NOTA tt
5.2

Review Phaser Kinno

Se você quer uma tablet para levar a todo lugar, mas não deseja gastar mais de mil reais, pode começar com um modelo mais simples e barato, como esse Kinno. O aparelho vem com uma capa resistente e tem teclado físico embutido.

Stella Dauer
por
em

O Phaser Kinno é um tablet básico para quem precisa de um aparelho funcional e não quer gastar muito com ele. O dispositivo não leva a assinatura das populares empresas que dominam este mercado mas tem seus atrativos. Confira o review do TechTudo, que testou o modelo Kinno PC-719.

Phaser Kinno (Foto: Reprodução/Stella Dauer)Phaser Kinno é um tablet barato que vem com teclado embutido (Foto: Stella Dauer/TechTudo)


Design  

Pelo seu valor, não espere muito cuidado no design do tablet. A frente do aparelho traz a tela rodeada por uma moldura que fica desequilibrada, pois é maior em um dos lados. Junto com o display ficam a câmera frontal, um LED de aviso, sensor de luz e os botões Desligar, Voltar e Menu. A parte inferior abriga a entrada da fonte, dos fones, conexões miniUSB e USB, slot para cartão microSD e reset.

Sua traseira é bonita, feita de metal prateado fosco, deixando os cantos arredondados, e é tomada em parte por um plástico preto brilhante. O Kinno pesa quase 400 g e é vendido em diferentes cores – que mudam na traseira de metal –, azul, vermelho, dourado, preto e prata.

Phaser Kinno (Foto: Reprodução/Stella Dauer)Phaser Kinno apresenta aviso em luz LED e tela multitoque de 7 polegadas (Foto: Stella Dauer/TechTudo)


Tela  

A tela é um dos principais pontos fracos do Kinno: ela é uma TFT multitoque de 7 polegadas, do tipo resistiva. Isso significa que você precisa pressionar seu dedo ou uma caneta stylus para realizar suas tarefas.

A resolução é de apenas 480 x 800 pixels, a mesma utilizada em smartphones com aproximadamente 4 polegadas de tela, como o Nexus S e o Galaxy S2. Para esses aparelhos menores, esses valores são suficiente, mas quando se “estica” essa imagem para 7 polegadas, a resolução fica bem estranha.

Phaser Kinno (Foto: Reprodução/Stella Dauer)Acabamento em metal fosco na parte traseiro do Phaser Kinno agrada no visual (Foto: Stella Dauer/TechTudo)

Além de não ter qualquer conexão HDMI, ele não reproduz conteúdo de alta definição. É uma tela que se dá bem com vídeos em formato padrão, mas nada próximo do HD.

Hardware e processamento  

O processador VIA WM 8650 tem 800MHz, com 256MB de RAM, é superior ao de algumas marcas mais conhecidas, como o V9 da ZTE. Para tarefas básicas ele é bom, não trava e é suave. Mas se você deixar muitos aplicativos funcionando ou insistir em um vídeo mais pesado, ele vai engasgar.

Ao testarmos o jogo Angry Birds, por exemplo, ele demorou bastante para processar os gráficos e na hora do jogo ele teve um lag visível. Para navegar na internet, dependendo do site, o mesmo acontece. Uma vantagem de seu hardware é possuir uma porta USB 2.0, na qual você pode conectar mouses, teclados, dentre outros acessórios.

Phaser Kinno (Foto: Reprodução/Stella Dauer)Phaser Kinno vem com capa resistente que lembra uma agenda (Foto: Stella Dauer/TechTudo)

Seu leque de conectividade não inclui GPS, Bluetooth ou 3G. Mas possui Wi-Fi, que funciona bem, e o sensor acelerômetro. Próximo à tela há uma câmera frontal, de 0,3 megapixels, para videochamadas. Há aplicativos para fotos e vídeos, mas esses só devem ser usados em emergências, pois a qualidade das imagens é péssimo, com granulações e ruídos.

Acessórios  

O Phaser Kinno vem acompanhado de um case protetor, confeccionado com tecido repelente à água. Esse case traz também um teclado embutido, o que é bem prático. Para conectá-lo ao tablet, basta utilizar o curto cabo USB. Não é um teclado perfeito, uma vez que não tem padrão ABNT2 e também não é preparado para o Android.

Phaser Kinno (Foto: Reprodução/Stella Dauer)Detalhe para o teclado embutido do Phaser Kinno (Foto: Stella Dauer/TechTudo)

Digitar no acessório requer paciência, pois os dedos escorregam nas pequeninas teclas foscas. O tablet e o teclado se fecham na capa, de forma que fique parecendo uma agenda, até que discreta. Atrás da capa há um pé para que, ao abrir o conjunto, ele fique na posição vertical, como se fosse um computador com monitor. O aparelho inclui também uma caneta stylus de plástico para as interações com o display.

Sistema operacional  

Embora não pareça, o sistema que acompanha o Kinno é o Android 2.2 (FroYo), extremamente modificado para ficar com uma cara genérica, afastando-se relativamente do original do Google. Muitas coisas funcionam de forma similar ao sistema padrão, mas percebe-se que a interface é bem diferente.

Phaser Kinno (Foto: Reprodução/Stella Dauer)Phaser Kinno roda sistema operacional Android 2.2 (Foto: Stella Dauer/TechTudo)

Todos os ícones e interfaces são diferentes, mas a estrutura interna dos apps e das configurações é a mesma. Como não há botão de volume no tablet, essas configurações ficam permanentemente na barra superior de tarefas.

Aplicativos  

São apenas 25 aplicativos já inclusos na memória. E, pela primeira vez, não podemos dizer que encontramos o padrão do Android. Embora haja apps do YouTube, Market e navegador, não há Gmail, Gtalk, Mapas, Locais, Navegação, Pesquisa por Voz e muitos outros.

Phaser Kinno (Foto: Reprodução/Stella Dauer)Phaser Kinno vem equipado com alguns apps diversos como Gmail, Mapas e Youtube (Foto: Stella Dauer/TechTudo)

Ainda assim, ele já vem com alguns jogos como Angry Birds, Air Control, AirAttack e Robo Defense. Entre os aplicativos embutidos estão o gerenciador de tarefas, gravador de voz, gerenciador de arquivos, capturador de screenshots, agenda, e-mail e calculadora.

Música e mídia  

Pela sua tela pequena e capa com suporte na posição vertical, um dos usos do Kinno é o entretenimento. Apesar de não reproduzir conteúdo de alta definição e não poder ser conectado a uma TV, ele é confortável o suficiente para ser levado para a cama, servindo para a reprodução de filmes. Ele aceita os formatos MPEG1/2/4, MJPG, H263 e H264.

Phaser Kinno (Foto: Reprodução/Stella Dauer)Detalhe para as entradas no Phaser Kinno (Foto: Stella Dauer/TechTudo)


Bateria e armazenamento  

O som externo é parecido com o de muitos smartphones: não é muito alto e possui agudos razoáveis, mas faltam graves e muitas vezes fica um pouco chiado demais. Já o som nos fones é bem satisfatório.

O teclado, quando ligado ao tablet, puxa energia dele para funcionar. Por isso a duração da carga pode cair para menos de 4 horas com uso de internet, vídeos e do próprio teclado. Em uso leve, ela pode ficar até 8 horas fora da tomada, o que é um tempo baixo.

Ele já vem com 2 GB de armazenamento interno, o que é razoável, levando em consideração seu preço, de R$ 499. Esse espaço é útil na hora de instalar aplicativos. Se quiser aumentar sua capacidade, ele aceita cartões microSD de até 32 GB.

Phaser Kinno (Foto: Reprodução/Stella Dauer)Itens que completam a caixa do tablet Phaser Kinno (Foto: Stella Dauer/TechTudo)


O que vem na caixa  

Na caixa encontramos o aparelho, carregador, a capa protetora com teclado embutido, um par de fones de ouvido e o cabo USB.

Ficha técnica  

Tela
7 polegadas
Resolução800 x 480 pixels
Sistema operacional
Android 2.2
Processador
VIA WM 8650 de 800MHz
Memória RAM256 MB
Armazenamento2 GB (internos)
ConectividadeWi-Fi / miniUSB / USB
Dimensões193 x 122 x 13 mm
Peso393 gramas
Autonomia de bateria4 horas de uso; 8 horas em stand-by




Nota TechTudo

NOTA tt
5.2
Design
4
Desempenho
7
Tela
4
Câmera
5
Custo-benefí­cio
6

Prós

  • Barato;
  • Capa com teclado embutido;
  • Conexão USB.

Contras

  • Acabamento deixa a desejar;
  • Android 2.2;
  • Sistema muito modificado.
Seja o primeiro a comentar


Imagem do usuário
Sair

Quer realmente sair da globo.com?

Imagem do usuário

recentes

populares