Internet

05/06/2015 08h04 - Atualizado em 05/06/2015 11h27

Doodle do Google celebra 94 anos da estilista Zuzu Angel; veja homenagem

Aline Jesus
por
para o TechTudo

Zuzu Angel recebeu uma homenagem do Doodle do Google, nesta sexta-feira (5), data em que faria 94 anos, se estivesse viva. A estilista brasileira que ficou conhecida internacionalmente não ganhou reconhecimento apenas pelo trabalho com moda, mas também pela procura de seu filho Stuart Angel, desaparecido político na ditadura. Zuleika (Zuzu) Angel Jones, nascida Zuleika de Souza Netto, morreu de maneira trágica, 14 de abril de 1976, ao capotar com seu carro em um túnel na Zona Sul do Rio.

Windows 10: 20 coisas que você precisa saber antes de instalar o PC

Doodle Zuzu Angel (Foto: Reprodução/Google)Zuzu Angel ganha homenagem do Doodle do Google (Foto: Reprodução/Google)

Nascida em Minas Gerais, por muitos anos a morte de Zuzu em um acidente de carro no Rio de Janeiro foi motivo de discussões políticas. Em 2014, a Comissão Nacional da Verdade confirmou que agentes da repressão do DOPS, Departamento de Ordem Política e Social, tiveram participação no ocorrido.

Zuzu Angel inseria em suas confecções detalhes de sucesso (Foto: Reprodução/Acervo Globo)Zuzu Angel inseria em suas confecções detalhes de sucesso (Foto: Reprodução/Acervo Globo)

História de Zuzu Angel na Moda

Zuzu começou a costurar e criar modelos ainda criança, quando fazia roupas para as primas em Minas Gerais. Foi para a Bahia, de onde recebeu muitas influências no seu trabalho e, no fim dos anos 40, mudou-se para o Rio de Janeiro. Por volta de 1950 começou a trabalhar como costureira e trilhar caminho na área da moda. 

Vinte anos depois, a estilista investiu seu dinheiro em uma loja na Zona Sul do Rio de Janeiro, em Ipanema. Pioneira na moda brasileira, misturava rendas, sedas, fitas, muito estampado e pedras brasileiras, fragmentos de bambu e de madeira, além de conchas. Fez sucesso não só no país como em todo o mundo, principalmente nos Estados Unidos, país de origem do marido Norman Angel Jones.

Embates com a ditadura

Stuart Angel, filho de Zuzu Angel, era estudante de economia e se juntou ao grupo MR-8, uma das organizações que combatiam a ditadura militar instaurada em 1964 no Brasil. O jovem foi preso em 14 de abril de 1971. Ele teria sido torturado e morto pelos militares, que o declararam desaparecido.

Com a perda do filho, Zuzu começou uma luta contra a ditadura. Pela recuperação do corpo de Stuart, a estilista envolveu seu trabalho e até mesmo os Estados Unidos nas buscas. Ela lançou uma nova coleção estampada com manchas vermelhas, pássaros engaiolados e a temática de cunho bélico.

O anjo, ferido e amordaçado em suas estampas, tornou-se um símbolo da luta. Em 1971, chegou a fazer um desfile-protesto no consulado brasileiro de Nova York. Sua luta ficou reconhecida em todo o mundo, sendo destaque em diversos veículos de imprensa e virando filme em 2006, "Zuzu Angel".

Envolvida ativamente na causa, Zuzu Angel chegou a entrar em contato com diversas celebridades e autoridades americanas e europeias para que lhe ajudassem. No entanto, pouca coisa adiantou. O corpo de Stuart nunca foi encontrado e ele continuou sendo tratado como desaparecido político.

Morte em acidente

A busca de Zuzu pelo corpo do filho se encerrou de maneira trágica na madrugada de 14 de abril de 1976. O carro que ela dirigia derrapou na saída de um túnel no Rio de Janeiro, capotou e caiu na estrada. A estilista morreu na hora. Uma semana antes do acidente, Zuzu deixara na casa do cantor Chico Buarque um documento que dizia: “Se eu aparecer morta, por acidente ou outro meio, terá sido obra dos assassinos do meu amado filho”, dizia a carta.

O caso foi investigado durante décadas até que, em 2014, Cláudio Antônio Guerra, ex-agente da repressão que operou como delegado do DOPS do Espírito Santo,escreveu o livro Memórias de uma Guerra Suja, dando detalhes de diversos crimes da época, incluindo a morte de Zuzu Angel.

Em 2014 a morte de Zuzu foi investigada e comprovada na Comissão da Verdade (Foto: Acervo Globo)Em 2014 a morte de Zuzu foi investigada e comprovada na Comissão da Verdade (Foto: Reprodução/Acervo Globo)

Guerra destacou a presença do coronel do Exército Freddie Perdigão, famoso agente da repressão e torturador, em uma das fotos do local do acidente que matou a estilista, tirada em 14 de abril de 1976. Para a Comissão da Verdade, que investigou o caso, a imagem era uma comprovação do envolvimento de militares na morte de Zuzu.

Anos depois, a estilista foi homenageada com uma música de Chico Buarque, um romance de José Loureiro e um filme de Sérgio Rezende, no qual foi interpretada por Patrícia Pillar. Em 1993, sua filha Hildegard Angel criou o Instituto Zuzu Angel de Moda do Rio de Janeiro e, em 2000, a estilista foi enredo da União da Ilha do Governador.

Túnel Zuzu Angel

O Túnel Zuzu Angel, antes do ocorrido, era conhecido como Túnel Dois Irmãos, ligando o bairro da Gávea a São Conrado, na Zona Sul da cidade carioca. A passagem mudou de nome em homenagem à estilista, encontrada morta em um de seus acessos, entre as ferragens do seu Karmann Ghia. 

*Colaborou Isabela Giantomaso

Qual foi o melhor Doodle da história do Google? Opine no Fórum do TechTudo.


Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Julio Cardoso
    2015-06-05T18:07:19

    É assim o estado de exceção caros coxinhas... Ditadura nunca, nunca, nunca mais!

  • Marcelo Silva
    2015-06-05T14:56:08

    Simplesmente uma heroína inesquecível exemplo de amor de mãe.