NOTA tt
4.3

Review Animal Crossing Amiibo Festival

Mascotes chegam ao Wii U em jogo com ares de Mario Party, mas que decepciona pela falta de variedade. Entenda o que deu errado no review:

Thomas Schulze
por
em

Animal Crossing Amiibo Festival marca a estreia dos mascotes da Nintendo na nova geração. Exclusivo do Nintendo Wii U, o jogo aposta em tabuleiros no melhor estilo Mario Party, mas deixa o jogador entediado rapidamente ao apresentar partidas burocráticas e poucos minigames. Confira a análise completa com os prós e contras de Animal Crossing Amiibo Festival:

Conheça o Animal Crossing da Bandai Namco

Festa chata

Há muitos motivos para ser fã de Animal Crossing. Os jogos da série costumam apresentar personagens carismáticos, mecânicas divertidas de customização de roupas e imóveis, e centenas de colecionáveis divididos em atividades prazerosas como pescaria, escavação de fósseis ou caça de insetos.

Animal Crossing Amiibo Festival é fofo, mas enfadonho (Foto: Divulgação/Nintendo)Animal Crossing Amiibo Festival é fofo, mas enfadonho (Foto: Divulgação/Nintendo)

É uma pena, então, que Animal Crossing Amiibo Festival abra mão de todos esses elementos que consagraram a franquia. Contrariando a expectativa dos fãs, a estreia da série no Wii U elimina toda a liberdade de exploração e a substitui por um único e enfadonho tabuleiro.

A jogabilidade é inspirada em tudo que Mario Party 10 trouxe de pior, pois exige encostar um amiibo no Gamepad no começo de toda rodada para rolar os dados, mas esquece de trazer o que torna os jogos festivos do encanador tão divertidos: centenas de ótimos minigames competitivos.

Só os personagens sorriem em Animal Crossing Amiibo Festival (Foto: Divulgação/Nintendo)Só os personagens sorriem em Animal Crossing Amiibo Festival (Foto: Divulgação/Nintendo)

Download grátis do app TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no Android ou iPhone

Andar, andar, andar sem parar

As partidas, que podem levar de 30 minutos a duas horas, consistem apenas em rolar os dados e caminhar pelo tabuleiro sem parar em busca de pontos de felicidade. Cada rodada representa um dia do calendário, e vence o personagem que conseguir a maior pontuação ao longo de um mês inteiro.

Animal Crossing Amiibo Party o desafia a rodar o dado... e só (Foto: Divulgação/Nintendo)Animal Crossing Amiibo Party o desafia a rodar o dado... e só (Foto: Divulgação/Nintendo)

O problema é que, salvo pela visita de alguns coadjuvantes conhecidos de vez em quando, não há muitas tarefas pelo tabuleiro. Quando uma delas aparece, basta cair em sua casa especial para receber poderes bobos e inconsequentes, como duplicar o número de casas que se vai andar ou ganhar dinheiro sempre que outro jogador tirar um certo número em seu arremesso de dado.

Esses poderes não servem para muita coisa, pois quase não há estratégia ou raciocínio envolvido na partida. É só rolar o dado e torcer para cair em uma casa que gera dinheiro e felicidade, em vez das casas roxas que trazem azar e tristeza.

A única variável levemente divertida é o mercado de nabos. Todo domingo o jogador pode comprar algumas dezenas deles por um certo valor, sendo obrigado a revendê-los até o sábado seguinte. Cada casa do tabuleiro permite a revenda por um determinado preço, muito maior ou menor do que o desembolsado, isso gera interessantes situações de análise de risco. Ainda assim, é muito pouco para salvar um jogo desse tamanho.

Em Animal Crossing Amiibo Festival vence o personagem mais feliz (Foto: Divulgação/Nintendo)Em Animal Crossing Amiibo Festival vence o personagem mais feliz (Foto: Divulgação/Nintendo)


Não julgue um livro pela capa

Pelo menos o jogo é visualmente bem interessante, com lindos modelos 3D de personagens queridos de jogos passados, agora em alta definição. A apresentação é refletida nos bonecos amiibo, obrigatórios para poder iniciar o jogo. Tanto Isabelle como Digby (inclusos na versão física de Animal Crossing Amiibo Festival), passando por K.K. Slider e Tom Nook, já figuram entre os amiibos mais bonitos da coleção, e devem fazer a alegria dos nintendistas entusiastas de bonecos.

Ao menos os bonecos de Animal Crossing Amiibo Festival são lindos (Foto: Divulgação/Nintendo)Ao menos os bonecos de Animal Crossing Amiibo Festival são lindos (Foto: Divulgação/Nintendo)

É uma pena, então, ver gráficos e bonecos tão belos desperdiçados em um jogo que não possui um mínimo de conteúdo para justificar sua existência. Fora do tabuleiro principal, apenas meia dúzia de minigames podem ser jogados usando a coleção de cartas físicas de Animal Crossing, mas eles se resumem a atividades bobas e triviais como tentar fazer um animal pousar no alvo, ou guiá-lo por um labirinto simples.

Quais jogos são bons motivos para comprar o Wii U? Dê a sua opinião no Fórum do TechTudo.

Conclusão

Animal Crossing Amiibo Festival é o pior título da franquia. Apesar dos bonecos lindos que acompanham o jogo e de sua apresentação carismática, ter apenas um único tabuleiro burocrático e desinteressante aliena qualquer fã da série. Os poucos minigames paralelos enjoam rápido demais e não agregam valor ao pacote. Prefira uma partida de Jogo da Vida, War ou Banco Imobiliário e passe longe desse tabuleiro!

Nota TechTudo

NOTA tt
4.3
Gráficos
8
Jogabilidade
1
Diversão
2
Som
6

Prós

  • Gráficos e amiibos muito bonitos
  • Personagens carismáticos

Contras

  • Nenhuma razão para jogar de novo
  • Tabuleiro sem variedade e com rodadas repetitivas
  • Poucos minigames, todos simples e sem graça
  • Mais tedioso que horário político
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares