Jogos de aventura

27/07/2011 14h34 - Atualizado em 27/07/2011 14h34

Suda51 quer versão social e sangrenta de No More Heroes

Arthur Figueiredo
por
Para o TechTudo

A série No More Heroes pode não ser uma das mais violentas, mas com certeza é uma das mais sangrentas que as gerações recentes de games receberam. Seu estilo visual cartunesco está longe da violência “anatomicamente correta” do novo Mortal Kombat, mas cada ataque mais forte da beam katana do anti-herói Travis Touchdown garante litros de sangue dos seus inimigos espirrados para todos os lados. Na história, Travis deseja se tornar o maior assassino do mundo, e para isso, deve matar todos os outros da UAA, a Associação dos Assassinos Unidos.

No More Heroes (Foto: Divulgação)No More Heroes (Foto: Divulgação)

Em uma coletiva de imprensa ontem, Goichi Suda (o próprio Suda51), da Grasshopper Manufacture, revelou seus planos de criar um game social para smartphones baseado no universo sanguinolento de No More Heroes, que seria lançado – inicialmente – na plataforma de games portáteis Mobage. “Nosso objetivo é criar o game social com mais sangue”, disse Suda, em um comentário bastante adequado para os seus games recentes.

O designer continuou dizendo que espera desenvolver algo com “força” e apelo suficientes para que possa ganhar mercados ocidentais. Vale lembrar que um aplicativo da Grasshopper já foi lançado para celulares norte-americanos, o bizarro e viciante game Frog Minutes, no início do ano. Será um novo mercado para a empresa explorar?

Além da possibilidade de criar uma associação de assassinos entre os próprios jogadores, criando infinitas disputas entre eles e um ranking próprio, imagine também a disseminação dos fantásticos mini-games da série inspirados em jogos da era 8 bits, que seriam perfeitos para celulares. Aguarde novidades.

Via Edge

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares