07/12/2011 09h14 - Atualizado em 07/12/2011 09h14

Rival do silício, MoS2, promete chips menores e menos despendiosos

Filipe Garrett
por
Para o TechTudo

Pesquisadores suíços do Laboratório de Eletrônica e Estrutura em Nanoescala (Lanes) trabalham em um material à base de sulfeto de molibdênio (MoS2), que pode substituir o silício nos microchips. Além de permitir chips menores, mais potentes e eficientes em termos de consumo de energia, o MoS2 é um mineral abundante na natureza, o que vai ajudar na sua adoção a custos baixos pela indústria.

Com a adoção do molibdênio, os chips sairão mais baratos para a indústria. (Foto: Reprodução/ BBC)Com a adoção do molibdênio, os chips sairão mais
baratos para a indústria. (Foto: Reprodução/ BBC)

Segundo Andras Kis, um dos membros do projeto, é possível comprar um cubo de 1cm do material por US$ 100. No protótipo do chip com sulfeto de molibdênio foram usados apenas seis transistores (estima-se que os processadores Bulldozer da AMD tenham algo em torno de 1,2 bilhão deles).

Além disso, o MoS2 permite que as camadas sejam de apenas três átomos de espessura. Atualmente, em geral, chips de alto desempenho são construídos com camadas de silício de dois nanômetros de espessura. Não se pode extrair lâminas mais finas do silício com átomos de espessura porque o material tem tendência a oxidação e, além disso, oxidado, o silício causa decréscimo na capacidade elétrica do chip. Jáo o sulfeto de molibdênio é mais resistente à tensão do que o silício, que quebra facilmente. Outra vantagem do MoS2 é que ele aquece muito menos.

Os pesquisadores estimam que os chips com sulfeto de molibdênio só chegam às prateleiras em 10 ou 20 anos.

Via BBC

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares