaxDepois de ataque aos sites, Mastercard, Visa e PayPal sofrem com spam via fax (Foto: SXC)

 

O ataque está sendo feito com o auxílio de um serviço gratuito de envio de faxes na web para inundar as empresas com papéis inúteis, como certos telegramas secretos revelados pelo WikiLeaks, sua logo, e até imagens de Guy Fawkes, símbolo do grupo. O ataque cessa às 14 horas, segundo o canal do grupo.

Por conta do novo alvo, as empresas tiveram que desativar alguns números e, como supomos, podem ter sofrido algum prejuízo financeiro. Mas isso só aconteceria mesmo se eles não souberem como usar a internet no lugar de faxes. Afinal, scanners e envio de emails não são exatamente uma "tecnologia emergente".

Arrisco dizer que, desta vez, eles fizeram um favor à humanidade, praticamente obrigando as empresas atacadas a aposentem de vez essa 'nada antiga' tecnologia de transmissão de dados. Mas só dessa vez.

Fonte: Slashdot

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares