Fabricantes

01/10/2012 12h45 - Atualizado em 01/10/2012 12h45

Justiça da União Europeia analisa certificado de garantia da Apple

Thiago Barros
por
Para o TechTudo

Os certificados de garantia da Apple vão ser examinados nos 27 países da União Europeia. Viviane Reding, comissária europeia de Justiça, solicitou uma investigação para avaliar se a companhia de Cupertino menciona os direitos obrigatórios aos compradores de ter, pelo menos, dois anos de garantia contra defeitos em seus eletrônicos – incluindo Macs e aparelhos iOS.

AppleCare está em xeque na Europa (Foto: Reprodução)AppleCare está em análise na Europa
(Foto: Reprodução)

Em uma carta para os países membros da União, Reding explica que a Apple anuncia seus produtos com um ano de garantia de fábrica, porém não cita em momento algum que qualquer consumidor tem o direito de exigir uma garantia de, no mínimo, dois anos, segundo a lei europeia. A comissária de justiça vê esta prática como “inaceitável” e sugere que se considere algum tipo de punição à empresa norte-americana.

Esta não é a primeira vez que a Apple se vê com problemas judiciais por conta disso. A questão é bastante simples: na Europa, é obrigatório oferecer dois anos de garantia aos consumidores em compras de eletrônicos, independente de suas marcas. Porém, a empresa norte-americana só anuncia seus produtos com um ano de garantia e oferece mais tempo apenas para aqueles que optarem por pagar pelo seu seviço AppleCare.

Isso já causou um processo na Justiça da Itália, que rendeu à companhia de Tim Cook uma multa de € 900 mil (cerca de R$ 2,7 milhões), e agora parece estar próximo de gerar uma nova punição à empresa na Europa. A Apple, no entanto, se defende e explica que a lei do consumidor na Europa só diz respeito a produtos com defeitos de fábrica e não possíveis danos obtidos ao longo do tempo com o consumidor.

Via Cult Of Mac

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares