Jogos de aventura

NOTA tt
7.0

Review Monster Tale

Este pode ser o último ano do Nintendo DS como uma plataforma relevante para os lançamentos, com a chegada do Nintendo 3DS que deverá tomar seu espaço. Mas isso não significa que ele irá embora sem fazer barulho. Monster Tale pode ser um dos últimos bons lançamentos do Nintendo DS e tem o sabor de uma doce despedida.

Rafael Monteiro
por
em

Nome: Monster Tale
Gênero: Aventura
Distribuidora: Majesco
Plataformas: Nintendo DS 

Monster Tale (Foto: Divulgação)Monster Tale (Foto: Divulgação)

Este pode ser o último ano do Nintendo DS como uma plataforma relevante para os lançamentos, com a chegada do Nintendo 3DS que deverá tomar seu espaço. Mas isso não significa que ele irá embora sem fazer barulho. Monster Tale pode ser um dos últimos bons lançamentos do Nintendo DS e tem o sabor de uma doce despedida. 

O jogo é desenvolvido pela até então desconhecida DreamRift, composta de veteranos do mercado de jogos que realmente mostram seu talento aqui. A Majesco foi quem percebeu o potencial da equipe e se prontificou a publicar o título. 

Um clássico da nova era 

Monster Tale não tenta reinventar a roda, o que acaba por ser uma grande qualidade. É um título simples, plataforma 2D com um pouco de aventura, bom e feito direito, pegando idéias de vários clássicos de outrora, incluindo um pouco de Mega Man, Metroid e uma pitada até mesmo de Pokémon

O jogo conta a história de Ellie, uma menina que é transportada para um mundo habitado por criaturas, até que encontra seu próprio monstro para fazer parceria, Chomp, e o cria para batalhar ao seu lado contra o reinado tirânico de outras crianças sob os monstros. Apesar da premissa, este não é um jogo infantil, e não espere deixar seu monstro fazendo todo o trabalho por você. 

Velhos valores de antigamente entram para tornar essa fábula inocente em algo realmente memorável. Ellie começa praticamente indefesa, mas logo ganha um bracelete que efetua disparos que mais parece algo saído de Mega Man, e mais pra frente começa a aprender golpes para lutar diretamente com os inimigos. Quanto mais o jogo progride, logo você estará fazendo combos e lutando como se tivesse saído dos melhores jogos de ação. 

Monster Tale (Foto: Divulgação)Monster Tale (Foto: Divulgação)

Com uma pitada de monstros de bolso 

Chomp por sua vez cresce por pontos de experiência, como em um RPG, adquirindo níveis e habilidades relacionadas aos mesmos. Além disso, ele tem três níveis de evolução, que seriam equivalentes à infância, adolescência e maturidade, e várias formas alternativas dentro de cada uma dessas. As habilidades que você mais gostar podem ser dominadas e carregadas para as formas posteriores. 

Essa é provavelmente a melhor coisa de Monster Tale, eles não dizem a você como jogar. Se quiser, poderá escolher evoluir mais Chomp e deixar todo o combate pesado para ele, mas não há nada dizendo que você mesmo não pode ir à luta se tiver habilidade suficiente para se garantir. 

Você pode manter Chomp tanto na tela de cima lutando junto com você, por um tempo limitado, quanto mantê-lo na tela de baixo, em seu próprio santuário, onde pode interagir com itens que você ganha ou compra no meio do jogo, absorvendo mais experiências. Alguns obstáculos e inimigos exigem interação entre Ellie e Chomp nas duas telas, o que é um pouco criativo, pois vem bem naturalmente. 

A chave vermelha pra porta vermelha 

Monster Tale (Foto: Divulgação)Monster Tale (Foto: Divulgação)

Toda a progressão do jogo é feita através de um estilo que lembra Metroid ou os episódios recentes de Castlevania. Há um mapa e um ponto ao qual você precisa chegar, mas normalmente há algum obstáculo impedindo seu progresso. No entanto, ele é bem mais simples que o clássico da Nintendo. Normalmente para cada porta fechada à direita há um caminho que leva para a chave à esquerda. 

Você nunca conseguirá ir a algum lugar opcional e ter alguma recompensa por isso. É um falso senso de exploração que esconde um design mais linear, mas que não incomoda até você já estar com uns 2/3 do jogo completo, quando apresenta muito backtracking, o vai e vem característico desse gênero que aqui fica descaradamente óbvio só ter como objetivo enrolar o jogador para aumentar o tempo de jogo. 

Cada nova habilidade que Ellie ganha é como uma chave para uma porta na outra extremidade do mapa, sempre fazendo o jogador se deslocar por grandes distâncias desnecessariamente. Seria um defeito muito maior se essas habilidades não adicionassem tanto ao combate tradicional, o que acaba por ser um remendo convincente. 

A dificuldade começa bem baixa o que pode até dar força à imagem infantil do jogo, mas cresce progressivamente de forma maestral, ficando bem mais difícil perto do final. Talvez algo que dificulte um pouco e que poderia ser melhor distribuído é que os upgrades de status disponíveis para compra no meio do jogo são bem caros, fazendo o jogador escolher bem por onde quer  evoluir Ellie também, além de Chomp, podendo comprar mais energia, mais força, especiais mais eficientes, entre outros. 

Monster Tale (Foto: Divulgação)Monster Tale (Foto: Divulgação)

Músicas agradáveis e 2D bem feito como antigamente 

Os gráficos do jogo lembram algo remanescente do clássico Monster World para Mega Drive, lançado no Brasil como Mônica na Terra dos Monstros, seguindo um estilo bem cartunizado e belamente animado.

As músicas não são exatamente memoráveis, mas são bem agradáveis enquanto se joga, fazendo bem seu papel. Os efeitos sonoros são bons, mas poderiam estar presentes em maior variedade, pois Ellie repetirá os mesmos gritos durante os golpes por todo o jogo.

Conclusão 

Todos os defeitos citados são muito pequenos dentro da grande obra. Mesmo depois de terminá-lo você ainda sentirá vontade de jogar, o que pode ocasionar em uma nova partida ou uma busca por todas as formas e habilidades de Chomp, mas não há grandes extras planejados após as quase oito horas de jogo, o que é bastante para um título portátil. 

Monster Tale definitivamente é um dos últimos títulos que os jogadores não deverão perder em seus Nintendo DS, simbolizando muito do que o sistema teve de melhor, com valores clássicos, criatividade e muita diversão. 

Nota TechTudo

NOTA tt
7.0
Gráficos
6
Jogabilidade
7
Diversão
8
Som
6

Prós

  • - Aventura de montão

Contras

  • - Som deixa a desejar
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares