Fabricantes

28/02/2012 08h49 - Atualizado em 28/02/2012 08h49

Conheça o "cartucho amaldiçoado" de The Legend of Zelda: Majora’s Mask

Guilherme Neto
por
Da Contém Conteúdo
Alexander Hall (Foto: Reprodução)Alexander Hall (Foto: Reprodução)

Quem já jogou The Legend of Zelda: Majora's Mask, game lançado para o Nintendo 64 em 2000, sabe que o título já é um tanto sombrio por si só. Isso inspirou o jovem Alexander Hall, um americano de 20 anos, a criar uma história de terror e publicá-la na Internet.

Tudo começou com algumas postagens no famoso fórum 4Chan. O usuário Jadusable contou como conseguiu um cartucho do game Majora's Mask e os eventos estranhos que ocorreram enquanto o jogava. Tudo "provado" através de vídeos publicados no YouTube. A história, chamada de Haunted Cartridge ("Cartucho Amaldiçoado"), enganou muita gente.

As cenas mostram o personagem Link atuando de maneira atípica, interagindo com outros personagens misteriosos ou visitando alguns lugares estranhos. À primeira vista, parecem ser defeitos, até que as coincidências e as menções a um tal de "Ben" tornam tudo muito assustador.

Ben no Cartucho Amaldiçoado do Zelda (Foto: Reprodução)O assustador Ben, no Cartucho Amaldiçoado

O enredo foi contado em cinco postagens, publicadas durante uma semana. Todas indicavam algum vídeo no YouTube ou um arquivo de texto, que deixavam a trama ainda mais complexa. Com o tempo, descobriu-se que a história se tratava de um Alternate Reality Game (ARG, ou "Jogo de Realidade Alternativa"), nome dado a jogos que misturam elementos ficcionais com outros da nossa realidade para contar um enredo, que só avança com a participação de jogadores interessados.

A repercussão foi imensa. O ARG foi divulgado em diversos sites e revistas da imprensa especializada de games, além de se popularizar, através do boca a boca, nas redes sociais. Em poucos dias, os dois primeiros vídeos atingiram a marca de 500 mil visualizações (hoje, alguns já beiram 1,5 milhão).

Respondendo a perguntas dos jogadores, em sessões de entrevistas no fórum 4Chan ou através do Twitter, o criador Alexander Hall revelou que utilizou emuladores e modificou códigos de programação para provocar os efeitos assustadores vistos nos vídeos, além de truques de edição.

Muitos acham que a história termina por aí, mas o sucesso motivou o desenvolvimento de outros dois arcos, expandindo ainda mais a trama do Cartucho Amaldiçoado. Através de mensagens codificadas em novos vídeos e textos, os usuários descobriram o site You Shouldn't Have Done That (atualmente fora do ar), um antigo vídeo do game Vampire: The Masquerade - Bloodlines, e mais arquivos de textos.

You Shouldn't Have Done That (Foto: Reprodução)You Shouldn't Have Done That (Foto: Reprodução)

As ações dos jogadores interferiram na história. Em determinado momento, por exemplo, um vídeo do jogo Majora's Mask, mostrando Link tocando a música The Song of Healing, fez uma nova postagem surgir nos site YSHDT.net.

Nesse ponto, o ARG já tinha tomado uma complexidade muito grande, misturando diversas ações reais com fatos ficcionais, confundidos em várias teorias levantadas pelos próprios jogadores. Um site wiki foi montado por alguns deles, organizando e explicando, em detalhes, cada uma das etapas do jogo.

Em outubro de 2010, Alexander Hall chegou a cancelar o game por falta de recursos financeiros, mas graças a doações, ele pôde continuar seu trabalho. Ele voltou a dar um hiato no jogo em julho de 2011, devido a falta de tempo para se dedicar, mas prometeu terminá-lo algum dia. Até hoje, os fãs, que aguardam a continuação, ficam de olho no fórum Within Hubris, onde o arco atual está sendo desenvolvido.

Apesar de ainda ser algo um tanto incomum, ARGs como The Haunted Cartridge provam como as novas tecnologias podem impactar e inovar a antiquíssima arte da Literatura. O site ARGNet é um bom primeiro passo para quem quer ficar por dentro desse tipo de jogo. Se essa história deixou você interessado pelo game The Legend of Zelda: Majora’s Mask, é possível comprá-lo, via download no Wii, por mil pontos.

O TechTudo apoia o Brasil Sem Vírus, movimento que dissemina práticas de segurança e distribui antivírus gratuitamente. Estima-se que 80% dos brasileiros já estiveram com os computadores ameaçados por vírus e ataques de hackers. Você pode ajudar sua rede de amigos enviando uma vacina para eles. Seja voluntário!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Guilherme Magalhães
    2015-07-28T14:07:57

    "Atualizado em 28/02/2012" Mas tá faltando assunto, hein?

  • Adriana Fernandes
    2012-02-28T10:11:22

    Jogo é bom e a maioria gosta, mas vamos combinar, que se uma mente perturbada jogar isso aí...sei não. Poderia até ser o mesmo contexto (que por sinal é complexo e inteligente) mas com uma versão do bem. Como elfos, ou anjos, agora utilizar coisas macabras, o mundo já é conturbado por si só, pessoas muito suscetíveis a idéias e acabam por acreditar fielmente nisso e daí surgem as tragédias.

  • Adriano Reis
    2012-04-03T09:52:52

    Prezado Redação do Techtudo, não encontrei em seu site sobre o computador ecológico e sustentável feito de garrafas pet recicladas. Agradeço a atenção.

  • Adriana Fernandes
    2012-02-28T22:45:49

    rsrsrsrsrsrss... na boa rio muito com tudo isso

  • Adriana Fernandes
    2012-02-28T14:22:50

    André eu tô respondendo a Daniela... (nossa que frase de contra-resposta horrorosa essa minha) Estranho mesmo é nós aqui estarmos debatendo algo que não leva a nada...rsrs, relaxa, eu tb estava me estressando com os comentários a favor do jogo... e vc se estressando com os comentários "do contra" ... e a galera do TcheTudo se diverte com isso, mas ainda bem que nem todos concordam com a gente, se não ficaria sem graça.

  • André Oliveira
    2012-02-28T13:49:25

    Capeta??? O ser humano desde o princípio dos tempos tem o dito anjinho e o capetinha nos ombros... mas nada disso indica que o jogo esteja focando no chifrudinho, o pé preto, ou qualquer adjetivo carinhoso com o que alguns acreditam ser o responsável pelo mal... o mal é do próprio ser humano, e um simples jogo ou filme não faz com que eu seja bom ou mal... a experiência do ser humano pode ser espelhada, por isso quem acredita no barbudinho, sabe que o livre arbítrio foi dado pois ele confia na sua cria... pra mim, é tudo baboseira, e Zelda, assim como Resident Evil, entre outros, é só mais um

  • Adriana Fernandes
    2012-02-28T13:27:08

    O meu preferido é o Exorcista, e mantenho a opinião, jogos são bem diferentes de filmes, quem joga sabe, eu jogo, você monta estratégias é você quem vai guiar o jogo, o filme não. Há quer saber, quem gosta gosta do capeta quem não gosta não gosta, cada qual escolhe o lado que quer ficar ou apenas admirar, não é mesmo?

  • André Oliveira
    2012-02-28T12:47:24

    É impressionante o que pessoas que leem a notícia e não entendem absolutamente nada do jogo ou do contexto do game vem aqui e falam tanta asneira, que dá até medo... Zelda, para quem não sabe, foi um ícone dos jogos de RPG, já ali na segunda metade da década de 80... foi um dos 3 jogos que alavancaram a Nintendo (Mario e Donkey Kong foram os outros 2). O título The Legend of Zelda (A Lenda de Zelda) é um marco nos jogos de game. Seu criador, que inclusive foi criador dos outros dois títulos que eu citei, foi o mestre Shigeru Miyamoto. Link é o personagem principal... Muito bom o jogo !!!

  • Daniela Calderón
    2012-02-28T11:53:51

    De acordo com a linha de pensamento da ADRIANA FERNANDES, deveríamos ver tudo como num "paraíso" e esse mundo está bem longe disso... Vai me dizer que ela nunca assistiu nenhum tipo de filme de ação, suspense ou terror ou mesmo tenha jogado algum tipo de game do tipo em que se bate ou mata... até eu já fiz isso. (o game pode até ser que não, mas e os filmes???) E estamos falando de um jogo da nintendo, ai ai...

  • Rafael Augusto
    2012-02-28T11:27:21

    Falta do que fazer gera isso! Esse cara tinha é que arrumar um emprego. Talvez até com o desenvolvimento de games, que paga bem!