Álbuns e organizadores

05/07/2012 18h45 - Atualizado em 05/07/2012 18h45

Entenda os formatos dos arquivos de imagem

Claudia Sardinha
por
Para o TechTudo

Se você navega na Internet e gosta de salvar imagens, já deve ter reparado a variedade de formatos em que se apresentam os arquivos, não é?

Vemos com facilidade o JPG, GIF, PNG (mais comuns atualmente) e BMP. Mas além desses, existe uma grande quantidade de formatos para diversos tipos de uso. Cada um possui uma especificação técnica diferente, pois são tipos de compressão de pixels diferentes.

JPEG (Joint Pictures Expert Group) é o melhor formato para quem quer enviar imagens por e-mail. Surigiu em 1983 e acabou virando um dos padrões mais populares da Internet

Um arquivo em JPEG (ou JPG como também é chamado) tem tamanho pequeno quando comparado a outros formatos, facilitando o seu armazenamento e a sua distribuição. Ele comprime os dados para ser muito menor, mas isso gera perda na qualidade da imagem.

O JPEG é mais utilizado quando o tamanho do arquivo é mais importante do que a máxima qualidade de imagem (por exemplo, páginas web, blogs, e-mail, cartões de memória da câmera, etc.)

Mas JPG é bom o suficiente em muitos casos, se não exagerar na compressão. As imagens JPG aceitam 16 milhões de cores e, em geral, são usadas para salvar imagens e fotografias. O interessante no JPG, é que os arquivos podem ter diferentes níveis de compressão. Quanto mais existir compressão, ou seja, retirada de informação, menor será o tamanho do arquivo, porém pior será sua qualidade. 

GIF (Graphics Interchange Format) é outro formato muito comum na Internet. É um arquivo leve e famoso pelas fotografias com movimento, os gifs animados. É recomendado para quem precisa espalhar muita imagem na internet, por gerar arquivos de tamanho reduzido, e para quem não está preocupado em enviar imagens com pouca cor, já que o GIF só trabalha com esquema de 256 cores (8 bits), por isso não é muito comum em fotografias. 

Criado em 1987, o GIF foi projetado pela CompuServe nos primeiros dias de vídeo dos computadores de 8 bits, antes mesmo JPG, para visualização em velocidades de conexão por modem dial-up (discado). Ele é ruim para fotos de 24-bit de cores, portanto, não use GIF para fotos coloridas de hoje em dia, a cor é muito limitada. Mas o GIF ainda é muito bom para gráficos web (com um número limitado de cores).

Apesar deste formato parecer limitado devido ao número baixo de cores com que trabalha, o GIF é muito utilizado por alguns recursos que oferece. Seu uso é maior em ícones, ilustrações (principalmente em preto e branco) e pequenas animações. Além disso permite salvar arquivos com fundo transparente e compressão sem perda de qualidade.

Formatos de imagem (Foto: Reprodução/CreativeCurio)Formato em GIF tem mais perda a qualidade na hora da impressão (Foto: Reprodução/CreativeCurio)

PNG (Portable Network Graphics) Ao contrário do GIF, o PNG suporte mais cores. É um concorrente do GIF. Surgiu em 1996 e possui características que tornaram o GIF tão bem aceito: animação, fundo transparente e compressão sem perda de qualidade, mesmo com salvamentos constantes do arquivo.

O PNG suporta milhões de cores, não apenas 256, sendo, sendo assim, uma ótima opção para fotos. Uma característica a mais no PNG é a transparência por 24 imagens de bit RGB.

Normalmente arquivos PNG são um pouco menores do que TIF LZW (ambos usos de compressão sem perda, de diferentes tipos), mas o PNG é talvez um pouco mais lento para ler ou escrever. Ele ainda é menos utilizado do que TIF ou JPG, mas é outra boa opção para um trabalho de qualidade sem perdas.

Bitmap podem suportar milhões de cores e preservam os detalhes, porém deixam os arquivos extremamente grandes, pois não utilizam compressão. Se você quer mandar fotos para seus amigos, esqueça o Bitmap. O formato torna o envio de imagens na internet lento, já que esses arquivos não são comprimidos 

O BMP (como é abreviado) é um formato histórico, pois surgiu com o sistema operacional Windows. Imagens BMP podem variar de preto e branco (1 bit por pixel) de até 24 bits de cores (16,7 milhões de cores).

Por exemplo, uma imagem de 800×600 ocupa cerca de 1,5 megabytes. Porém, ele é livre de patentes e é bem documentado. Por sua qualidade ser inferior, sempre é utilizada em menor tamanho para fácil visualização. Arquivos em Bitmap podem ter extensão .dib (Device Independent Bitmap) ou BMP (padrão do Windows) e não permitem fundo transparente.

TIFF (Tagged Image File Format) é mais usado por profissionais de imagens. É o tipo de arquivo preferido da maioria dos designers gráficos, para edição e impressão. Têm pouca ou nenhuma compressão e não perdem quaisquer detalhes, embora os arquivos possam ser bastante grandes. O TIF é o mais versátil, exceto que as páginas web, pois alguns navegadores não mostram imagens TIF. 

Também é muito usado em digitalização (scanner e fax). Oferece grande quantidade de cores e excelente qualidade de imagem, fazendo com que o tamanho dos seus arquivos seja grande. Também permite o uso de camadas (como nos arquivos PSD originais do photoshop) que são versões diferenciadas da imagem existentes num mesmo arquivo. pode aparecer com a extensão .tif ou .tiff e suporta fundo transparente. 

O formato foi criado em 1986 e adquirido pela Adobe. É sem perdas (incluindo a compressão LZW), que é considerado o formato de maior qualidade para o trabalho comercial.

RAW (“cru” em inglês) é um padrão em algumas câmeras digitais, mas não é um formato obrigatório, podendo-se escolher entre os padrões JPG ou PNG. É “cru” por não conter aplicação de efeitos ou ajustes.

Por causa disso, oferece alta qualidade de imagem e maior profundidade de cores. Como os arquivos neste padrão são “puros”, o editor tem a liberdade de utilizar a imagem do jeito como foi capturada e aplicar seus próprios efeitos ou ajustes, normalmente gerando fotos muito boas.

EXIF (Exchangeable image file format) é um padrão de arquivo semelhante ao formato JFIF com extensões TIFF, que está incorporado no software de escrita JPEG, utilizada na maioria das câmeras.

Sua finalidade é gravar e padronizar as trocas de metadados entre as imagens das câmeras digitais e seus softwares de edição e visualização. Os metadados são gravados nas imagens individuais e incluem coisas como as configurações da câmera, data e hora, velocidade do obturador, a exposição, tamanho da imagem, compressão, nome da câmera e informações de cor. Quando as imagens são visualizadas ou editadas por software de edição de imagem, todas essas informações podem ser exibidas.

PPM, PGM, PBM e PNM é uma família de formatos. O formato de arquivo portable pixmap (PPM), o formato de arquivo portátil graymap (PGM) e o formato de arquivo portátil bitmap (PBM). Estes podem ser puros arquivos ASCII ou arquivos binários “crus” com um cabeçalho ASCII que oferecem funcionalidade muito básica e servem como um menor denominador comum para converter pixmap, graymap, ou arquivos de bitmap entre plataformas diferentes. Diversas aplicações se referem a eles coletivamente como formato PNM (Portable Any Map).

SVG (Scalable Vector Graphics) é um arquivo de imagens vetoriais. É um formato aberto, desenvolvido pela W3C e que surgiu em 2001. Em vez de ser baseado em pixels, isto é, os “pontinhos” que formam as imagens, ele usa linguagem XML para descrever como o arquivo deve ser. Serve tanto para figuras estáticas quanto para imagens animadas. Por ser um vetor, as imagens podem ser ampliadas ou reduzidas sem causar perda de qualidade. São de extensão .svg ou .svgz e suportam efeitos de transparência. É o mesmo caso de imagens CDR (provenientes do programa CorelDraw).

WebP é um novo formato de imagem que usa compressão lossy. Ele foi projetado pelo Google para reduzir o tamanho do arquivo de imagem para acelerar o carregamento de página da web: o seu objectivo principal é substituir JPEG como o formato principal para fotos na web. WebP é baseada no comércio intra-frame VP8 de codificação e usa um recipiente baseado em RIFF.

Existem mais outros formatos pertencentes a outros softwares mais específicos ainda. O formato que você deve usar é sempre aquele que mais se adequar a sua necessidade. Lembrando que para a Internet os melhores são o JPG, GIF e PNG. 

Além dos principais citados acima, ainda temos uma gama de outros formatos que, em sua maioria, são específicos de algum programa (como Corel, Ilustrator, Photoshop etc). Muitos deles, talvez, você nunca terá contato, mas é sempre bom saber que existe. Veja abaixo:

Formato Descrição
 JPEG XR   Novo padrão JPEG, baseado no Microsoft HD Photo 
TGA  TARGA 
EPS  Encapsulated PostScript 
ILBM  Bitmap intercalado 
IMG  Graphical Environment Manager 
PCX  Personal Computer eXchange 
ECW  Enhanced Compression Wavelet 
IMG   ERDAS IMAGINE Imagem 
SID  multiresolution seamless image database, MrSID 
CD5  Chasys Imagem Draw 
FITS   Flexible Image Transport System 
PGF  Progressive Graphics File 
XCF  Formato de instalação experimental Computing, o formato nativo do GIMP, software gráfico do Linux 
PSD  Adobe Photoshop 
PSP  Corel Paint Shop Pro 
AI  Adobe Illustrator 
CDR  CorelDRAW 
GEM metafiles  interpretado e escrito por the Graphical Environment Manager VDI subsystem 
HPGL  Introduzido nos plotters da Hewlett-Packard, mas generalizada em uma linguagem de impressora 
HVIF Haiku Vector Icon Format 
NAPLPS  North American Presentation Layer Protocol Syntax
ODG  OpenDocument Graphics 
POV-Ray markup language  ------
PSTricks and PGF/TikZ   linguagens para criar gráficos em documentos TeX 
VML  Vector Markup Language 
WMF/EMF  Windows Metafile / Enhanced Metafile 
Xar  usado em aplicações em vetor de Xara 
XPS XML Paper Specification

 

 

Via Infowester e Wikipedia

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Robson Pereira
    2015-10-21T17:06:23

    Adoro os artigos da TechTudo. Adoraria mais se tivessem "Versão para impressão". Abraços.

  • Tiago Souza
    2017-01-15T13:18:49

    PNG e SVG para imagens e OGG para áudio/video. Viva o conteúdo livre!