Internet

05/02/2015 20h47 - Atualizado em 09/02/2015 11h23

Terceiro dia de CPBR 8 tem Paul Zaloom, Leo Burd e 'Zuckerberg Italiano'

Laura Martins
por
Para o TechTudo

A Campus Party iniciou seu terceiro dia nesta quinta-feira (5), com uma presença ilustre: Paul Zaloom. O ator ficou mundialmente conhecido nos anos 90 com o programa “O mundo de Beackman”. No palco principal, ele interagiu com a plateia e chamou campuseiros para subir e ajudá-lo em atividades. O dia contou ainda com Leo Burd, o brasileiro que realiza pesquisas no MIT Media Lab e Matteo Achilli, conhecido como "Zuckerberg italiano"; veja os destaques.

Paul Zaloom, famoso por fazer O Mundo de Beakman. (Foto: Laura Martins/Techtudo) (Foto: Paul Zaloom, famoso por fazer O Mundo de Beakman. (Foto: Laura Martins/Techtudo))Paul Zaloom, famoso com o programa o 'O Mundo de Beakman', na CParty 8. (Foto: Laura Martins/TechTudo)

Acompanhe a Campus Party 2015 minuto a minuto

Paul Zaloom

Assim como no programa de televisão, Paul ensinou alguns simples experimentos baseados em "ciência simples". Um dos que mais chamou atenção teve a ajuda de três voluntários. Dois deles seguraram um balão, enquanto Paul e o terceiro voluntário seguravam outro. A brincadeira consistia em quem conseguiria enchê-lo primeiro.

Uma campuseira tentou soprar, sem sucesso. Enquanto isso, somente com um assopro, com a boca do saco aberta, Paul o encheu. A brincadeira serviu para mostrar como fazemos coisas simples errado, por total desconhecimento. O interesse pela ciência, nos ajuda também no dia a dia.

“Se colocamos o balão na boca e tentamos encher, o deforme dele atrapalha o caminho do ar. Por isso, assoprar de longe é mais efetivo”, explicou Zaloom.

Após a palestra o ator ainda enfrentou uma fila de campuseiros querendo autógrafos e, claro, registrar uma selfie.

Leo Burd

Depois, foi a vez de o palco receber Leo Burd, brasileiro que realiza pesquisas no MIT Media Lab. O cientista é focado em inovações na área social, utilizando a tecnologia para melhorar a vida de pessoas. Para ele, a primeira lição a ser aprendida é a diferença entre democratização da informação e informática para a democratização.

Palestra Leo Burd no Palco Mundo da CPBR 8 (Foto: Laura Martins / TechTudo)Leo Burd no Palco Terra (Foto: Laura Martins / TechTudo)

“A democratização da informação distribui acesso ao computador e Internet. Mas, se você realmente quiser que as pessoas usem o computador para tornar a sociedade mais justa e divertida, precisa criar novas coisas, usando a informática para a democratização”, pontua.

Para inspirar os brasileiros, Leo trouxe três diferentes projetos implantados em comunidades dos Estados Unidos. O primeiro deles se chama “What´s Up” , que coloca a agenda de uma comunidade na Internet e, em seguida, distribui em canais mais abrangentes, como letreiros luminosos, folhetos e SMS. O segundo é o Scratch, site de programação infantil que ajuda no aprendizado de desenvolvimento. Por fim, mostrou o App Inventor, também focado em desenvolvimento e, mesmo sendo um pouco mais complexo, ensina as pessoas a criarem aplicativos móveis simples.

Gary Whitehill

O terceiro palestrante do dia foi Gary Whitehill, especialista em empreendedorismo. Focou nas empresas que mais crescem no mundo para inspirar outras companhias no que devem fazer para melhorar seu mercado.

Palestra de Gary Whitehill sobre inovação no mundo dos negócios (Foto: Laura Martins / TechTudo)Palestra de Gary Whitehill sobre inovação no mundo dos negócios na CParty 8 (Foto: Laura Martins / TechTudo)

Segundo ele, três segredos fazem uma empresa de sucesso: cultura, processo e conhecimento. Entre os principais ensinamentos da área está a necessidade de ter uma missão, estratégia e tática. “Cultura está em tudo o que você faz. A sua paixão, o que você sente é o que move as pessoas. E quem administra e cria as empresas? Pessoas”, afirma.

O processo é o que o fará uma companhia funcionar. Uma empresa tem que saber como fará o seu negócio acontecer para que consiga criar um projeto de sucesso. Os processos são diretamente ligados à cultura e ambos são necessários para que a engrenagem funcione. Por fim, é preciso conhecimento. Sem conhecimento, a cultura e o processo não poderão funcionar.

John Cioffi

John Cioffi, criador da Assia, buscou explicar quais são os principais motivos da conexão de Internet quase nunca ter a qualidade esperada. Apesar de sempre culparmos a operadora, Cioffi explica que muitas vezes o problema está em picos de tráfego ou em interferências no roteador.

Palestra de John Cioffi na Campus Party 2015 (Foto: Laura Martins / TechTudo)John Cioffi na CParty 8 (Foto: Laura Martins / TechTudo)

“A Internet das coisas, a alta demanda de internet, fotos e todos os devices tornam mais difícil a boa qualidade”, afirma.

Qual é a melhor atração da Campus Party 2015? Comente no Fórum do TechTudo

“Uma das causas é o aumento da visualização de vídeos, que consume parte do tráfego de alguns horários”, explica. Para entender melhor, o especialista faz uma analogia com uma festa. Quando muitas pessoas estão juntas, todas acabam falando mais alto. O mesmo ocorre quando diferentes devices utilizam a mesma rede, deixando o tráfego com pico e, por consequência, mais lento. Para saber se a Internet está sendo utilizada de maneira errada, Clioff diz que existem aplicativos que ajudam a diagnosticar, analisar e otimizar.

Matteo Acheli

No início da noite, o Palco Terra deu vez para o jovem italiano Matteo Achilli, apelidado na imprensa de seu país como "Zuckerberg italiano". O título lhe rendeu sorte, admitiu o dono da plataforma de currículos virtuais, que desde o lançamento do site foi capa da revista italiana “Panorama Economy” e um dos focos de um documentário da rede inglesa BBC chamado ”Os Próximos Bilionários”.

Matteo Achili, o ''Zuckerberg italiano'', conta a sua experiência como empreendedor (Foto: Paulo Finotti/TechTudo) (Foto: Matteo Achili, o ''Zuckerberg italiano'', conta a sua experiência como empreendedor (Foto: Paulo Finotti/TechTudo))Matteo Achili, o ''Zuckerberg italiano'', conta a sua experiência na CParty 8 (Foto: Paulo Finotti/TechTudo)

Achilli conta que sua plataforma, a Egomnia, foi um sucesso instantâneo: 100 mil usuários em uma semana e cadastros de cerca de 900 empresas. Tudo isso com uma taxa de desemprego de 40% no país italiano.

O empreendimento teve como base sua experiência na universidade onde, como ele mesmo admitiu, não era bom aluno: "Eu dormia no campus”, conta.

O sistema criado por ele pontua currículos e facilita a comunicação entre empregadores e pessoas que almejam um emprego e tem o poder de transformar uma situação ruim como a crise européia em oportunidades. "No Egominia não há somente códigos, há algo a mais. Há um movimento novo de ideias”, garante.

Acheli fechou sua participação na Campus Party dizendo que gostaria de lançar a plataforma em português, e ainda arranhou um "Obrigado Brasil” com bastante sotaque. Seja sempre bem-vindo, Matteo!


Perto das 20h, foi informado, porém, que o austronauta da NASA Reid Wiseman, que faria uma palestra logo mais no Palco Terra, não compareceria. O motivo dado pela assessoria foi que a companhia aérea havia cancelado o vôo três vezes, tornando impossível a chegada a tempo do magistral. O astronauta chegou a enviar um vídeo de desculpas que foi veiculado.

Reid Wiseman (Foto: Reprodução/Campus Party)Reid Wiseman pede desculpas por ausência na Campus Party 2015 (Foto: Reprodução/Campus Party)


Dado Schneider, que fez sucesso na Campus Party do ano passado com a ''Palestra Muda'', substituiu Wiseman. Carismático, encheu o de espectadores o Palco Terra e animou com a ideia do "mudo", que marca seu estilo.

A Campus Party 2015 vai até domingo (8), com programação no Palco Terra até o sábado (7).

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares