Jogos de aventura

NOTA tt
8.0

Review Rain

Confira o review de rain, um jogo poético que te coloca na pele de um menino que segue uma garota até um mundo chuvoso, lugar de seres invisíveis – ao menos quando não estão na chuva.

Emanuel Schimidt
por
em

Rain coloca o jogador no papel de um menino que entra em um onírico mundo chuvoso. Seu objetivo é salvar uma garota de um estranho ser que a perseguia. Exclusivo para Playstation 3, Rain está disponível apenas por download na Playstation Network por R$ 30,99. Confira os detalhes dessa bela aventura.

rain é um belo game para Playstation 3, com excelente trilha sonora e arte. (Foto: Divulgação) (Foto: rain é um belo game para Playstation 3, com excelente trilha sonora e arte. (Foto: Divulgação))rain é um belo game para Playstation 3, com excelente trilha sonora e arte. (Foto: Divulgação)

 

Arte e música

Rain é um daqueles jogos que encurtam a distância entre games e arte. É impossível não se envolver com a história, toda contada por desenhos de aquarela. A música, praticamente toda orquestrada, envolve o jogador e é essencial para entrar na atmosfera de Rain.

O tema do jogo é a conhecida “Clair de Lune” (“Luar”, em tradução livre), de Claude Debussy, mas agora com um som de chuva ao fundo e uma pequena letra cantada pela jovem Connie Talbot, características que conseguiram trazer ainda mais beleza à famosa canção. Yugo Kanno, compositor da trilha sonora do jogo, também utilizou o acordeão em momentos certos durante a partida.

Alguns trechos da história de rain são contados com ilustrações em aquarela. (Foto: Reprodução/Blog Otopapa)Alguns trechos da história de rain são contados com ilustrações em aquarela. (Foto: Reprodução/Blog Otopapa)

Outro ponto de Rain que é digno de elogios é sua sonoplastia. Como o foco principal do jogo é a chuva, nada mais natural de que reproduzir seus sons no game. A atenção para os detalhes é tamanha que é possível notar uma goteira ou mesmo pingos sobre as diferentes superfícies. O resultado é tão primoroso que muitos jogadores vão entrar no jogo apenas para relaxar com o som da chuva.

Poesia Narrativa

O objetivo dos desenvolvedores de Rain não foi criar um novo blockbuster, com dezenas de efeitos sonoros e de luz, com história requintada e cheia de reviravoltas. Ao contrário, a proposta se alinha muito mais à de um jogo independente do que um produzido por um grande estúdio. A história é poética e introspectiva, claramente buscando envolver o jogador e criar uma ligação com o menino-herói.

Rain (Foto: Divulgação) (Foto: Rain (Foto: Divulgação))Rain (Foto: Divulgação)

A narrativa de Rain é simples, e lembra muito aquela usada em livros infantis. A história é contada por pequenas frases, que praticamente se mesclam com o ambiente, surgindo à medida que você caminha no game. O problema, nesse caso, é que às vezes você está correndo e um novo pedaço da história é contado. Mas, se não parar à tempo, a frase some – e não tem como repeti-la. A parte boa é que Rain está inteiramente legendado em português, ou seja, todos podem acompanhar a história sem perder seus detalhes.

Controles, câmera e gráficos

Os controles de Rain são extremamente simples, e não chega a usar metade dos botões do DualShock. Os controles são fáceis e respondem bem aos comandos, não atrapalhando a partida. Para ajudar a contar a história, a arte de Rain conta com uma ótima fotografia, dispondo a câmera do jogo em diferentes posições, ora do nível do solo, ora do alto dos prédios, tudo para mostrar determinados detalhes do mundo e do beco em que o jogador se encontra.

A câmera às vezes atrapalha, te impedindo de ver algum canto do cenário. Os jogadores que gostam de explorar todos os ambientes vão se incomodar. Mas basta aceitar que não há nada importante naquele cantinho obscuro que os pontos-cegos da câmera não vão te chatear.

As câmera de rain foram escolhidas para mostrar determinados pontos da cidade. (Foto: Divulgação)As câmera de rain foram escolhidas para mostrar determinados pontos da cidade. (Foto: Divulgação)

Os gráficos de Rain são muito bons, com uma cidade bastante detalhada e belos efeitos de chuva. A transição entre invisibilidade quando em uma área coberta e visibilidade quando na chuva também é bem suave. Essa mecânica foi bem construída, apesar de ter sido resumida basicamente a um esconde-esconde dos monstros quando se está protegido da chuva.

Controlar um personagem invisível também é bem natural, com alguns objetos como garrafas e banquinhos que caem quando você passa em cima deles. Para incrementar um pouco o desafio, algumas vezes você passará por algumas poças de lama e ficará sujo, tendo que criar novas estratégias para escapar dos inimigos.

Curta duração e linearidade

Infelizmente Rain possui alguns “temporais”. Apesar da curta duração (o que não é um problema, já que a experiência é gratificante), a história do jogo várias vezes fica truncada e enfadonha. Faltaram acontecimentos para dar maior corpo ao roteiro e, com isso, não dar a sensação de que está havendo apenas repetições.

Outro problema é a extrema linearidade de Rain, talvez um dos games mais lineares que este colaborador já jogou. Não há nenhum aspecto de exploração do cenário. Ao contrário, até a câmera atrapalha o jogador que quer fuçar cada pedacinho da cidade. Por conta disso, os quebra-cabeças, que poderiam ser desafiadores, se tornam extremamente simples. Você chegará em um beco sem saída e sempre terá apenas um objeto para usar, ou seja, nada que exija muito do jogador.

Rain, a história de amor do menino invisível (Foto: Divulgação) (Foto: Rain, a história de amor do menino invisível (Foto: Divulgação))Rain, a história de amor do menino invisível (Foto: Divulgação)

Esses dois problemas, do roteiro lento e repetitivo somado à extrema linearidade, fazem com que Rain atrapalhe a diversão. Não se espante se, com pouco tempo de partida, já achar o jogo repetitivo. Ao menos após finalizar o game da primeira vez um novo “modo” se abre, liberando três itens “escondidos” em cada um dos capítulos do game. Mas, como não há becos a serem explorados, achar esses objetos não será tarefa das mais difíceis.

Conclusão

Rain é um jogo com uma arte extremamente bela, desde os gráficos, passando pelos desenhos em aquarela que contam determinadas partes da história, e culminando nos efeitos de som e trilha sonora. Os gráficos também são muito bons, e o efeito de visibilidade apenas na chuva é interessante. A experiência do jogador com certeza será positiva, mesmo com o game sendo extremamente linear e com puzzles pouco desafiadores. O fato de vir legendado em português é digno de elogios, principalmente pela possibilidade de todos entenderem a lírica história.

Você prefere o Xbox 360 ou o PS3? Responda no Fórum do TechTudo.

Nota TechTudo

NOTA tt
8.0
Gráficos
9
Jogabilidade
9
Diversão
6
Som
10

Prós

  • - Bela ambientação
  • - História quase onírica
  • - Excelente sonoplastia

Contras

  • - Pouca variedade de desafios
  • - Extremamente linear
  • - História pode ser enfadonha
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Gustavo Silva
    2013-12-02T14:51:36

    Faz meu estilo, comprarei esse. Não conhecia ainda, obg techtudo =)