Internet

16/08/2011 08h30 - Atualizado em 16/08/2011 08h30

Mulher vendida para adoção no mercado negro se reencontra com mãe biológica 34 anos depois graças ao Facebook

Bernardo Cury
por
Da redação

Uma mulher vendida para adoção no mercado negro se encontrou com sua mãe biológica depois de 34 anos, graças à rede social FacebookSara Hudson e sua mãe biológica, Kathleen Rhodes, foram separadas no estacionamento de um hospital em Long Island, Nova York, por Seymour Fenichel, um advogado e rabino, líder de um esquema de adoção ilegal, em 1976.

Em um posto de gasolina nas proximidades, o bebê recém-nascido foi entregue a uma mulher mais velha de Manhattan, desesperada por um filho. Após procurar por sua mãe biológica no Facebook, Sara Hudson e Kathleen Rhodes se abraçaram pela primeira vez, na semana passada, desde que ela nasceu.

Mãe biológica e filha adotiva se encontram graças ao Facebook (Foto: MailOnline)Mãe e filha se encontram graças ao Facebook (Foto: MailOnline)

Em um encontro emocionante, sua mãe, de 53 anos, disse:''Eu estava esperando você me encontrar. Eu sempre te amei. Eu sempre pensei em você". E sua filha respondeu: "Sinto muito por ter levado tanto tempo". As duas se encontraram na casa de Kathleen Rhode, em Long Island.

Ela começou a busca por sua mãe biológica no ano passado após quase morrer de um coágulo de sangue no pulmão. Sem saber de seu histórico médico, ela começou sua busca por seus pais biológicos e ficou chocada ao saber sobre Fenichel, que realizou centenas de adoções no mercado negro nos anos 1970 e 80. O homem foi preso em 1988 e morreu em 1994, aos 70 anos.

Como os registros de adoção em Nova York estavam inacessíveis, seus pais adotivos lembravam do nome de solteiro da mãe biológica de Sara: Catherine Akeson. Em seguida ela achou um microfilme com o número do telefone de seu avô, John W. Akeson.

Registros ligavam esse nome com o de Kathleen Rhodes. Sara Hudson escreveu para sua mãe no Facebook: "Eu nasci em junho de 1977, em NY, e estou procurando por informações sobre a minha família". Ao ver o recado, ela gritou: "Meu Deus! É ela!".

Rhodes contou que tinha 18 anos quando engravidou. Temendo que não poderia cuidar de seu bebê em uma idade tão jovem, ela discou um número de um anúncio de jornal para futuras mães que estavam considerando a adoção. O anúncio instruía para as pessoas falarem com a "Irmã Marie". "Até o momento, eu pensei que estava lidando com freiras", disse a mãe.

No momento da reunião, a mãe adotiva, que não quis se identificar, de 66 anos, contou que estava com medo de ser presa, mas que precisava desesperadamente ter um filho. Seu pai adotivo pagou 10 mil dólares por ela.

Via MailOnline

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Rosaly Brandão
    2011-08-16T10:44:58

    Que história linda !! Parabéns ao facebook ...

  • Stephanie Maia
    2011-08-16T15:00:00

    Acho importante que as pessoas pensem antes de julgar casos como este. Não sabemos o que aconteceu naquela época em que esta mãe deu sua filha. Mas de um modo geral e na minha opinião, é preferível que se dê a criança à pessoas que realmente querem ter filhos e que irão amá-las e respeitá-las independente de ter o mesmo sangue ou não, do que ficar ela e tratá-la como animais, espancando-as, maltratando-as, como no caso da menina que morreu após o próprio pai mantê-la amarrada em meio a sujeira, passando por tudo que ela passou.

  • Leticia Santos
    2011-08-16T12:42:50

    coitados dos pais adotivos que foram quem criaram a filha com tanto amor, pq é isso q importa, nao o sangue, e agora ela querer conmhecer a pessoa q a abandonou...

  • Rosaly Brandão
    2011-08-16T10:47:27

    E é claro ao Portal da Globo . com por ter divulgado.

  • Leticia Santos
    2011-08-17T09:07:54

    e uma pessoa q tem coragem de dar a propria filha, me desculpe, com certeza conseguiu dormir bem durante todos esses anos sem remorso algum

  • Leticia Santos
    2011-08-17T09:06:15

    desculpe stephanie, eu entendo o q vc quis dizer, graças à DEUS essa criança nao ficou nos braços de uma desumana, senao teria uma vida indigna. o q eu quero dizer é q eu no lugar dela jamais iria ter vontade de conhceer uma pessoa dessas, o q vai mudar na vida dela? de certo é igual novela, chega depois de anos e chama de "mamae, te amo" isso é a mais pura falsidade, e na materia a mae falando q sempre amou a filha, como assim amar uma pessoa q é uma simples desconhecida? parir nao significa nada, o q importa é quem cria, isso sim é digno de amor!

  • Erich Souza
    2011-08-16T15:34:03

    Vendeu por U$ 10.000,00 na época e agora diz que estava a espera, por favor!

  • Stephanie Maia
    2011-08-16T15:06:51

    Importante lembrar também que, com certeza, essa mãe passou noites em claro pensando onde sua filha estaria naquele momento, mas que por medo, vergonha ou sem saber como essa filha reagiria, pensou em deixá-la com a família que lhe acolheu e lhe deu amor durante toda sua vida. Exemplos como este serve para que pensemos em nossas atitudes e amemos mais ao próximo sem preconceito de cor, raça, opção sexual, etc. Todos temos problemas, mas o mais importante está em saber amar, perdoar, doar, ajudar a quem realmente precisa. PARABÉNS A GLOBO POR MAIS ESTA EXCELENTE MATÉRIA.

  • Leticia Santos
    2011-08-16T12:41:06

    que absurdo, como chamar uma monstra dessa de mãe? eu jamais ia querer conhecer uma pessoa que teve a coragem de cometer um ato desumano de DAR A PRÓPRIA FILHA! esse outra, se quisesse ela ja teria ido atras da filha, mas nao, essa menina vai se decepcionar com certeza! uma pessoa que abandona filho nao merece o minimo de respeito!

  • Ivaneide Santos
    2011-08-16T12:08:31

    fico muito feliz por ela .eu tambem n vejo meu pai a 25 anos

  • Edmar Augusto
    2011-08-16T11:10:52

    muinto linda esta historia , que mae e filha sejao muinto feliz. juntas

  • Rosaly Brandão
    2011-08-16T10:50:18

    E ao portal da Globo principalmente !

  • Lidia Miceli
    2012-01-16T03:05:02

    Sou mãe de duas filhas, as quais chamo de TUDO. E são TUDO mesmo. Mas acho que antes de julgar, devemos saber que existem casos e "casos". Por isso, às vezes, dar um filho pode ser um ato de amor e coragem.

  • Daniela Martins
    2011-08-18T16:11:02

    Sou filha adotiva e falo isso com muito orgulho. A minha mãe só me disse quando eu tinha 15 anos, e isso não mudou nada. Ela tentou me explicar o q tinha acontecido, mas eu disse que eu nao queria saber. Hoje estou bem mais velha, mas não tenho a minima vontade de conhecer a mulher que me deu a luz. Não sei nem quero saber quais foram os motivos. Mãe é quem dá amor e isso não tem nada que paga esse preço. Amo muitos meus pais, e tenho a mais absoluta certeza de que o maior deles por mim é incondicional. A mulher que me gerou só serviu para esse propósito.