24/10/2014 10h48 - Atualizado em 24/10/2014 10h58

Windows 10: a triste ressurreição do Menu Iniciar

B. Piropo
por
Para o TechTudo

Sim, Windows 10 está na praça. Ou pelo menos uma versão preliminar, aquilo que a Microsoft chama de “Technical Preview”.

Creio que nesta altura dos acontecimentos a maioria de meus muito preclaros e não menos bem informados leitores já estão cansados de saber disto. Mas, para os que não sabiam: a versão já está rolando por aí há quase um mês e, embora vise suceder a Windows 8, seu nome é Windows 10 (e não me pergunte por que a MS resolveu pular o nove, embora eu tenha cá minhas ideias). Eu já a estou usando desde o lançamento, estas mal traçadas estão sendo digitadas em uma máquina com ela equipada e, naturalmente, acumulei neste período algumas experiências que pretendo dividir com vocês.

Mas não hoje.

Veja todas as colunas do B. Piropo

Hoje nosso assunto principal será o estranho fenômeno que poderemos chamar de “as idas e vindas do menu Iniciar” ou “como satisfazer os anseios da comunidade de usuários piorando o que, se não estava bom, pelo menos razoável estava”.

Desde seu lançamento foram publicadas milhões de avaliações da nova versão. E a quem acha que estou exagerando, sugiro fazer uma pesquisa no Google com os termos “Windows 10 avaliação”. Acabei de fazê-la e recebi 3,3 milhões de retornos em 0,25 segundos. Considerando que “avaliação” é algo absolutamente pessoal, também eu farei a minha no devido tempo, tão logo ache que o produto esteja mais amadurecido (diferentemente do que fez nas versões anteriores, a MS pretende lançar atualizações do Windows 10 Technical Preview em curtos intervalos, tanto assim que a primeira, denominada Build 9860, já foi liberada). Mas para aqueles que não tomaram conhecimento do lançamento ou das novidades de Windows 10, aqui fica a sugestão para assistir este vídeo no qual Joe Belfiore, o chefe da equipe de projeto e definição de Windows, além de fornecer orientações gerais sobre o uso e instalação da versão preliminar, mostra suas principais inovações.

Porém, por ser o vídeo em inglês, fica aqui um breve resumo das novidades:

A caixa de pesquisas está de volta e pode ser acionada tanto da Barra de Tarefas quando do menu Iniciar, sobre o qual falaremos adiante. E a busca retorna tanto os resultados encontrados no próprio computador quanto na Web;

A Loja Windows foi, mais uma vez, melhorada. Ela agora pode ser usada mais facilmente tanto pelos usuários de máquinas de mesa (“desktops”) quanto portáteis, sejam estilo “notebooks” ou tabletes.

Os aplicativos “modernos”, ou seja, aqueles desenvolvidos especificamente para a nova interface de Windows 8 baseada na tela Iniciar, que somente abriam em tela cheia ou fatias verticais da tela, agora podem ser enquadrados em janelas móveis e redimensionáveis, no estilo tradicional das versões anteriores – o que, pelo menos por enquanto e na minha humilde opinião de longevo e inveterado usuário de Windows em máquinas de mesa com mais de um monitor, foi a mais grata das alterações aportadas pela nova versão;

GPC20141024_1Na barra de tarefas, ícone de alternância de abas (Foto: Reprodução/B.Piropo)

Um novo ícone, assinalado na Figura 1 pela seta, foi adicionado à Barra de Tarefas. Trata-se do “Task switcher”, ou “Alternador entre tarefas”. Um clique nele mostra em toda a largura da tela (ou das telas, para quem uma mais de um monitor) miniaturas das janelas das tarefas em execução. Note que eu mencionei a adição de um novo ícone e não de uma nova função, já que a função de alternar entre tarefas é mais velha que andar em pé e vem acompanhando praticamente todas as versões de Windows, inclusive a 8.x, sempre acionada pela combinação “Alt+Tab”. Ela apenas foi melhorada em Windows 10;

A possibilidade de “encaixar” janelas – tanto as de aplicativos modernos quanto as de convencionais – melhorou bastante. Mover uma janela para uma das laterais da tela a encaixa em meia tela. E ajustando as demais de forma adequada pode-se trabalhar com quatro janelas de diferentes aplicativos, cada um ocupando um quarto da tela;

Windows sorveu na mesma fonte do Linux a ideia de permitir que o usuário crie múltiplas Áreas de Trabalho e passe de uma para outra quando achar conveniente. Note que eu não me refiro a múltiplas telas, mas a diferentes arranjos de ícones e demais objetos na tela, cada arranjo formando uma diferente Área de Trabalho que dá acesso direto a diferentes aplicativos. Uma coisa prática, principalmente considerando que a partir de Windows 8 o usuário pode sincronizar as configurações de diversas máquinas e fazer com que todas, não importa onde estejam localizadas, mostrem a mesma “cara” quando o usuário se registra (ou “faz login”) em qualquer uma delas. Com a nova função ele pode criar uma configuração de Área de Trabalho para sua máquina doméstica e outra para a do escritório, cada uma com os ícones dos objetos usados mais frequentemente em uma ou em outra situação; e, finalmente:

A volta do menu Iniciar. Ah, o famoso, pranteado e adorado menu Iniciar, cuja ausência tem sido alegada pelos velhos usuários como razão principal de sua recusa em aderir ao Windows 8.x.

Vamos a ele.

GPC20141024_2Menu Iniciar de Windows 7 (Foto: Reprodução/B. Piropo)

Começando, como convém, por uma imagem do finado, o menu Iniciar de Windows 7, cuja falta nas versões posteriores é universalmente lamentada. Como eu não disponho de máquinas com Windows 7 nas proximidades, a imagem acima foi obtida diretamente na fonte, ou seja, no sítio da MS.

Eu não vou perder tempo descrevendo algo que todos vocês estão cansados de conhecer. Então, vamos direto ao ponto: para que serve este menu? O que os usuários faziam com ele? E, finalmente, de que sentiram tanta falta na sua ausência?

Bem, no painel esquerdo aparecem alguns ícones de programas. Em tese são os programas mais usados (o usuário tem liberdade de escolher os programas cujos ícones serão ali fixados) e os usados mais recentemente, que vão se revezando na parte inferior do painel. Para abrir um destes programas, basta clicar em seu ícone. É um negócio bastante conveniente, mas sempre é bom lembrar que qualquer ícone que o usuário tenha lá fixado poderia igualmente ser fixado na Barra de Tarefas, onde estaria ainda mais facilmente ao alcance do usuário, posto que esta barra permanece aberta, enquanto para abrir um programa a partir do menu Iniciar é preciso, antes, abrir o próprio menu.

Abaixo do painel esquerdo há uma entrada “Todos os Programas” e, sob ela, uma caixa de pesquisas. Um clique na entrada “Todos os Programas”, como seria de esperar, abre a lista de todos os programas instalados. É principalmente por meio dela que os usuários de Windows 7 têm acesso aos programas que desejam usar. Já a caixa de pesquisas permite efetuar buscas por termos (em geral nomes de programas) nos dispositivos de armazenamento do computador.

O painel direito do menu Iniciar de Windows 7 oferece um rico conjunto de entradas, algumas das quais podem ser eliminadas ou substituídas por outras de uma relação limitada oferecida na janela “Personalizar o menu Iniciar” à disposição do usuário. O painel dá acesso a pastas escolhidas pelo usuário (documentos, imagens, música, etc.) e a algumas utilíssimas ferramentas de ajuste e administração da máquina. Além do botão “Desligar”, que permite não somente que o usuário desligue a máquina como cumpra outras tarefas, como pô-la (pô-la, que língua, a nossa…) em estado de suspensão, reinicializá-la e coisas que tais.

Eis aí o Menu Iniciar de Windows 7 e todas as suas funções.

Não mais que de repente é lançado Windows 8 que, no sagrado local dedicado ao culto e veneração do menu Iniciar, traz uma janelinha meio besta que, (na versão 8.1, a que presta) ao se clicar nela, passa-se da Área de Trabalho para a detestadíssima tela Iniciar e ao se clicar novamente volta-se a Área de Trabalho. E mais nada.

Os devotos de Windows 7 imediatamente se alevantaram em coro contra o sacrilégio e iniciaram sessões de vigília, pranto e lamentação pelo passamento do adorado ícone, além de se recusarem a usar Windows 8.x enquanto seu objeto de veneração não fosse restaurado.

Mas, afinal, de que sentiram tanta falta?

Do painel esquerdo não há de ter sido. Pois os ícones dos programas que lá se aninham podem perfeitamente serem aninhados na Barra de Tarefas para lá serem diretamente acionados. E com um clique de mause a menos, diga-se de passagem.

Da lista de “Todos os Programas” também não haverá de ter sido, já que em Windows 8.1 pode-se ter acesso a ela, muito maior e ocupando toda a tela, no máximo com os mesmos dois cliques (caso se esteja na interface Área de Trabalho; se na interface Tela Iniciar, basta um).

GPC20141024_3Telas Iniciar e Aplicativos do Windows 8 (Foto: Reprodução/B. Piropo)

Vamos ver como.

Quem estiver no ambiente da Área de Trabalho, basta clicar na detestada janelinha branca que substituiu o Botão Iniciar para passar para a Tela Iniciar (mostrada no alto da Figura 3); e, em lá chegando, executar um segundo clique na pequena seta voltada para baixo assinalada pela seta vermelha na Figura 3, passando assim para a tela Aplicativos, que mostra, ora quem diria, a lista de “Todos os programas”, mostrada na parte inferior da Figura 3, com – veja só! quem poderia imaginar? – os ícones de todos os programas, bem maiores e com os nomes mais legíveis que no menu “Todos os programas” do menu Iniciar de Windows 7 – tão bem organizados cá como lá.

Talvez então tenham sentido falta da caixa de pesquisas?

Dificilmente.

Pois, de qualquer ambiente em que se esteja, basta arrastar o ponteiro do mause para a borda direita da tela (ou teclar Windows+C) para fazer surgir a barra lateral de “Charms” (que nome besta, sô) e então clicar no ícone em forma de lupa, “Pesquisar”, no topo da barra para abrir a caixa de pesquisas. E os que detestam a Barra de Charms podem obter o mesmo resultado clicando no ícone em forma de lupa (assinalado pela seta amarela na Figura 3) próximo ao canto superior direito da tela Iniciar (aonde se chega com um único clique no botão Windows caso não se esteja nela). Isso tudo com a vantagem adicional de que, se o usuário assim o desejar, a busca pode ser muito mais ampla que a deflagrada pela entrada correspondente do menu Iniciar de Windows 7 e se estender por toda a Web (observem que estou citando apenas os procedimentos com teclado e mause, pois são justamente os usuários de Windows 7 em máquinas sem telas sensíveis ao toque os que mais lastimam o finamento do menu Iniciar).

Bem, se não sentem falta do painel esquerdo, então os que reclamam certamente sofrem pelo sumiço do direito, com suas utilíssimas funções. Mas será que algum deles teria eventualmente experimentado clicar com o desprezado botão direito do mause sobre o tão detestado botão Windows de Windows 8.x? Se o tivesse feito, o resultado obtido seria a aparição do menu de contexto mostrado na Figura 4.

GPC20141024_4 (Foto: GPC20141024_4)Menu de contexto do Botão Windows em Windows 8 (Foto: Reprodução/B. Piropo)

Agora, compare seu conjunto de opções com os oferecidos pelo painel direito do tão badalado Menu Iniciar de Windows 7. É certo que faltam as pastas Documentos, Imagens, etc., mas estas são facilmente alcançadas no antigo Windows Explorer (agora Explorador de Arquivos) e atalhos para elas podem ser criados tanto na própria Área de Trabalho quanto na Barra de Tarefas. E falta ainda o “Computador”, mas neste caso apenas o nome foi trocado: ele pode ser acessado pela entrada “Explorador de Arquivos” do menu de contexto. Que inclui ainda a entrada “Executar” e diversas outras, como “Conexões de Rede”, “Prompt de comando” e outras tantas que fazem parte do conjunto de personalização do menu Iniciar de Windows 7.  Mas agora, com um punhado de novas entradas, veja que enorme facilidade para gerenciar o computador este novo menu oferece. Inclui o Painel de Controle, a opção “Desligar ou sair” com todas as entradas do botão desligar do painel direito do perecido menu Iniciar do Windows 7 e mais uma enorme variedade de ferramentas, sem esquecer da entrada “Pesquisar” acima mencionada. E de ferramentas poderosas como “Gerenciamento de discos” e “Visualizador de eventos”. Aqui entre nós: no que me diz respeito, este arranjo é muito, mas muito melhor do que o defunto menu Iniciar, de Windows 7.

Em suma: apesar do coro de lamentações provocado pela substituição do velho menu Iniciar do Windows 7 pelo botão Windows e seu menu de contexto em Windows 8, no que me diz respeito a nova configuração ficou incomparavelmente melhor, mais fácil de usar e oferecendo um elenco de opções muito mais rico. Então, para que minha opinião (com a qual muitos discordarão mas certamente não discutirão meu direito de emiti-la) fique bem clara: a troca do menu Iniciar de Windows 7 pelo botão Windows da versão 8.x trouxe uma melhora significativa. E qualquer pessoa que dedique algum tempo a aprender a usar a nova interface e a descobrir como executar velhas funções de uma nova maneira tenderá a concordar comigo.

Ou não, como diria Caetano.

Mas seja lá como for e atendendo ao velho ditame que alega ter o freguês sempre razão, a Microsoft decidiu ressuscitar o Menu Iniciar em Windows 10.

Aqui está ele, na Figura 5, em todo seu brilho e esplendor.

GPC20141024_5O menu iniciar do Windows 10 reúne o botão do Windows 7 e a interface metro do Windows 8 (Foto: Reprodução/B. Piropo)

Enfim, o tão esperado menu Iniciar de Windows 10. Com seus dois painéis, com a entrada “Todos os aplicativos”, “Pesquisar” e um painel direito com alguns dos blocos da tela Iniciar de Windows 8.x.

Mas o que se pode fazer com ele que não se podia fazer sem ele em Windows 8.x?

Por mais que eu matute, não consigo descobrir.

No que toca ao painel direito, quem desejasse acesso a seus blocos, bastava buscá-los na tela Iniciar – que agora está quase inalcançável, pois por decisão de algum sábio de Seattle, em Windows 10 ou se usa o menu Iniciar ou a tela Iniciar e passar de um para outro exige sair do sistema e efetuar novo registro (“login”). Quer dizer: do ponto de vista da disponibilidade de blocos para acionar programas a coisa ficou bem pior, pois por mais que o usuário tente arrumá-los no painel direito do novo menu Iniciar de Windows 10 (que pode ser tão largo quanto se queira mas que, ao menos pelo que pude perceber, tem altura fixa) seu número fica bem menor. E não sei se você percebeu que eu evitei me referir a eles usando o adjetivo “dinâmico” pois, pelo que pude notar, eles não mais se atualizam. Quer dizer: se transformaram em meros ícones redimensionáveis.

No que toca ao painel esquerdo, é fato que a lista de programas lá está, assim como a entrada “Todos os programas”. Mas, se comparados aos da tela Aplicativos de Windows 8 (mostrada na parte inferior da Figura 3) tanto os ícones quando os nomes dos programas ficaram menores, espremidos na largura fixa do estreito painel. E como enquanto se usa o menu Iniciar não mais se tem acesso à tela “Aplicativos”, ficou bastante mais difícil encontrar o programa que se deseja. Quer dizer: de fato o menu Iniciar de Windows 10 trouxe de volta os ícones e nomes dos programas, mas ficou muito mais difícil localizá-los lá que na tela “Aplicativos”.

Então, que tipo de melhoria trouxe o ressurreto menu Iniciar de Windows 10?

A meu ver nenhuma.

Foi o tipo da coisa diante da qual o papagaio da piada desferiria seu comentário clássico: “mas que mágica besta”.

Ainda bem que, felizmente, mantiveram no menu Iniciar de Windows 10 o mesmo – e excelente – menu de contexto de Windows 8.

Mas, cala-te boca.

