Acessórios

NOTA tt
8.0

Review Amplitube iRig

O iRig é perfeito para quem toca guitarra ou baixo e não quer andar com quilos de pedaleiras, pedais e amplificadores caros. Ele é mais indicado para a gravações caseiras, principalmente por conta do ruído excessivo difícil de controlar. Ter que pagar por aplicativos também pode afastar...

Bruno do Amaral
por
em

Há algum tempo disseram que o rock'n’roll havia morrido, e que era o fim da guitarra. Felizmente essas previsões não se concretizaram, e o icônico instrumento ainda é um sonho para muitos aspirantes a rockstars.

Amplitube iRig (Foto: Divulgação)Amplitube iRig (Foto: Divulgação)

As seis cordas eletrificadas agora estão mais modernas do que nunca, com inúmeras inovações tecnológicas para ajudar os músicos a tirar sons tão bons quanto os analógicos de famosas estrelas da música.

Para os músicos em busca da praticidade dos emuladores de sons, a IK Multimedia lançou, em 2009, o kit iRig para iPhone, iPod touch e iPad. Trata-se de um adaptador específico para conectar a guitarra ou baixo ao seu aparelho da Apple, valendo-se da conectividade da entrada do fone de ouvido com a função de microfone.

Mas será que o acessório funciona bem a ponto de substituir equipamentos profissionais de gravação - ou mesmo um bom combo de amplificador e pedais? Descubra abaixo no teste do TechTudo.

iRig para iPhone, iPad e iPod Touch (Foto: Divulgação)iRig para iPhone, iPad e iPod Touch (Foto:
Reprodução/Bruno do Amaral)

Aparelho

O iRig é muito simples. Com o tamanho pouco maior do que uma pilha, ele possui duas entradas: uma P10 (6,35 mm) embaixo, para conectar a guitarra, e outra P2 (3,5 mm) em cima, para conexão com fone de ouvido ou caixa externa. Nessa parte superior há ainda o cabo (também P2) para se conectar ao iGadget de sua escolha (ele não funciona com gerações antigas do iPod touch, entretanto).

O acabamento é simples e ele não pesa muito, mas o suficiente para puxar o fio de um fone de ouvido caso tente utilizar os modelos simples, como os que acompanham o iPhone. O melhor mesmo é utilizá-lo com um extensor ou com um fone com cabo maior. Outra opção é plugá-lo em um amplificador ou caixa de som.

Amplitube para iPad (Foto: Divulgação)Amplitube para iPad (Foto: Reprodução/Bruno do
Amaral)

Software

Uma vez plugado, basta começar a utilizar. Mas, para isso, você vai precisar de aplicativos compatíveis. O iRig funciona perfeitamente com o Amplitube, da própria IK Multimedia, que pode ser adquirido de duas formas na App Store: gratuitamente, mas com recursos limitados; ou a suíte completa por US$ 20.

Na primeira versão há uma simulação de amplificador Marshall com pedais de Delay e Noise Filter (muito útil, mas falaremos mais sobre isso depois).

Registrando-se pelo próprio app, você receberá um código por e-mail para baixar de graça o pedal Distortion. Com essa configuração já é possível tirar bons sons de rock, pois é basicamente a simulação de equipamentos utilizados por figurões como Jimi Hendrix e Slash. Claro, muito do timbre de cada um depende da guitarra e do próprio estilo de tocar, mas é bom ter essa possibilidade sem custos.

Se quiser explorar todo o potencial do Amplitube o recomendado é investir mesmo na versão completa, que inclui 11 pedais de efeitos (Delay, Fuzz, Overdrive, Wah, Envelope Filter, Chorus, Flanger, Phaser, Octave, Noise Filter e Distortion), vários gabinetes de falantes e outras opções de amplificadores.

Além disso, há efeitos em rack e diferentes tipos de microfone com respectivos posicionamentos perante aos amps. Agora, se você quiser gravar tudo isso com várias camadas, será preciso desembolsar mais US$ 15 (sim, mesmo na versão completa) para ter à disposição o gravador de oito pistas com possibilidade de reamplificar sons.

Garageband (Foto: Reprodução/Bruno do Amaral)Garageband (Foto: Reprodução/Bruno do Amaral)

Uma alternativa a todo esse gasto é utilizar o app Garageband, da própria Apple. Totalmente compatível com o iRig, ele possui diversas simulações de pedais e amplificadores, e conta com um gravador multipista que, além de mixar os sons de guitarra, pode ser utilizado em conjunto com as próprias emulações de instrumentos, como bateria, teclado e baixo. Tudo isso sai por US$ 5, sem nenhum adicional para obter os recursos completos. Não há tantas opções sonoras quanto o Amplitube, mas dá (bem) para o gasto.

Desempenho

A resposta vai variar de acordo com sua tolerância aos sons digitais, mas em geral é possível, sim, utilizar o iRig para gravações caseiras. Há quem prefira o concorrente Apogee Jam, que oferece menos latência (a demora entre a nota, e o som processado e ouvido) por ser ligado pela mesma porta de 30 pinos do cabo USB, mas o produto da IK Multimedia funciona bem para a maioria das pessoas.


Existe, porém, um grande problema além da latência: o ruído excessivo. Guitarras muito barulhentas, principalmente com captadores ruins ou parte elétrica desregulada, vão provocar irritantes microfonias descontroladas utilizando o iRig. Isso pode passar despercebido na maior parte do tempo em timbres limpos, principalmente com o pedal Noise Filter (ou, no Garageband, diminuindo o Nível de Ruído). Mas se você utilizar configurações pesadas com muita distorção, o barulho é tanto que chega a ser inútil tentar extrair algum acorde do instrumento. O desafio é encontrar um balanço entre o drive suficiente para sustentar notas, e filtrar os ruídos o bastante para que a mesma nota consiga soar.

Resolvendo esse problema, o equipamento funciona muito bem. Em nossos testes, chegamos a conectar um pedal wah-wah (um Cry Baby clássico da Dunlop) e o resultado foi um som realista, sem distorções. Conectando o iPhone, iPod touch ou iPad a um falante externo, é possível até realizar pequenos shows. Se não vale pela praticidade (uma pedaleira digital ainda é mais adequada, enquanto um equipamento analógico obviamente soa melhor), ao menos que seja pela inovação e diversão de testar nessas condições.

Especificações

Entrada: fêmea 1/4″ mono (P10, 6,35 mm)
Saída: fêmea 1/8″ estéreo (P2, 3,5 mm)
Funciona com: iRig e Amplitube são compatíveis com iPod Touch (2G/3G) iPhone 3G, iPhone 3GS, iPhone 4 e iPad. Todos necessitam do OS 3.1.3 ou superior.

Nota TechTudo

NOTA tt
8.0
Design
8
Funcionalidades
9
Desempenho
8
Custo-benefício
8

Prós

  • - Prático de usar;
  • - Bom para gravações caseiras;
  • - Leve (dá pra levar no bolso);

Contras

  • - Provoca muito ruído;
  • - Precisa de apps pagos;
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Fissura Craniana
    2015-02-08T13:45:18

    com os fones de ouvido funciona.no amplificador, não

  • Fissura Craniana
    2015-02-08T12:50:03

    funciona de início num iphone 5s, mas depois trava.

  • Bruno Ochoa
    2011-10-17T16:39:09

    Ampkit é melhor. Aplicativos q levam o nome da Peavey, VÁRIAS opções diferentes e usei na ligado na mesa numa caixa amplificada. Resultado.. sol de primeiro Ruído e delay zero. Obs.. usei o Irig porém aplicativo do Ampkit.