Câmera

01/12/2011 11h20 - Atualizado em 01/12/2011 11h20

Fábrica da Nikon retoma produção em janeiro e pode acelerar a chegada da D800

Eduardo Moreira
por
Para o TechTudo

Em comunidado hoje à imprensa, a Nikon informou ter reiniciado a sua produção em uma fábrica alternativa da Nikon, na Tailândia, e que os produtos vindos dessa fábrica começaram a ser expedidos para os principais mercados desde ontem (30/11).

Nikon D800 (Foto: Reprodução/Nikon Rumors)Nikon D800 (Foto: Reprodução/Nikon Rumors)

A tendência é que a empresa retome a produção do seu novo modelo DSLR, a Nikon D800, que teve o seu lançamento adiado justamente por causa das enchentes no país. A Nikon estima que a produção de câmeras DSLR e de lentes intercambiáveis na Tailândia tenha se normalizado até o mês de março de 2012.

Essa retomada de produção que a Nikon considera antecipada, fomenta a expectativa do lançamento de novos produtos da fabricante ainda para este Natal.

Outras empresas atingidas

A fábrica atingida ficou totalmente submersa na água, e como consequência, toda a produção foi paralisada, provocando atrasos no transporte de alguns produtos.

Muitas outras empresas em diversos segmentos de tecnologia sofreram do mesmo problema, com alguns produtos já refletindo um aumento de preços, já que a demanda é maior que a oferta.

De acordo com o comunicado da empresa, o bombeamento da água no parque industrial de Rojana, local onde a principal fábrica da Nikon está instalada, foi concluído no dia 26 de novembro. A empresa acredita que a infra-estrutura de suas instalações esteja concluída em breve, para um reinício da produção de produtos prevista para janeiro de 2012.

Outra empresa que também foi vítima das enchentes no país é a Sony, que fornece peças para a Nikon, e também atrasou a disponibilidade de sua câmera compacta NEX-7.

Via Techradar.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares