30/01/2014 11h40 - Atualizado em 30/01/2014 14h27

Campus Party 'gourmet': preços no evento geram reclamações e jeitinhos

Melissa Cruz Cossetti
por
Da Campus Party Brasil 2014

Comprar na Campus Party se tornou um game difícil de platinar. "Está tudo muito caro, e os preços estão aumentando", disse um campuseiro na porta do Parque Anhembi, fazendo sinais com as mãos. Quem visita o restaurante e lojas de fastfood no local onde acontece a Campus Party nota que os preços estão altos, muito altos. E pagar por eles se torna ainda mais caro para quem já soma dias dentro do evento.

Acompanhe a cobertura completa da Campus Party no TechTudo

Campuseiros reclamam dos preços abusivos dos alimentos na feira (Foto: TechTudo/Melissa Cruz)Campuseiros reclamam dos preços abusivos dos alimentos na feira (Foto: TechTudo/Melissa Cruz)


"Ontem, comprei uma Coca-Cola de dois litros a R$ 12. Agora, comprei uma de 1,5 litro a R$ 8. Está tudo muito caro lá dentro", disse Emerson Silva, levando uma pizza que comprou do lado de fora do evento. Nadia Keilly, que acompanhava o campuseiro, conta que a dupla veio do Ceará e reclama ainda da falta de variedade nos serviços de alimentação. "Não tem opções mais leves, só tem fastfood, comida gordurosa, cachorro quente. A alimentação não é saudável", critica a jovem, que disse ainda ter passado mal nos últimos dias, por causa do calor.

Phillipe Mingatos, de São Paulo, solucionou temporariamente seu problema para comprar refrigerantes mais baratos. O jovem combinou com os amigos e comprou gelo e latinhas por cerca de R$ 2 cada em um supermercado e pôs as bebidas para gelar. Animado, anunciou que estava vendendo cada uma por R$ 4. O preço, embora ainda alto, continua inferior ao praticado pelas lanchonetes, que varia de R$ 5 a R$ 6 por latinha (nem sempre tão gelada) dentro do Anhembi.

Phillipe resolveu fazer concorrência e vender bebida mais barata no evento (Foto: TechTudo/Melissa Cruz)Phillipe resolveu fazer concorrência e vender bebida mais barata no evento (Foto: TechTudo/Melissa Cruz)



"Achei legal que tentaram baixar o preço da entrada. Mas o preço dos produtos subiu. Ano passado a latinha era R$ 5, agora está R$ 6 ou mais", disse. Quanto ao pacote de alimentação oferecido a parte pelos campuseiros, ele disse que não tem do que reclamar. "Paguei R$ 237. Uns acham caro, eu não. Tem café, almoço e jantar todos os dias", afirma.

Para aliviar o calor, a Campus Party oferece, em parceria com a SABESP, cinco pontos de abastecimento de água potável no evento. A companhia de saneamento básico e São Paulo tem feito ações promocionais oferecendo garrafinhas para os campuseiros duas vezes ao dia na feira.

Qual a melhor atração da Campus Party 2014? Comente no Fórum do TechTudo. 

 

 


Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Nicholas Abreu
    2014-01-30T19:55:09  

    tudo virgem nesse evento!!

    recentes

    populares

    • Nicholas Abreu
      2014-01-30T19:55:09  

      Eu sou virgem mas não to lá :/

    recentes

    populares

    • Nicholas Abreu
      2014-01-30T19:55:09  

      Há grandes chances de um futuro chefe seu estar em uma feira dessas...

  • Celso Godoy
    2014-01-31T11:43:06

    Reclama que só tem comida gordurosa mas vai lá fora comprar pizza...

  • Elton Freitas
    2014-01-30T17:12:49

    Só eu que ri com a primeira foto? kkkkkkkkkk

  • Everson Santana
    2014-01-30T16:52:37

    Não Achei que a Cooler Master estava tão Ruim das pernas.

  • Rafael Cruzeiro
    2014-01-30T14:28:05

    "A oportunidade faz o ladrão".

  • Carlos Filho
    2014-01-30T14:09:43

    Tinha que ser gordo!Gordo só faz gordices!

  • Rodrigo Perez
    2014-01-30T14:05:10

    É um absurdo. Isso não é exclusividade da Campus Party ou de São paulo. Em qualquer evento que se vá, o valor gasto em bebida ou alimentação é absurdo, beira os 400% ou 500%. Não existe uma fiscalização para punir ou pelo menos inibir este tipo de ação. Isso ainda fica pior quando é restrito o consumo apenas nas lanchonetes ou restaurantes dentro do ambiente.