03/02/2015 10h00 - Atualizado em 19/02/2015 08h28

GameMaker e RPG Maker: veja como criar seus jogos sem saber programar

Paulo Vasconcellos
por
Para o TechTudo

Criar seu próprio jogo é o sonho de consumo da maioria dos gamers. Com este tutorial, aprenda a desenvolver seu mundo, personagens, histórias, além de deixar sua marca na indústria; confira.

Jogo indie para Xbox 360 brinca com a grande quantidade de DLCs

Algumas das maiores game engine existentes no mercado (Foto: Reprodução/Paulo Vasconcellos)Algumas das maiores game engine existentes no mercado (Foto: Reprodução/Paulo Vasconcellos)

O que é preciso de verdade para criar um jogo?

O que Skyrim, Titanfall e Flappy Bird têm em comum? Os três exemplos possuem uma proposta única com o objetivo de atingir uma grande quantidade de jogadores interessados no seu formato. Games sem objetivos e com mecânicas ruins tendem a não chamar a atenção do público. 

A principal proposta de Flappy Bird é ser um jogo viciante em busca de altos scores (Foto: Reprodução/Youtube) A principal proposta de Flappy Bird é ser um jogo viciante em busca de altos cores. (Foto: Reprodução/Youtube)

Antes de criar a história com os devidos personagens, pense na experiência que pretende passar. Lembre-se de casos na indústria que deram sucesso e tente entender a sua fórmula. Por que o lançamento de Counter-Striker foi um sucesso? E por que tantas pessoas amam GTA? Tente compreender isso e aplique no seu projeto.

E como faço para criar jogos sem saber programar?

Existem diversas ferramentas que permitem aos usuários criar games sem programar, cada uma para um público específico. Listaremos aqui algumas das melhores e mais famosas Engines.

RPG Maker

A lista não poderia começar sem citar uma das mais clássicas ferramentas de criação de jogos já existentes: o RPG Maker, também conhecido como RPG Tsukuru ou Tkool. Embora as versões mais famosas sejam o RPG Maker 2003, RPG Maker XP e RPG Maker VX Ace, a primeira versão do software foi a Mamirin, lançada em 1988 para PC-8801.

RPG Maker Ace VX (Foto: Divulgação)RPG Maker Ace VX (Foto: Divulgação)

História a parte, o grande foco do RPG Maker é criar jogos de RPG em 2D. A Engine possui suas principais versões traduzidas para o português e pode ser facilmente adquirida através de sites como Steam. Outra grande vantagem do software é a a gigantesca comunidade. Com isso, sites e fóruns são criados para disponibilizar recursos como trilhas sonoras, mapas e sprites, além de muitíssimos tutoriais - inclusive em vídeo -, ensinando desde o básico até o avançado.

A Engine é bonita e intuitiva, mas possui limitações (Foto: Reprodução/RPG Maker Web)A Engine é bonita e intuitiva, mas possui limitações. (Foto: Reprodução/RPG Maker Web)

A grande desvantagem se deve a sua limitação: o desenvolvedor pode criar belíssimos e poderosos jogos de JRPG (RPG oriental, voltado para batalhas em turnos), contudo, somente é possível criar jogos de RPG 2D para Windows. O software não possui suporte a 3D, multiplataforma e, embora alguns jogadores consigam criar games no estilo de Hack ‘n Slash, o RPG Maker não oferece suporte a tal gênero, focando somente em batalhas por turnos.

GameMaker

O GameMaker também é outra ferramenta muito conhecida na internet. Indicada para quem está iniciando no ramo, o programa permite que você crie praticamente qualquer jogo 2D, desde jogos de plataforma como Super Mario ou Sonic, até games de Nave, Puzzle ou Shooter.

Game Maker (Foto: Divulgação)Game Maker (Foto: Divulgação)

O grande atrativo do Game Maker é a sua facilidade de uso e o suporte multiplataforma. Na última versão: GameMaker Studio, é possível exportar o jogo para praticamente qualquer plataforma, desde Android, iOS e consoles portáteis até Windows, Mac, Xbox One e Playstation 4.

O GameMaker utiliza comandos pré-configurados para permitir que desenvolvedores sem conhecimento em programação possam produzir os títulos. Quer que seu personagem pule ao pressionar a tecla ‘Espaço’? Adicione o comportamento de salto a ele. Quer que ele se mova para a direita quando apertar a tecla ‘D’? Adicione tal comportamento ao personagem. Tudo isso de forma visual, sem interagir com linhas de comando. Além disso, o GameMaker conta com uma “polêmica” linguagem de programação própria, e não faltam tutoriais ensinando a manipulá-la.

Hotline Miami é um dos jogos mais famosos da Engine (Foto: Divulgação)Hotline Miami é um dos jogos mais famosos da Engine. (Foto: Divulgação)

Embora o GameMaker seja uma ferramenta poderosa, ele não está livre de falhas. Sua própria linguagem de programação, como já dissemos, divide a opinião dos usuários. Outro ponto desmotivador é o valor alto. Embora possua uma versão gratuita, é necessário adquirir uma licença para cada plataforma que deseja exportar o projeto – a licença de Playstation e Xbox custam US$ 299 -, ou o desenvolvedor pode pagar pela versão completa, que custa US$ 799, aproximadamente R$ 2 mil.

Construct 2

O Construct 2 é outra poderosa ferramenta. Assim como o GameMaker, ele permite a criação de qualquer tipo de jogo 2D, mas é preferido por muito por conta da grande facilidade de uso. É possível criar um jogo como Flappy Bird em apenas alguns minutos.

Mortar Melon: um dos jogos mais baixados na Windows Store (Foto: Divulgação)Mortar Melon: um dos jogos mais baixados na Windows Store (Foto: Divulgação)

O Construct 2 é a ferramenta ideal para quem quer começar a ganhar dinheiro com seus jogos. Isso porque o software permite que você exporte os games para todas as plataformas utilizando uma única licença, que custa aproximadamente R$ 329. Somente é necessário adquirir uma outra licença, a Business License, se o título ultrapassar uma receita de US$ 5 mil. Mas não se preocupe. Na versão gratuita, você pode criar jogos em HTML 5 e, com isso, realizar upload para o Facebook, por exemplo.

A Engine permite exportar para muitas plataformas (Foto: Divulgação)A Engine permite exportar para muitas plataformas (Foto: Divulgação)

Manipular o Construct 2 é relativamente fácil. Criar um personagem e aplicar controles de movimento é tão simples quanto abrir o programa. Além disso, muitos tutoriais estão espalhados pelas comunidades do software, inclusive no próprio site. Lá, você encontra uma área voltada especialmente para eles. Embora alguns tutoriais estejam em inglês, muitos outros estão disponíveis para o português brasileiro.

Embora possua muitas funcionalidades, o jogo criado pode perder taxa de quadros em alguns dispositivos (Foto: Divulgação)Embora possua muitas funcionalidades, o jogo criado pode perder taxa de quadros em alguns dispositivos. (Foto: Divulgação)

Longe de ser uma Engine perfeita, o Construct 2 também apresenta algumas falhas. A grande reclamação dos usuários é a queda de performance e taxa de quadros ao criar jogos grandes, principalmente em dispositivos móveis. Assim como o GameMaker, o Construct 2 permite a exportação para muitas plataformas, mas os consoles de última geração, como Playstation 4 e Xbox One, ficaram de fora até o momento.

Clickteam Fusion

Você já ouviu falar no famoso jogo Five Night’s at Freddy’s? Essa foi a Engine utilizada para criar o assustador game.

O jogo Five Nights at Freddys foi criado utilizando a Engine Fusion (Foto: Divulgação)O jogo Five Night's at Freddy's foi criado utilizando a Engine Fusion. (Foto: Divulgação)

O grande diferencial da Engine Fusion é a fluidez. O programa é capaz de rodar em máquinas Windows 98 com baixíssimo consumo de memória e processador. Outra vantagem é o sistema de física integrado. Isso quer dizer que a física usada não foi feita por outra empresa ou é instalada a partir de um plug-in, que, nesses casos, tem como consequência o surgimento de problemas como a incompatibilidade de versões .

Já um dos problemas da Engine é o mesmo apresentado pelo GameMaker: para exportar para outras plataformas que não sejam Windows, é necessário comprar os módulos separadamente. Embora a Fusion permita a criação de poderosos jogos, sua interface não é tão amigável quanto as outras Engines.

Menção honrosa: Spark Game Engine

Spark (Foto: Divulgação)Spark (Foto: Divulgação)
















A lista se encerra com a Engine que promete revolucionar a forma de criação games: Spark Game Engine. Assim como as outras, ela não necessita de conhecimento de programação, mas permite criar de belos e poderosos jogos 3D. Utilizando comandos pré-configurados, o desenvolvedor poderá criar cenários deslumbrantes, controlar a quantidade de água, árvores, montanhas, dentre outros itens, além de poder exportar seu jogo para sistemas operacionais móveis, Windows, Mac, Flash e HTML 5.

Spark (Foto: Divulgação)Spark (Foto: Divulgação)

Outra preocupação da equipe Spark Game Engine é a formação dos usuários. Conforme o próprio site diz, você não ganhará um emprego na indústria por saber mexer em softwares que não exigem conhecimentos em programação. O programa conta com aulas de programação orientada, uso de variáveis, arrays e vetores, tudo para fazer com que seus usuários se tornem grandes desenvolvedores.

Infelizmente, a Engine Spark ainda não está disponível para o público. Ainda segundo o site, o lançamento está próximo, mas você pode se candidatar a receber uma chave beta para acesso antecipado assim que eles começarem o teste, basta cadastrar seu e-mail no site oficial.

Que tipo de game você criaria? Comente no Fórum do TechTudo!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Renato Jesus
    2016-08-30T21:16:52

    RPG

  • Renato Mk
    2015-02-03T14:24:44

    Utilizei por um tempo o Game Maker, e preciso dizer que se você não quer lidar com linhas de código seu jogo não ficará bom, porém é sim um ótimo lugar para começar, pois a linguagem dele é relativamente fácil de se aprender

  • Rafael Lopes
    2015-03-12T16:52:04

    Gostei da reportagem, vou aguardar mais conteúdos sobre esses engines.