Antes que tirem

B. Piropo

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Tiago Pereira
    2015-10-23T14:41:19

    Eu tinha o windos 8.1 com o start 8 agora tenho o windos 10 com o start10. Pra mim ficou perfeito o windos 8.1 ou o windows 10 com cara de windows 7 no menu iniciar.

  • Paulo Cesar
    2015-01-30T16:56:33  

    Piropo, estou contigo nessa de achar que o menu iniciar não faz falta no Windows 8. Aliás, eu devo ser um dos poucos extra-terrestres que gostam do Windows 8, para ter uma idéia, eu nem instalei o 8.1; acho o Windows 8 um excelente sistema operacional: estável, seguro, prático e muito, muito bonito.

    recentes

    populares

    • Paulo Cesar
      2015-01-30T16:56:33  

      somos 2 quando eu tinha o windows 8 eu amava mais meu pc nao atendia aos requisitos e tive que voltar para windows 7

    recentes

    populares

    • Paulo Cesar
      2015-01-30T16:56:33  

      Somos 3 instalei o 10 mas já estou voltando para o 8!

  • Joao Tonetti
    2015-08-31T00:13:27

    Senhor Piropo concordo plenamente com o senhor.

  • Sylvio Pascolato
    2014-10-24T11:55:49  

    Matéria tendeciosa como sempre. Se esta dificil saber porque a volta, veja pelo lado comercial, assim como vocês, vide anuncios da sony, nokia e outros mais, é preciso atender a todos. simplesmente isso. Outra coisa, ja saiu uma matéria e um video também explicando o porque do W10, da procurada também.

    recentes

    populares

    • Sylvio Pascolato
      2014-10-24T11:55:49  

      Todo Mundo sabe porque Windows 10 ! Porque o Windows 9 foi trocado pelo 8.1

    recentes

    populares

    • Sylvio Pascolato
      2014-10-24T11:55:49  

      Benito Piropo, boa noite. Fiz um comentário construtivo no qual acredito que vá ajudar a melhorar a matéria. Grande abraço!

  • Elcio Tomboly
    2015-08-12T13:04:59  

    O Palmeiras não tem mundial!

    recentes

    populares

    • Elcio Tomboly
      2015-08-12T13:04:59  

      Parabéns pelo comentário idiota.

  • Raoney Amorim
    2015-08-10T12:15:17

    O Windows 8.1 meu foi atualizado para o Windows 10, mais o menu não funcionou então tive que retroceder novamente!

  • André Aires
    2015-08-01T19:21:19

    Eu sou um dos muitos que odiaram o windows 8 e sequer vou usá-lo. Vou direto para o windows 10 sem ter passado pelo 8 mais que 10 minutos, graças a Deus a empresa não trocou para esse maldito 8. Não sei porque de mexerem em time que já estava ganhando há tanto tempo.

  • Mikael Maya
    2015-03-25T13:49:42

    "Mas o que se pode fazer com ele (iniciar do W7) que não se podia fazer sem ele em Windows 8.x?" Que tal, acessar os arquivos e configurações sem precisar entrar em um menu (que é bonito) que ocupa toda a tela, o que faz muito sentido em uma tela de 4/7 polegadas de um smartphone/tablet, mas é algo ridículo em 2 monitores de 27"??? Chega a ser idiota debater sobre isso.

  • João Junior
    2015-02-04T23:23:07

    como volto para o meu antigo windows 7, eu vou nas configurações mais quando eu aperto na opção de voltar para a antiga versão, não vai diz que não tenho os programas necessários, voçê pode me dizer que programas são esses?

  • Itagiba Neto
    2014-11-03T14:23:14  

    Na minha opinião, quem sentiu falta do botão iniciar teve é preguiça de descobrir como funcionava o Windows 8. Sem falar em muita má vontade... Eu achei um ENORME RETROCESSO a volta do menu iniciar... A MS deveria dar a opção para quem quer ter o menu iniciar e quem não quer ter...

    recentes

    populares

    • Itagiba Neto
      2014-11-03T14:23:14  

      É só ir em propriedades da barra de tarefas e desabilitar. Nesse Windows você pode ter as duas funções.

    recentes

    populares

    • Itagiba Neto
      2014-11-03T14:23:14  

      Eu achei e acho a "Tela iniciar" muito mais funcional e moderna do que o "Menu iniciar">

  • Fabiano Valle
    2014-12-29T13:21:12

    O windows 10 nada + é que a copia do 7 e do 8 só que pior que o 7 e um pouco melhor que o 8. 1.erro na inicialização do PC só inicia com a conta do proprietário ou com outra conta que ele botar deixando assim o seu e-mail aberto para para qualquer um possa ver e com isso podendo se fazer varias alterações em suas contas,e com isso impedindo outras pessoas de desfrutar o PC quando vc não estiver. 2. não da para instalar o drive da placa mãe e outros. 3. programas e Gadgets que não te compatibilidade com o sistema. Resumindo a microsoft jogou mais um sistema no lixo, O 7 e o melhor até hoje.

  • Diego Silva
    2014-11-03T23:08:32

    pessoal, eu também não gostei da volta do menu iniciar. gostei muito da tela inicial e já estava pensando em mandar essa sugestão de o usuário ter a opção de usar a tela inicial. daí assistindo a um vídeo de dicas no próprio site do Windows 10 eu vi que já existe essa possibilidade! BOTÃO DIREITO NA BARRA DE TAREFAS -> PROPRIEDADES -> GUIA MENU INICIAR -> DESMARCAR A OPÇÃO "USAR O MENU INICIAR....". Pronto! TELA INICIAR novamente!

  • João Batista
    2014-10-25T23:18:24

    você tem toda razâo prefiro o menu do win 8 e bem pratico e muiito melhor que do win 7 pesso por favô mantem a tela iniciar do win 8 porque e muito eficiente

  • Valderi Silva
    2014-10-25T10:32:18

    Comentário mais idiota. E quem tempo em seu trabalho de ficar procurando um programa no menu pesquisar ou em teclas de atalho, amigo? Para quem tem tempo de ficar fuçando no computador em seu quarto, é fácil dizer que o 8 é melhor. Mas quem tem pressão, chefe na sua cola e pouco tempo, o negócio é simplificar e o 7 e 10 fazem essa diferença.

  • Wagner Nascimento
    2014-10-24T16:47:19

    Ótima matéria pois expressa opiniões muito parecidas com as minhas, porem tenho certeza que todos (se não a maioria) dos comentários não concordaram com a mesma, ainda não instalei o preview por preguiça porem em breve instalarei, fico triste com a perca dos blocos dinâmicos. Porem a maioria vence e se a maioria acha que ir até o menu iniciar e procurar o programa desejado é melhor do que simplesmente digitar o nome do programa e o mesmo aparecer instantaneamente na tela, .fazer o que né? Enquanto houver suporte ficarei no Windows 8.1 e as comodidades oferecidas pelo mesmo

  • Daniel Herszenhaut
    2014-10-24T12:14:57  

    O que dizem é que a MS pulou o Windows 9 pois alguns softwares poderiam se confundir e achar que seria o Windows 95/98. Eu não acreditei muito nisso não.

    recentes

    populares

    • Daniel Herszenhaut
      2014-10-24T12:14:57  

      Sim. É verdade. Muitas aplicações utiliza em seu código o WIN9x que serve tanto para o windows 95 quanto para o 98. Isto poderia gerar muitos bugs nessas aplicações. Por isso foi tomada a decisão de pular para o windows 10.

  • Guilherme Barros
    2014-10-24T11:42:14

    Acredito simplesmente em algumas questões de usabilidade foram levadas em conta com relação ao menu iniciar e do por que quererem o seu retorno... Quando se está no desktop, a area de trabalho é o ponto de partida, clicar no iniciar ou acessar via teclado, e "trocar de tela" pareceu ter assustado os usuarios quando uma pequena "janelinha" sobrepoe menos de um quarto parece menos dramática... Pra mim, prefiro a do windows 7 e tive que "dar um jeitinho" pra colocá-la no 8.1, o que entre gregos e troianos deveria ser opção nativa. Quem gostou adere, quem não gostou permanece como antes...