TechTudo

17/07/2012 15h56 - Atualizado em 17/07/2012 15h56

Como testar se a placa-mãe está com defeito

Rafael Moco Para o TechTudo

Apesar de super avançados, os computadores ainda sofrem com um pequeno probleminha: eles não conseguem demonstrar com muita eficiência que tipo de problema os aflige. Assim, quando se trata de algo relacionado ao hardware, a situação fica ainda mais apertada. Por isso, algumas empresas resolveram investir na criação de placas de diagnósticos, facilitando bastante este processo.

Existem vários tipos de placas de diagnósticos, mas as mais comuns exigem que estas sejam instaladas diretamente em uma das portas PCI da placa mãe. Assim, a partir do momento em que o computador é ligado, elas passam a monitorar todo o sistema, registrando tudo o que acontece com o computador não só durante o seu processo de boot, que é quando ele liga, mas também durante o seu uso. As placas de diagnósticos estão divididas em dois modelos distintos, cada um com suas vantagens e desvantagens: as passivas e as ativas.

placa1Placas passivas (Foto: Reprodução)

Reconhecendo problemas com as placas passivas

O primeiro modelo tende a ser mais simples e barato, e, por conta disso, mais limitado. Na verdade, o que este tipo de placa faz é simplesmente analisar os códigos de erro oferecidos pela Bios do computador durante seu período de POST. É nesta hora que a Bios verifica cada componente instalado na máquina e, caso algo de errado aconteça, um código de erro é retornado. É aí que entra a placa de diagnósticos.

O que ela faz é mostrar ao usuário exatamente quais foram os momentos em que ocorreram erros, e seus respectivos códigos. Com isso em mãos, é possível consultar o manual da própria placa mãe, ou, por meio de uma sessão, dados técnicos no site do fabricante, o que significa cada um daqueles erros. Desta maneira, o técnico, ou até mesmo qualquer usuário mais experiente, consegue identificar rapidamente que tipo de componente está apresentando mais problemas no computador. Mas nem sempre isso é o suficiente.

Placas ativas oferecem eficiência total

E quando o problema está na própria Bios? Algumas vezes, a própria placa mãe deixa de registrar determinados problemas, principalmente quando eles ocorrem nela mesma, e não em um periférico instalado no computador. É aí que entram as placas de diagnóstico ativas. Diferente das passivas, elas não se limitam a simplesmente mostrar ao usuário os erros detectados pela Bios. Por si só, elas executam testes que auxiliam de forma ainda mais precisa a identificação de determinados problemas.

Algumas permitem até mesmo que você pré-configure a Bios do computador, o que pode ser considerado uma ação bastante complexa. Em alguns casos, é possível até mesmo restaurar Bios que foram danificadas durante processos de atualização, bem como testar placas que estejam sem Bios. A eficiência oferecida por este tipo de equipamento não tem preço para quem trabalha com manutenção de muitos computadores, mas e para o usuário comum?

placa2Placa ativas (Foto: Reprodução)

E quanto vale toda essa eficiência?

A boa notícia é que mesmo as placas de diagnóstico mais avançadas podem ser adquiridas investindo menos do que se imagina. Alguns modelos mais avançados chegam a custar menos de R$ 200, um valor irrisório frente aos benefícios oferecidos por este tipo de equipamento. Porém, seu uso ainda pode ser bastante complicado, e talvez até arriscado, para o usuário final, já que há a necessidade de abrir o computador e manipular seu interior. Neste caso, tentar identificar os problemas do seu computador utilizando um software de diagnóstico pode ser uma boa – e segura – saída.

Grande parte dos problemas de travamentos e reinicializações aleatórias ocorrem por conta de drivers incompatíveis com o sistema, superaquecimento dos componentes internos ou alimentação elétrica insuficiente oferecida pela fonte de alimentação do micro. Nestes casos, o uso de um bom software de diagnóstico pode resolver o seu problema. A seguir mostraremos três dos mais eficientes e completos, e o melhor: de graça!

SpeedFan

Temperatura, velocidade das ventoinhas internas e voltagem. Esta é a especialidade do SpeedFan. Geralmente, grande parte dos problemas relacionados a travamentos e reinícios repentinos está relacionado à alta temperatura dos componentes internos, e este programa é, sem dúvida, uma das melhores ferramentas para monitorar isso.

Além de informações básicas sobre o sistema, divididas em categorias bastante específicas, um dos diferenciais do programa é permitir que você possa controlar a velocidade das ventoinhas internas. Desta maneira, é possível até mesmo reduzir o consumo de energia e, principalmente, o barulho causado pelos coolers do computador, especialmente o do processador.

3Veja a velocidade do seu fan (Reprodução)

BatteryCare

Esta dica é indicada para os donos de Notebooks. Quem possui um, sabe que muitas vezes os problemas relacionados à bateria do aparelho podem ser bem irritantes. Você faz a carga completa e, de repente, seu notebook desliga, sem mais ou menos. Quer saber se o problema está realmente na bateria? O BatteryCare te dá essa mãozinha.

Além de monitorar o consumo de energia, ele permite que você faça uma contagem do número de recargas – ou seja, ciclos – já feitas no seu notebook. Assim, você fica sabendo quando a bateria precisa ou não ser substituída, evitando dores de cabeça. E para completar, o BatteryCare ainda faz o monitoramento da temperatura do seu notebook, outro fator de extrema importância para aparelhos deste tipo.

4Conheça as principais informações da sua bateria (Reprodução)

HWiNFO32

Por último, o HWiNFO32 é um dos mais populares softwares de diagnóstico disponíveis. Bastante usado por quem trabalha com manutenção de hardware, o software é definitivo para quem deseja ter total controle sobre aquilo que está acontecendo no seu computador.

Ele vasculha por completo o seu computador, listando todos os componentes instalados, drivers utilizados, detalhes sobre o sistema operacional, além de monitorar dados como temperatura, voltagem, velocidade de ventoinhas, e muito mais. Ele faz inclusive o cálculo de quanto calor seu cooler deve dissipar, baseado no espaço interno e potência do processador. Uma ferramenta que não pode faltar no arsenal de nenhum técnico!

5Informações completas de sua placa-mãe (Reprodução)

No fim, muitos problemas apresentados no nosso dia a dia podem ser identificados com um bom software de diagnóstico, mas caso seja algo relacionado ao hardware, o uso de uma boa placa de testes pode ser fundamental na hora de descobrir rapidamente o que está acontecendo no computador.

Não importa se você é um profissional do ramo preocupado com sua produtividade na manutenção de micros ou se você é apenas um usuário comum. Boas opções na hora de resolver os problemas no computador não faltam, e certamente você encontrará aquela que melhor atende suas necessidades.

  • imprimir
  • Compartilhar no Orkut
  • Enviar para um Amigo
140 caracteres

Verificação de segurança

Gênero

  • Leonardo Werneck
    2012-07-18T10:06:12

    Excelente matéria! Parabéns a toda equipe.

    COMPARTILHAR

    Imagem do usuário
  • Leonardo Werneck
    2012-07-18T10:06:12

    Excelente matéria! Parabéns a toda equipe.

    COMPARTILHAR

    Imagem do usuário

TechTudo.com.br © Copyright 2010-2014 Globo Comunicação e Participações S.A. Política de Privacidade