22/08/2011 17h40 - Atualizado em 22/08/2011 17h40

Aeroporto de Paris testa o uso de "funcionários" holográficos

Isadora Díaz
por
Da redação

A espera por voos nos aeroportos acaba de ganhar um requinte tecnológico. Isso porque o aeroporto de Paris Orly colocou em estágio de testes um novo grupo de funcionários. O detalhe é que eles são hologramas 2D projetados para orientar passageiros e facilitar o trabalho da equipe de carne e osso.

Hologramas do aeroporto parisiense (Foto: Reprodução)Holograma do aeroporto parisiense (Foto: Reprodução)

Os funcionários virtuais trazem mensagens pré-gravadas que podem ser ativadas com o pressionar de um simples botão. Além de poupar a equipe de repetir as mesmas instruções constantemente, a iniciativa, ao menos durante a fase de testes, atiçou a curiosidade dos passantes. Inclusive alguns, não satisfeitos em ver a novidade de longe, fizeram questão de esticar o braço para tocar.

Presentes nas áreas próximas aos portões de embarque, eles convidam os passageiros a entrarem nos aviões e desejam boa viagem. A tecnologia por trás dessa inovação, na realidade, é bastante simples - e funcional. As mensagens foram previamente gravadas por uma empresa francesa especializada em marketing audiovisual, chamada L'Oeil du Chat. Os hologramas são fruto dos vídeos projetados em uma plataforma feita de acrílico e recortada na forma humana. Por isso, os movimentos são limitados: você não verá nenhum deles abrir os braços, por exemplo.

O aeroporto deseja, dessa forma, trazer uma nova experiência de atendimento. Como o holograma chama mais atenção, espera-se que a mensagem seja ouvida por um maior número de pessoas. E, convenhamos, ouvir que o seu voo está próximo de decolar de um agente virtual parece uma ideia bem mais divertida que verificar o display tradicional.

No vídeo abaixo, é possível conferir os hologramas em ação. E as pessoas tentando tocá-los, claro.


Uma ideia semelhante foi posta em prática há alguns meses nos aeroporto de Londres Luton e de Manchester, ambos no Reino Unido. Na época do lançamento, o diretor gerencial de Londres Luton, Glyn Jones, garantiu que nenhum funcionário seria substituído pela versão virtual. Segundo ele, o mecanismo apena auxiliaria os verdadeiros membros da equipe a fazer seu trabalho. 

Via Yahoo!News e ITNNews

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Rui Fonseca
    2011-10-15T15:01:32

    o video é privado porque?