Celular

NOTA tt
7.0

Review DL X-Pro

Confira a análise sobre o primeiro tablet brasileiro com processador Intel. Comercializado a R$ 449, o produto chega para brigar na categoria de equipamentos de baixo custo, um mercado que cresce no mundo.

Paulo Alves
por
em

A DL é uma fabricante de eletrônicos brasileira especializada no mercado de tablets e busca oferecer produtos com configurações razoáveis a um custo baixo. O lançamento DL X-Pro busca ser mais uma dessas apostas e traz o chip dual-core Atom da Intel para oferecer experiência de uso diferenciada entre aparelhos baratos. Vendido a R$ 449, será que o tablet tem desempenho equiparável a de marcas mais conhecidas? Confira a resposta no review do TechTudo.

Veja também: TecToy lança tablet Android com 7 polegadas por R$ 329

Design

O desenho empregado no DL X-Pro não se destaca pelo material. Assim como vários de seus concorrentes, o produto usa plástico em todo corpo, o que o deixa resistente e leve, mas com aspecto pouco refinado. Porém, ao contrário do usual preto em toda carcaça, a DL optou por incluir bordas azuis, o que o deixa com uma aparência diferenciada e atraente, especialmente para crianças.

Todo em plástico, DL X-Pro traz bordas azuis (Foto: Paulo Alves/TechTudo)Todo em plástico, DL X-Pro traz bordas azuis (Foto: Paulo Alves/TechTudo)

Com tela de 7 polegadas, o tablet é compacto e pesa 334 g, um pouco mais que o Galaxy Tab 3 do mesmo tamanho (306 g). Basta segurá-lo nas mãos para perceber que se trata de um tablet de baixo custo, sem nada de especial na carcaça. Porém, a não ser pelos botões na lateral, que são incômodos de pressionar, não há nada de tão relevante que prejudique a experiência de uso, especialmente se for comparado com concorrentes da mesma faixa de preço.

Hardware

Com o preço de R$ 449, o DL X-Pro não tem propriamente a obrigação de oferecer hardware de ponta, mas nem por isso deixar a desejar na performance ao rodar os apps mais básicos. Para dar conta das tarefas, o aparelho vem equipado com um processador Intel Atom série Z2520 Clovertrail+ dual-core rodando a 1,2 GHz, o mesmo utilizado no Asus Fonepad 7.

Desempenho para navegar na web e rodar jogos é satisfatória (Foto: Paulo Alves/TechTudo)Desempenho para navegar na web e rodar jogos é satisfatória (Foto: Paulo Alves/TechTudo)

Segundo a Intel, o chip é capaz de rivalizar com seus principais concorrentes, e foi exatamente o que vimos no uso do dia a dia. Junto com 1 GB de RAM, o tablet da DL foi capaz de rodar com relativa suavidade jogos pesados como Shadow Gun e Dead Trigger. Alguma lentidão foi notada, mas nada que impedisse de jogar.

O aparelho teve rendimento razoável nos testes de benchmark usando os apps Quadrant e AnTuTu, o que o deixa no mesmo nível que dispositivos lançados em 2012, como o Asus Transformer Prime ou Samsung Galaxy S3. Dado seu preço, as notas obtidas são consideradas normais.

Tela não é HD, resultando em somente 169 ppi (Foto: Paulo Alves/TechTudo)Tela não é HD, resultando em somente 169 ppi (Foto: Paulo Alves/TechTudo)

Seu problema não é no desempenho, pois este é o esperado para essa categoria de dispositivo. Onde a DL parece realmente ter economizado é na tela. Com 1024 x 600 de resolução, o display oferece densidade de pixels baixa nas suas 7 polegadas: apenas 169 ppi. Além disso, não há câmera traseira, somente uma de 2 megapixels para videochamadas.

Por isso, o tablet não é dos melhores para ver vídeos em alta definição e muito menos leitura de textos. Ademais, a tela reflete bastante a luz do sol, tornando seu uso ao ar livre comprometido. Outro defeito está nos alto-falantes, que reproduzem sons muito baixos.

Em termos de conectividade, a microUSB OTG é seu destaque, pois permite lugar mouse e pendrive (Foto: Paulo Alves/TechTudo)Em termos de conectividade, a microUSB OTG é seu destaque, pois permite lugar mouse e pendrive (Foto: Paulo Alves/TechTudo)

Já em termos de conexão, o tablet da DL vem com o básico: Bluetooth, Wi-Fi, entrada para fones de ouvido e cartão de memória microSD de até 64 GB. O destaque nesse quesito fica por conta da porta USB, em formato micro porém com capacidade de receber pendrives e mouses usando um cabo que acompanha a caixa. Sua bateria cumpre com o prometido, cerca de 4 horas de uso moderado com uma carga.

Software

Um dos pontos positivos do DL X-Pro está no software. A fabricante brasileira optou por customizar o Android 4.2 o menos possível, mantendo o design limpo e elegante característico da versão pura do sistema.

A única personalização aparente para o usuário está na inclusão de alguns apps pré-instalados. Apesar de normalmente ser um ponto negativo, os aplicativos no X-Pro são úteis e tendem a agradar a maioria dos usuários, pois permite que usem o aparelho logo ao tirá-lo da caixa. Como pesquisas apontam que o consumidor brasileiro não costuma baixar muitos apps, os essenciais são sempre bem-vindos em tablets de baixo custo.

Tablet da DL roda Android pouco modificado, mas carrega vários apps pré-instalados (Foto: Paulo Alves/TechTudo)Tablet da DL roda Android pouco modificado, mas carrega vários apps pré-instalados (Foto: Paulo Alves/TechTudo)

No entanto, não há como apagá-los da memória, fazendo com somente 4,3 GB de um total de 8GB estejam disponíveis para armazenar arquivos. De resto, a DL somente incluiu alguns papéis de parede próprios e vídeos demonstrativos para testar o desempenho do produto. Portanto, usuários acostumados com o Android não devem ter surpresas ao usar o X-Pro.

Custo-benefício

O segmento de tablets baratos vem crescendo em todo o mundo, e o DL X-Pro chega para mostrar que pode oferecer uma boa experiência de uso mesmo cobrando relativamente pouco. Em vários quesitos, o aparelho consegue desempenho superior que a terceira geração do Galaxy Tab, que custa cerca de R$ 150 mais caro.

É claro que, por não ser uma empresa grande que investe pesadamente como Samsung ou Asus, o DL X-Pro tende a ficar estagnado no Android 4.2. Sua comunidade de desenvolvedores também não é grande, o que significa que root ou outro tipo de recurso dedicado seja difícil de ser disponibilizado para o usuário.

Qual e o melhor tablet ? Comente no Fórum do TechTudo

Com falta de conexão 3G e câmera traseira, o DL X-Pro é dedicado a usuários básicos, que buscam seu primeiro tablet e não têm exigências quanto a número de recursos. Nesse ponto, vale destacar que o aparelho é bom no que realmente importa: o desempenho geral no dia a dia.

Graças ao processador Intel, o produto ganha a confiabilidade necessária que o destaca da multidão de tablets de baixo custo e marcas desconhecidas. Por isso, sua compra é indicada para quem deseja economizar. Mas, caso o consumidor esteja disposto a arcar com os R$ 150 a mais, vale optar por um produto de marca mais renomada, o que aumenta a possibilidade de ganhar update e de encontrar acessórios exclusivos no mercado.

Tabela DL X Pro (Foto: Arte/TechTudo)Tabela DL X Pro (Foto: Arte/TechTudo)


Nota TechTudo

NOTA tt
7.0
Design
7
Desempenho
9
Tela
6
Câmera
6
Custo-benefí­cio
7

Prós

  • Bom desempenho
  • Android pouco modificado
  • USB OTG para conexão de pendrive e mouse
  • Entrada para cartão de até 64 GB

Contras

  • Design modesto, com corpo todo em plástico
  • Sem 3G e câmera traseira
  • Tela não é HD
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares