Acessórios

11/03/2011 15h39 - Atualizado em 14/07/2011 07h00

Programa da Microsoft identifica órgãos do corpo humano

Marcela Vaz
por
Da Redação
Software reconhe órgãos do corpo humano em exames e auxilia nos diagnósticos. (Foto: Divulgação)Software reconhe órgãos do corpo humano em exames e auxilia nos diagnósticos. (Foto: Divulgação)

Ferramenta de busca da Microsoft é capaz de indexar exames de raios-X e identificar os órgãos do corpo humano. A nova tecnologia ajudará médicos a analisar os exames dos pacientes em 2D e 3D e compará-los para detectar regressão e progressão de doenças.

O software ainda será aprimorado por um grupo de pesquisa da Microsoft em Cambridge, na Inglaterra, liderado pelo cientista Antonio Criminisi. Segundo os desenvolvedores, a navegação pelos órgãos nas imagens é complicada mesmo para quem recebeu treinamento. Uma alternativa é o recurso de reconhecimento automático do software.

Nesse caso, quem não possui habilidade para navegar livremente, pode recorrer aos hiperlinks listados que aparecem assim que os órgão são indentificados. Desse modo, é bem mais fácil acessar as imagens do coração, por exemplo, através do link que remaneja o usuário diretamente para o órgão.

O software foi desenvolvido em parceria com o Hospital Addenbrookes, em Cambridge. O objetivo foi formar algoritmos para reconhecer as características que os peritos tinham marcado como as  principais em centenas de exames. Para identificar estruturas particulares, o programa usa o padrão de luz e escuridão.

A indexação de novas imagens demora apenas alguns segundos e permite que os médicos comparem exames atuais com anteriores e façam a manutenção do banco de dados do paciente. A Microsoft também está explorando o uso de comandos por gestos e voz. A idéia é que se possa conectar o controle do Kinect, usualmente utilizados em games para controlar os movimentos dos personagens.

A expectativa é de que o software também seja capaz de identificar sinais de doenças, como nódulos cancerígenos. O recurso facilitaria a aceitação da nova ferramenta pelos médicos, além de precisar indícios de doenças e evitar erros médicos.  Segundo os desenvolvedores, já estão sendo desenvolvidos recursos para identificação de glioma, um tipo de tumor cerebral.

Via: Technology Review

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares