12/06/2012 12h21 - Atualizado em 12/06/2012 12h30

Casais gamers são unidos até no joystick

Gisele Palma
por
Da redação

Ah, o Dia dos Namorados! Cartões, flores, bombons, jantar romântico, videogames... Mas, espera um minuto, videogames? É isso mesmo! Pelo menos para os "casais gamers", esse é um detalhe fundamental. Tais casais são garotos e garotas que se conheceram jogando ou que, com o tempo, descobriram a paixão em comum pelos games.

Rosana Schulze, de 21 anos, e Sylvio Conde, de 23, juntos desde 2010, são um desses casais. “Uma vez dei a expansão Cataclysm de World of Warcraft. Este ano, o presente talvez seja um livro de RPG. Ele gostar de jogos faz com que eu sempre acerte no presente”, comenta Rosana. E quanto à programação especial do dia, eles dizem que um jantar e algumas partidas de um jogo certamente estão incluídos.

Camila Chimello e João Francisco Dias (Foto: TechTudo)Camila Chimello e João Francisco Dias (Foto: Arquivo Pessoal) 

Um outro casal também adepto de um 12 de junho menos convencional é Camila Chimello, de 24 anos, e João Francisco Dias, de 26. Para eles, a data também pede uma boa dose de videogame.

É claro que o tempo para namorar sempre está reservado, mas os nossos entrevistados foram unânimes: o tempo livre do casal também é preenchido com muito game. E como diferenças existem em qualquer lugar, o meio eletrônico não fica de fora. Mas nada de brigas: o amor pacifica os ânimos e os pombinhos conseguem escolher games que agradem a ambos. “Ele gosta mais de jogos de luta; eu, FPS. Mas sempre tentamos jogar algo juntos, sem desrespeitar o gosto pessoal”, diz Camilla.

Encontrar essas semelhanças não é nada difícil e nenhum dos casais teve dificuldade em listar games queridinhos dos dois. Bianca Radics, de 25 anos, e Rafael Monteiro, de 28, por exemplo, têm uma enorme lista de jogos prediletos em comum: The Legendary Starfy, Mario Kart, Earth Defense Force 2017, Just Dance e por aí vai.

Bianca Radics e Rafael Monteiro (Foto: TechTudo)Bianca Radics e Rafael Monteiro (Foto: Arquivo Pessoal)

Para os fãs de jogos, tirar a sorte grande é encontrar uma alma gêmea que também o seja. Pelo menos é assim que pensa Camilla. Para ela, a melhor coisa que pode acontecer a um gamer é encontra sua “cara-metade” também gamer. A moça considera impossível um relacionamento com alguém que a impeça de jogar.

Mas felizmente esse não é o caso dela. João, com quem está casada há mais de seis anos, também tem os games como segunda paixão e, juntos, eles sempre curtem boas partidas de jogos de tiro em primeira pessoa, como Battlefield 3 e Team Fortress 2.

Já Rafael nem sempre teve a mesma sorte. “Já aconteceu de não quererem nem começar a namorar. Das últimas garotas com quem falei que trabalhava com jogos, uma achou imaturo e a outra pensou que eu era dono de caça-níqueis”. Pois é, cômico se não fosse trágico.

Como todos sabem, é bom que o casal tenha momentos de descontração dentro do relacionamento, e um hobby divertido compartilhado pelos dois pode aproximá-los ainda mais. Rafael Monteiro concorda, garantindo ser nas brincadeiras do dia a dia - inclusive nos videogames -, que é possível avaliar se carinho vai durar por anos. Sua amada se derrete e afirma: “Jogar sem ele não tem a menor graça”.


 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Jose Lopes
    2012-06-13T17:32:35

    em vez de jogar video games deviam estar em uma academia.

  • Marcos Godinho
    2012-06-13T03:09:51

    os gordinhos piram.