NOTA tt
7.8

Review LG Optimus Black

O preço do LG Optimus Black fica abaixo dos concorrentes, assim como seu processamento. Para quem não quer um smartphone de entrada e nem tem capital para adquirir um top de linha, a LG trouxe um aparelho bonito, sóbrio e bom desempenho.

Stella Dauer
por
em

O LG Optimus Black é o novo smartphone da LG, lançado após uma chuva de aparelhos mais simples com o Android embarcado. Trata-se de um possível concorrente do Galaxy S2 e do Motorola Atrix, com tecnologia de tela Nova Display e uma espessura bem fina. Confira o review do LG Optimus Black.

LG Optimus Black P970, um display simples e discreto (Foto: Stella Dauer)LG Optimus Black P970 tem um display simples e discreto (Foto: Stella Dauer/TechTudo)



Design

Nada impressiona muito no Black. Ele é bem fino, com 9,2 mm de espessura, mas não tanto quanto o Galaxy S2. Seu design é sóbrio, elegante, com a frente coberta toda por vidro e a traseira de plástico preto fosco, trazendo uma pequena impressão da marca de um lado e o logotipo da Google e a câmera do outro. Uma pequena saída de som também é visível.

O legal do P970 é que ele vem com mais duas capinhas (uma rosa brilhante e cintilante e uma branca, semelhante), caso você não aprecie o visual preto dele. Ele é leve, pesa apenas 113 g, e possui poucos detalhes na carcaça. Em cima, ficam a entrada padrão para fones, conexão microUSB protegida por uma tampinha deslizante e o botão de energia.

Além desse, só vemos botões na lateral esquerda, de volume, e o “G”, do qual vamos falar abaixo. Na frente, todos os quatro botões padrões do Android são de toque e ficam apagados quando o telefone está em repouso. Embaixo, só há o microfone.

Tela

A tela multitoque do P970 é bem confortável. São 4 polegadas e 16 milhões de cores em uma definição de 480 x 800 pixels, com as tecnologias Gorilla Glass e IPS LCD, que visa melhorar a leitura mesmo em ângulos complicados. Ela é brilhante e com boa definição, e praticamente não se vê os pixels.

Comparação entre a tela do Nexus S e a tela NOVA display, do LG optimus Black P970 (Foto: Stella Dauer)Comparação entre a tela do Nexus S e a tela NOVA display, do LG Optimus Black P970 (Foto: Stella Dauer/TechTudo)

Nela, temos o lançamento da LG: a nova tecnologia NOVA display, que chega para competir com o Super AMOLED Plus do Galaxy S2, e com o Retina Display do iPhone 4. Ela é realmente mais brilhante do que as telas anteriores da empresa, mas ainda não bate suas concorrentes.

A tela se sai muito bem em brilho e também em economiza energia, mas ainda não possui as cores e a mesma capacidade de leitura que as outras. Já é um começo para a LG, mas ainda será preciso mais empenho.

Sistema operacional e usabilidade

O Android embarcado nesse smartphone é a versão Froyo 2.2.2. Por que a LG não aproveitou e colocou a 2.3? Isso traria mais desempenho para o Black. No exterior, já está disponível o upgrade, e aqui no Brasil a LG já prometeu o mesmo.

No quesito sensor, ele está bem munido. Possui acelerômetro, sensor de proximidade, compasso e controles sensíveis ao toque, como veremos mais abaixo.

A interface é a Optimus UI 2.0 da LG, que mexe bastante no visual original do Android, mas também traz algumas espertezas que o deixam mais prático. Uma das melhores coisas é a organização da área de aplicativos, que pode ser personalizada. São várias categorias pré criadas, mas ela também pode ser criada pelo usuário. Isso facilita muito na hora de dividir os jogos, multimídia, utilidades e outros. De qualquer forma, também é possível manter a organização tradicional por páginas e por ordem alfabética. Assim como nos outros aparelhos da LG, é possível trocar a fonte da interface, dentre sete opções.

Traseira discreta e sóbria (Foto: Stella Dauer)Traseira discreta e sóbria do LG Optimus Black (Foto: Stella Dauer/TechTudo)

Outras coisas destacam a interface. Para visualizar todas as homes disponíveis – 7 ao total – basta realizar o pinch-to-zoom, o 'beliscão' na tela. A área de notificação é completa e traz os widgets de controle padrão do Android, e também de controle das músicas. Virar o telefone com a tela para baixo desliga alarmes, silencia ligações e pausa vídeos. Bater delicadamente na lateral do P970 faz com que ele passe à próxima foto, e mexe no cursor do campo de texto.

Há também o botão “G”, localizado na lateral. Com ele apertado você navega entre as homes, dá zoom e passeia por uma página via movimento, no navegador. O mesmo “passeio” pode ser feito na galeria de fotos. Se o telefone estiver travado, basta ligar a tela, pressionar o botão “G” e chacoalhar o aparelho. Isso fará com que o P970 seja levado direto à câmera. Esse mesmo chacoalhar junto com o botão pode atender e encerrar ligações, entre outras coisas.

O teclado de toque é confortável, possui resposta rápida e ocasiona poucos erros de digitação, principalmente quando segurado com as duas mãos. Na horizontal, as teclas ficam espaçadas, tornando a tarefa de se digitar no smartphone ainda melhor de ser feita.

Hardware e processamento

Há um processador poderoso nele. Um Cortex-A8 TI OMAP 3630 chipset de 1 GHz roda no Black, mas infelizmente ele só possui um núcleo (aparelhos concorrentes já são dual-core). A memória RAM é de 512MB, normal para um aparelho assim. Poderia ser 1 GB, mas seria pedir demais.

Em nossos testes, utilizando o aplicativo gratuito de benchmark Quadrant Standard, ele ficou acima apenas do Galaxy S, modelo antigo da Samsung. No uso geral, nenhuma dessas características atrapalhou o funcionamento do aparelho, e todas as tarefas normais puderam ser realizadas satisfatoriamente, como checagem de emails e jogos mais simples. Até os mais pesados, como Asphalt, rodaram sem engasgos. E, para deixar todos felizes, o Black tem suporte a Flash.

Não é fino como o Galaxy S II, mas ainda é bonito (Foto: Stella Dauer)Lateral do LG Optimus Black (Foto: Stella Dauer/TechTudo)

Em matéria de conexões, como todo Android, ele vem completo. Tem Wi-Fi 802.11 b/g/n, GPS com suporte A-GPS, Bluetooth v2.1 com A2DP e EDR – além de transmitir dados, se conecta a periféricos –, DLNA e capacidade de atuar como hotspot Wi-Fi. Ele é 3G e quad band, o que deve fazê-lo funcionar com todas as operadoras brasileiras.

Nele também há a tecnologia Wi-Fi Direct, que começará a pipocar nos próximos bons smartphones (já está presente no Galaxy S2). Essa tecnologia permite que um dispositivo se conecte a outro sem precisar de um hotspot Wi-Fi. Com ela é possível obter uma conexão 20 vezes mais veloz do que a do Bluetooth, e só é preciso um aparelho com a tecnologia para se conectar até oito dispositivos.

Câmera

A LG colocou uma boa câmera, mas não muito caprichada. Seu sensor é de 5 megapixels e ela possui autofoco e flash de LED. Não há botão exclusivo para foto, mas tudo tem que ser feito pela tela. A interface é bonitinha, mas poucas funções úteis ficam de fácil acesso. Se o zoom pode ser feito pelo botão de volume, por que um botão para ele na interface? Para escolher foco, modos de cena e efeitos de cor é preciso recorrer às configurações.

A câmera tem diversos efeitos de cor, como Sépia, Preto e Branco, Negativo, Vívido, Sépia negativo, Azul, Relevo e Solar, além de possuir geolocalização e detecção de sorrisos. Uma vantagem é sua câmera frontal, que tem qualidade de 2 megapixels (geralmente o que encontramos em outros aparelhos é VGA). Isso melhora possíveis fotos e ligações por vídeo. Uma função chamada Modo de Disparo oferece coisas como panorama, desfoque e disparo contínuo.

Proteção plástica para conexão microUSB (Foto: Stella Dauer)Proteção plástica para conexão microUSB do LG Optimus Black (Foto: Stella Dauer/TechTudo)

As fotos são razoáveis. Geralmente ficam boas com bastante luz e perdem um pouco de qualidade com menos iluminação, contando com cores bem equilibradas. Entretanto, este não é um smartphone para amantes de fotografia.

Na hora de gravação de vídeo, um pouco de confusão: apesar de vir com a ótima função de foco durante o vídeo e de ter gravação de áudio interessantes, algo fica errado na reprodução. Ele faz vídeos em HD simples (720p) em formato 3GP, mas quando passado para o computador, ele sai totalmente do formato widescreen 16:9, e fica muito mais esticado.

Acessórios

Além do celular, juntamente com sua bateria e cartão, encontramos um cabo USB, que também serve para o carregador de tomada. Também há as duas capinhas extras, fones de ouvido com botão para atender chamadas e manuais. Tudo em uma caixa compacta, bem pequena para um smartphone.

Acessórios da caixa: fones brancos e três capinhas (Foto: Reprodução)Acessórios da caixa do LG Optimus Black: fones brancos e três capinhas (Foto: Stella Dauer/TechTudo)


Aplicativos

Entre os aplicativos disponíveis está a suíte Polaris Office, que possui capacidade de visualização e de edição. A LG também já embute no aparelho apps para o Facebook, MySpace e Twitter. Há os apps padrões, como Google Search, Maps, Gmail, YouTube, Google Talk, contatos, mensagens, calendário e outros. Gravador de voz, alarme e modo carro também.

Há ainda alguns apps específicos, como o RemoteCall, capaz de controlar o aparelho à distância, e também notas, notícias, finanças e o LG World, um atalho para os aplicativos da empresa. Os widgets são bem variados e, apesar de grandes, úteis.

Música e mídia

Ele vem com rádio FM estéreo com a tecnologia RDS, que traz informações sobre a estação, música e artista, etc. O rádio funciona com o áudio externo, mas precisa dos fones como antena. O tocador é o mesmo de sempre, mas parece que a LG aparou algumas pontas. Pequenas melhoras na interface o deixam bem melhor do que a versão original do Android.

O áudio externo dele é ruim. Não que se espere algo ótimo de um smartphone, mas a pequena saída de áudio na lateral foi mal pensada, e ele fica parecendo um radinho de pilha sem o menor ajuste. O tocador possui equalizador com mais de 10 opções diferentes, mas a que ficou menos pior foi a Dolby Mobile. Os fones de ouvido intra-auriculares que acompanham o Black são muito bons, embora ligeiramente abafados. Mesmo assim, têm um bom estéreo e volume bem alto.

O LG Optimus Black roda uma série de formatos de vídeos nativamente. Seja o 3GP, MP4 e também WMV e AVI utilizando DivX e XviD. Ele passou vídeos em 720p (HD simples) de forma suave, mas por causa de seu processador de apenas um núcleo, não roda vídeos em Full HD (1080p). Também por causa disso, ele não possui qualquer conexão HDMI.

Bateria e armazenamento

Uma boa vantagem que o P970 possui é a sua duração da sua bateria. Graças à tecnologia do display NOVA, esse aparelho consegue ficar ligado muito mais tempo longe da tomada do que o normal para aparelhos Android. Em nossos testes, com 3G e Wi-Fi ligado o dia inteiro, a bateria durou praticamente 12 horas. Um ótimo rendimento.

A tela NOVA Display economiza bateria (Foto: Stella Dauer)A tela NOVA Display economiza bateria do LG Optimus Black (Foto: Stella Dauer/TechTudo)

O armazenamento dele não é lá aquelas coisas, mas é suficiente. Ele vem com 2 GB de memória interna - bem longe dos 8 GB que são disponíveis em outros aparelhos, mas nada muito pequeno -, das quais apenas um giga está disponível para o usuário. Como a LG envia junto um cartão microSD de 4 GB, fica tudo bem. Aliás, ele aceita cartões de até 32 GB.

Ficha técnica

Tela
4 polegadas (480 x 800 pixels)
Sistema operacional
Android 2.2.2 Froyo
Armazenamento2 GB + microSD de 4 GB
Câmera
5 megapixels
BateriaAté 375 horas em stand-by e 6 horas em conversação
ConectividadeWi-Fi n/b/g / GPS com A-GPS / Bluetooth 2.1
Dimensões122 x 64 x 9,2 mm
Peso113 g

Nota TechTudo

NOTA tt
7.8
Design
8
Desempenho
8
Tela
8
Câmera
6
Custo-benefí­cio
9

Prós

  • Boa duração de bateria;
  • Interface bem pensada;
  • Botão G.

Contras

  • 1 GB de armazenamento;
  • Processador de 1GHz;
  • Falta conexão HDMI.

Veja mais reviews e compare:

Seja o primeiro a comentar


Imagem do usuário
Sair

Quer realmente sair da globo.com?

Imagem do usuário

recentes

populares