Tablet

19/03/2012 19h54 - Atualizado em 07/03/2013 16h42

Novo iPad tem potencial para fotografia

Julio Preuss
por
Para o TechTudo

Assim que recebi meu novo iPad, no dia do lançamento mundial, tratei de instalar uma meia dúzia de aplicativos para pôr à prova a nova tela “Retina”, com quatro vezes a resolução do iPad 2. Não por acaso, metade desses aplicativos eram voltados para a fotografia: iPhoto, da própria Apple, Photoshop Touch, da Adobe; e Filterstorm, um dos mais completos pacotes gráficos para dispositivos iOS, mesmo em sua versão Lite.

Gastando menos de US$ 20, em questão de minutos eu tinha em mãos não apenas um, mas três ótimos softwares de manipulação de imagens. Claro que nenhum deles faz o que um Photoshop CS5 faz, mas o Photoshop custa mais caro que um novo iPad básico e tem recursos que a maioria das pessoas comuns vai usar. Honestamente, para os ajustes do dia-a-dia, os aplicativos para iOS mais recentes dão e sobram.

Julio Preuss (Foto: Julio Preuss)Novo conjunto ótico de 5 elementos (Foto: Julio Preuss)

Embora a câmera iSight do novo iPad seja melhor que a do anterior, com direito a sensor retroiluminado de 5 megapixels e conjunto ótico igual ao do iPhone 4S, ela ainda está longe de substituir até a mais simples das digitais compactas. Falta zoom, flash, um disparador mais preciso e, principalmente, não é lá muito prático segurar o tablet à frente do rosto para tirar uma foto.

Álbum e editor portátil

O valor do iPad para a fotografia definitivamente não é como câmera – para isso, até o iPhone, com sua portabilidade e 8 megapixels, é muito melhor. A utilidade do iPad, especialmente da nova versão, é a possibilidade de organizar, visualizar (na fantástica tela Retina), compartilhar e até editar suas fotos onde quer que você esteja, sem a necessidade de um computador.

Ainda me lembro de quando instalei o Photogene no meu primeiro iPhone. A possibilidade de cortar, redimensionar, editar curvas e aplicar alguns fitros básicos direto no celular era revolucionária para a época, e por muito tempo continuei usando o programinha para dar aqueles retoques essenciais nas fotos tiradas com o iPhone, antes de compartilhá-las. A diferença é que agora já começa a fazer sentido importar fotos tiradas com câmeras de verdade para o iPad.

O processo de importação poderia ser bem melhor. Bastava a Apple ceder à sua mania de querer controlar tudo o que fazemos com os iGadgets e colocar um leitor de cartões SD no iPad. Facilitaria a transferência das fotos e permitiria expandir a memória do tablet indefinidamente – exatamente o que o acessório iPad Camera Connection Kit faz por mais US$ 29 e o trabalho de carregar outro penduricalho.

Julio Preuss (Foto: Julio Preuss)Transferência de dados pode ser feita com cartão de memória
que tem comunicação via wi-fi (Foto: Julio Preuss)

Outra boa alternativa é transferir as fotos por W-iFi. Se você tiver um cartão de memória Eye-Fi X2, com conectividade WiFi, pode instalar o aplicativo gratuito que recebe fotos no iPad/iPhone direto da câmera.

Se não, pode comprar o aplicativo Photo Transfer App, que por apenas US$ 3 permite enviar e receber fotos do computador para o dispositivo iOS.

Caixa de ferramentas

Já com as fotos no iPad, a questão passa a ser escolher um aplicativo para brincar com elas. O iPhoto, por motivos óbvios, é o mais integrado ao sistema operacional iOS. É também o mais versátil, já que funciona tanto como gerenciador de fotos quanto como editor. E sua interface é a mais visual, com paletas de efeitos e um leque de ferramentas bem mais convidativas do que os ícones muitas vezes indecifráveis dos outros programas.

Julio Preuss (Foto: Julio Preuss)Recursos avançados no iPhoto (Foto: Julio Preuss)

O Filterstorm, por outro lado, oferece muito mais controle sobre cada efeito e recursos avançados como camadas, máscaras e automação de processos. É um aplicativo realmente voltado para fotógrafos, que provavelmente acabarão optando pela versão Pro, de US$ 15, que além de tudo isso tem uma biblioteca integrada e permite processar e exportar imagens em lote.

Julio Preuss (Foto: Julio Preuss)FilterStorm tem filtros e efeitos voltados para fotógrafos profissionais (Foto: Julio Preuss)

E, finalmente, se você não se contenta com nada aquém do consagrado Photoshop, poderá optar entre o gratuito mas simplório Photoshop Express, ou pagar US$ 10 pelo bem mais completo Photoshop Touch, exclusivo para tablets. Seu grande problema é a resolução inicialmente limitada a 1600×1600 pixels, mas pode apostar que logo teremos uma versão otimizada para o novo iPad.

Photoshop Touch (Foto: Julio Preuss)Photoshop Touch (Foto: Julio Preuss)

É claro que os aplicativos citados são apenas alguns dos editores mais conhecidos, mas a variedade é infinitamente maior. Só a lista dos mais populares na categoria Photo & Vídeo da iTunes App Store conta com 240 títulos, que vão do viciante Instagram ao inusitado SpyCalc, que esconde suas fotos confidenciais dentro de uma calculadora. Mas estes serão assunto para um próximo post – enquanto ele não chega, que tal deixar um comentário contando qual o seu aplicativo fotográfico preferido e por que?

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Bruno Hukusina
    2012-03-21T08:28:55

    Instagram pois jah aplica os efeitos rapidos, sem muita enrolação perfeitos pra amadores como eu.