Internet

06/02/2015 07h52 - Atualizado em 06/02/2015 08h20

Intel entrega Edison a 30 desenvolvedores brasileiros na Campus Party

Melissa Cruz Cossetti
por
da Campus Party

O Edison, microcomputador da Intel do tamanho de um cartão SDE com processamento de uma máquina dual core, chegou ao Brasil a partir de R$ 650. Campuseiros terão desconto de 15% na compra do chip de prototipagem, assim como na versão anterior, o Galileo. Jomar Silva, gerente da comunidade software da Intel, explica como ele pode ser aplicado e fez a rápida montagem de um termômetro.

Acompanhe a Campus Party 2015 minuto a minuto



No lançamento, 30 desenvolvedores receberam as primeiras peças do país. A ideia é aplicar em projetos que eles já vem desenvolvendo em paralelo com a Intel e dar um upgrade nos que usam o Galileo. José Damico, que trabalha com tecnologia para agricultura, ficou animado com a chegada do Edison para outros desenvolvedores. O executivo da SciCrop monta estruturas para monitorar remotamente fazendas, com aparelhos que reúnem dezenas de sensores gerenciados pelo chip.

Edison, microcomputador dual core da Intel, do tamanho de um cartão SD (Foto: Melissa Cruz/TechTudo)Edison, microcomputador dual core da Intel, do tamanho de um cartão SD (Foto: Melissa Cruz/TechTudo)

"Nós costumávamos trabalhar com placas de prototipação baseadas em processadores ARM, mais baratos e populares. Mas, no nosso caso, em que precisamos do tratamento de imagem em tempo real, o processador Intel Atom faz isso com eficiência maior", explica. 

Silva afirma que o Edison pode ser usado desde aplicações simples, para quem está iniciando em prototipagem, como em casemods e em máquinas maiores. Para o TechTudo, ele demonstrou a montagem de um termômetro, com sensor de temperatura e um pequeno display, usando o Edison.

Qual é a melhor atração da Campus Party 2015? Comente no Fórum do TechTudo.

"Vou usar um display, um kit tradicional de arduino, vou espetar ele em cima do Edison, vou usar um botão e um sensor de calor", explica. Parece mágica, tudo é montado muito rápido e funciona de pronto. "Em três ou quatro minutos, está feito o termômetro. Com a mesma facilidade que eu fiz isso, eu posso jogar essa informação na nuvem e monitorar via Internet a temperatura da minha casa", diz.

Jomar Silva, gerente de comunidade software Intel, monta protótipo com Edison (Foto: Melissa Cruz/TechTudo)Jomar Silva, gerente de comunidade software Intel, monta protótipo com Edison (Foto: Melissa Cruz/TechTudo)



O microcomputador, que cabe no bolso, pode tomar outras formas. Uma delas é "Homem de Ferro", casemod montado pelo campuseiro Alexandre Ferreira. Ele explica que atualmente usa o Galileo, modelo anterior ao Edison. Construído em parceria com Silva, o robô ganhou um aplicação Android e é controlado por um tablet. Ferreira diz que não vai participar de competições de hardware e que seu objetivo na Campus Party é dividir o conhecimento e despertar novos interessados no tema.

"Eu não vou competir. Venho para compartilhar o meu conhecimento com essa galera que ainda está chegando e se interessando por casemods", explica ele, que participa de oficinas ao cair da noite.

Casemod do Homem de Ferro construído com Galileo, da Intel, na Campus Party  (Foto: Melissa Cruz/TechTudo)Casemod do Homem de Ferro construído com Galileo, da Intel, na Campus Party (Foto: Melissa Cruz/TechTudo)

É certo que o Edison abriu sorrisos largos na Campus Party. Quem curte casemods, robótica e prototipagem poderá se aventurar com o novo chip e encontrá-lo, agora, também no Brasil.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Geraldo Gomes
    2015-02-06T10:10:12

    Vinda da Intel, ela tinha condição de ofertar mais barato que o Raspberry Pi, que assim ia impulsionar muitas novas criações.