Tablet

05/04/2011 16h52 - Atualizado em 14/07/2011 06h56

Preview: Max and The Magic Marker

Rafael Monteiro
por
Para o TechTudo

Já tem pouco mais de um ano que Max and The Magic Marker foi lançado para o Nintendo Wii e PC. Porém, assim como um outro conhecido jogo de física, chamado World of Goo, simplesmente não eram as plataformas perfeitas para ele. Esperamos que a chegada do menino e sua caneta mágica aos produtos da Apple resolva isso.

A história começa quando Max recebe uma caneta mágica e sem saber dos seus poderes desenha um vilão chamado Mustacho, que toma vida e começa a pintar bigodes em todos os desenhos das histórias de Max. O menino então desenha a si mesmo e vai atrás do vilão para impedí-lo.

Max and The Magic Marker (Foto: Divulgação)Max and The Magic Marker (Foto: Divulgação)

O jogo tem todo um aspecto inocente, com gráficos cartunizados e animações suaves que parecem saídas direto de uma tirinha de Calvin & Haroldo, mas isso não faz dele um jogo exclusivamente para crianças.

Você controla Max em um estilo plataforma 2D e todo tipo de problema surgirá para impedir seu progresso. Quando surgir um problema é a hora de usar a caneta mágica. Tudo que você desenha com a caneta torna-se um objeto físico, onde Max pode andar ou pular em cima.

Além disso, esses objetos tem física própria. Quando você criar uma reta com uma bola na ponta, ela tombará para o lado mais pesado, podendo propulsionar Max pra cima se ele estiver sobre esse objeto.

Max and The Magic Marker (Foto: Divulgação)Max and The Magic Marker (Foto: Divulgação)

Isso levanta uma imensa gama de possibilidades extremamente divertidas por si só e mais interessantes ainda de se usar para resolver quebra-cabeças. Não só os objetos interagem com Max, mas com outros objetos já presentes no cenário e até mesmo interagem entre si, sendo possível até fazer mecanismos simples.

São quinze níveis de aventura nos quais você encontrará tanto desafios que exigem habilidade com saltos, quanto pensamento lógico e criativo para chegar à saída e ultrapassar obstáculos ou ataques de Mustacho.

Nem sempre você é obrigado a desenhar tudo na hora, podendo de certa forma “congelar” o tempo para fazer um desenho mais complexo. Isso ajuda a criar objetos que circundam Max ou outras criaturas, assim como na criação de mecanismos mais complicados, pois a física só volta a ser aplicada sobre os objetos quando você “descongela” o tempo.

Na verdade, como você tem uma quantidade limitada de tinta, apesar de poder sempre recobrar tinta dos desenhos já feitos, terá que pensar nas melhores maneiras para se ultrapassar um obstáculo. Nem sempre uma grande ponte gastando muita tinta vai ser a melhor solução para ultrapassar um abismo.

A tela de toque funciona melhor para desenhar os objetos do que o controle do Wii ou o mouse no PC, mas boa parte do jogo ainda é de plataforma e a conhecida falta de botões dos produtos da Apple atrapalha um pouco essa parte.

Max and The Magic Marker (Foto: Divulgação)Max and The Magic Marker (Foto: Divulgação)

Mas o principal defeito de Max and The Magic Marker, que já vimos nas outras versões do jogo, é sem dúvida sua curta duração e baixo nível de desafio. O jogo é divertido enquanto dura, mas não deverá durar mais do que algumas horas na sua mão.

Por outro lado um defeito que era muito mais sério no Nintendo Wii e no PC, torna-se um pouco mais aceitável por um preço menor na App Store.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares