10/07/2015 11h42 - Atualizado em 13/07/2015 10h39

FISL 16: Biometria facial pode ser futuro das senhas e eliminar fraudes

Giordano Tronco
por
do FISL 16

Uma tecnologia que pode ser usada no reconhecimento de vítimas de um desastre natural, no controle de fraudes em compras e na localização de crianças perdidas num shopping. Esse é o OpenBR, uma biblioteca algorítmica capaz de identificar pessoas escaneando seus rostos, e que foi apresentada na 16ª edição do Fórum Internacional Software Livre (FISL), em Porto Alegre.

Desenvolvida por Alessandro “Cabelo” Faria (sócio da OITI Technologies), a tecnologia é capaz de realizar a chamada biometria facial, que "enxerga" o rosto da pessoa e pode tirar conclusões a partir da leitura. Faria ensinou a operacionalizar o algoritmo durante a sua palestra na última sexta-feira (9) no FISL. Se antes isso fazia parte apenas de ficções como O Exterminador do Futuro, prepare-se: a partir de agora vai fazer do seu cotidiano.

FISL 16: expert compara regiões e revela cidade com pior Internet do Brasil

Fisl 2016 (Foto: Giordano Tronco / TechTudo)Alessandro Faria apresentou seu projeto na FISL 16 (Foto: Giordano Tronco/TechTudo)

A diferença do OpenBR para outras tecnologias de biometria facial é que ele é livre e gratuito, ou seja, qualquer programador pode usar o código e até modificá-lo. Uma tecnologia biométrica livre, aliada a uma nova geração de smartphones, tablets e notebooks com câmeras 3D - como o Dell Venue 8 7000, que chega em breve ao Brasil -, deve causar uma revolução nas tecnologias de certificação, nas senhas de login até no uso de cartões.

Aplicações

O OpenBR foi originalmente desenvolvido para proteger as pessoas de fraudadores. “As quadrilhas estão tão sofisticadas que  são capazes de roubar uma identidade e refazê-la perfeitamente, só mudando a sua foto”, explica Faria.

Para combater esse tipo de crime, ele usou o OpenBR para desenvolver o Certiface, software que cria um banco de dados com os rostos de todos os clientes que utilizam as lojas. Desse modo, um cliente que já tenha feito um cartão numa loja ou supermercado não pode fazer novos cadastros, mesmo que tenha vários documentos de identidade falsos.

Outro ponto interessante é que todas as lojas usuárias do Certiface compartilham o mesmo banco de dados e o alimentam colaborativamente com novos registros de clientes. Se alguém for pego como fraudador, fica o registro para todas.O Certiface já é usado pelas lojas Paquetá Calçado e está em processo de adoção em outras companhias.

Faria elenca outros usos para a biometria facial. Ele lembra, por exemplo, que a tecnologia foi usada durante os terremotos no Japão em 2011 para reconhecer o corpo de vítimas. Outra utilidade é a substituição de senhas para login por um sistema de reconhecimento do rosto do usuário.

Desse modo, só é preciso ficar na frente da webcam ou câmera do seu dispositivo para logar. Se você vive esquecendo as suas senhas de e-mail, Facebook e outras redes sociais, pode respirar aliviado, a solução está a caminho.

FISL 16 (Foto: Giordano Tronco/TechTudo)Tecnologia pode fazer login em redes sociais usando seu rosto, por exemplo (Foto: Giordano Tronco/TechTudo)

Privacidade

O potencial do OpenBR é gigantesco. Faria conta que o algoritmo consegue reconhecer rostos em multidões. Em testes com 100 pessoas no mesmo quadro, o OpenBR reconheceu 99 dos rostos. Aliado a uma câmera 3D, o programa não confunde fotos com rostos reais e é capaz de identificar pessoas disfarçadas (com chapéu, óculos ou cabelo diferente).

Agora, imagine se essa tecnologia fosse utilizada no desenvolvimento de um aplicativo que reconhecesse qualquer pessoa por meio da sua foto do Facebook (o que não é tão difícil de desenvolver). Basta um celular com o aplicativo e câmera 3D para saber o nome de quase qualquer pessoa com quem você cruze na rua, sua idade, status de relacionamento, o que curte, o nome da sua mãe e irmãos...

Monitoramente virtual: veja discussão sobre privacidade na Internet no Fórum do TechTudo

Faria, porém, não liga muito para as críticas quanto a violação de privacidade: ele acha que essa já é uma discussão superada. “As críticas eram bem comuns de 2003 a 2007, mas com o Facebook, smartphones e selfies as pessoas se acostumaram a exibir a sua imagem”, diz. E acrescenta: “A tecnologia pode ser usada para o bem ou para o mal. Eu acredito que a biometria facial pode fazer mais coisas para o bem.”

Você pode ver a biometria facial em ação abaixo:



Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • José Carneiro
    2015-08-25T23:27:44

    Que maneiro!!!!! Atualmente uso a opção cofre do PSafe para proteger meu celular.

  • Bruno Pavanelli
    2015-07-10T12:08:04

    De fato a tecnologia é interessante. Mas eu não me apressaria a implementa-la em sistemas de transações ou logins. É praticamente andar com a sua senha do cartão estampada na testa. Qualquer pessoa mal intencionada estaria apta explorar, ainda mais pela biblioteca ser open-source. Acho que a aplicação mais viável seria em aeroportos para agilizar o processo. E pela policia é claro.