Jogos de arcade

NOTA tt
9.0

Review Rare Replay

Rare Replay é recomendado aos amantes de videogame, pois compilação está repleta de conteúdo nostálgico. As experiências originais, inclusive, foram fielmente adaptadas.

Victor Alcaíde Teixeira
por
em

Rare Replay é uma coletânea que celebra o 30º aniversário da Rare, cultuada desenvolvedora britânica de jogos. Lançada exclusivamente para o Xbox One, a compilação traz 30 títulos clássicos, que se consagraram como grandes nomes da indústria dos games. Descubra agora se vale a pena voltar à infância em pleno 2015.

Confira os 10 melhores jogos clássicos da coletânea Rare Replay

Review: Rare Replay (Foto: Divulgação/Microsoft) (Foto: Review: Rare Replay (Foto: Divulgação/Microsoft))Rare Replay: confira o review da coletânea nostálgica (Foto: Divulgação/Microsoft)





Uma compilação rara de se ver

A Microsoft tem um tesouro guardado: grande parcela da história do videogame ao alcance dos dedos. Mas parece que a empresa norte-americana está pouco interessada em resgatar a magia que as franquias da Rare proporcionaram aos jogadores nos tempos áureos da Nintendo.

O fato é que, desde Kinect Sports, lançado em 2010 no Xbox 360, a Rare pouco fez para se manter entre as maiores empresas do ramo, ainda que títulos mais recentes, como Banjo-Kazooie: Nuts & Bolts e a série Viva Pinãta, sejam boas renovações.

Os sapos marombados de Battletoads (Foto: Divulgação/Microsoft)Battletoads: os sapos marombados estão de volta (Foto: Divulgação/Microsoft)

A coletânea Rare Replay é um passeio nostálgico pelos 30 anos de existência do estúdio, que já lançou mais de 100 jogos ao longo do tempo. Embora o pacote não inclua os títulos protagonizados por personagens da Nintendo, o game conta com catálogo de franquias memoráveis.

Muitos jogos de Rare Replay envelheceram mal, como é o caso de produções dos anos 80, como Underwurlde e Atic Atac, mas isso não significa que eles não mereçam fazer parte da lista, já que ficaram marcados como projetos que influenciaram gerações.

Além de raridades que você provavelmente nunca chegou a jogar, há também os títulos que ainda estão frescos na memória, como Banjo-Kazooie, Banjo-Tooie, Blast Corps, Battletoads, Killer Instinct Gold e Conker’s. Infelizmente, a ausência de Goldeneye 007, um dos principais games de tiro em primeira pessoa do Nintendo 64, é muito sentida, pois o jogo poderia facilmente substituir Lunar Jetman ou Grabbed by the Ghoulies.

O valioso museu da Rare

A apresentação de Rare Replay é, sem dúvida, uma das mais impactantes recentemente. A aventura começa com um musical protagonizado pelos principais personagens, que dançam e cantam para comemorar o aniversário da empresa. 

Banjo-Kazooie em versão original (Foto: Divulgação/Microsoft)Banjo-Kazooie fará parte de Rare Replay em versão original (Foto: Divulgação/Microsoft)

Em seguida, o jogador é conduzido para um museu, cujas obras são jogos e sinopses detalhadas. Além de games, os fãs também podem apreciar materiais raros, como vídeos que incluem artes conceituais dos projetos, documentários sobre os processos de desenvolvimento e segredos de versões canceladas.

O interessante é que o baú de raridades precisa ser desbloqueado ao longo da jogatina, o que certamente vai incentivar o usuário a se aventurar pelos títulos de menor expressão. Para os caçadores de conquistas, há mais de 10 mil pontos distribuídos entre os clássicos pixelizados e os mais recentes.

O trabalho de adaptação da Rare foi exemplar porque todos os títulos podem ser acessados por meio de um único botão, e é possível trocar de game a qualquer momento. Além disso, as conquistas estão disponíveis no próprio menu do jogo, o que facilita bastante para o jogador acompanhar o progresso dos desafios.

Edição de Conkers Bad Fur Day é a explícita (Foto: Divulgação/Microsoft)Conker's Bad Fur Day está na edição explícita em Rare Replay (Foto: Divulgação/Microsoft)

Visualmente falando, todos preservam o material original, com personagens carismáticos e cenários criativos. No entanto, os controles de alguns jogos não foram tão bem adaptados, como é o caso de Jet Force Gemini e suas mecânicas arcaicas, e Snake Rattle ‘N’ Roll, um game de 1990 com visão no estilo Diablo e jogabilidade confusa.

Especialmente em títulos mais recentes de Xbox 360, também acontecem quedas de desempenho, o que pode ser inaceitável para alguns, já que o Xbox One consegue rodar bem conteúdos que exigem muito mais do hardware interno.

Outro aspecto negativo que precisa ser ressaltado é a versão em disco, que não tem todos os jogos armazenados. Isso significa que, depois da instalação do Rare Replay, ainda é necessário baixar os títulos lançados anteriormente para a plataforma antiga, como Banjo-Kazooie, Perfect Dark, Kameo: Elements of Power, Viva Pinãta e Banjo-Kazooie: Nuts & Bolts.

Conclusão

É difícil não recomendar Rare Replay aos amantes de videogame. A compilação está recheada de conteúdo exclusivo e, embora apresente pequenos defeitos técnicos, as experiências originais foram fielmente adaptadas. Espera-se que a reunião de clássicos, que inclui mais de 30 jogos por R$ 100 – um preço justo pelo conteúdo vasto –, sirva de exemplo para futuras coletâneas.

Quais são os melhores jogos do Xbox One? Dê a sua opinião no Fórum do TechTudo!

Nota TechTudo

NOTA tt
9.0
Gráficos
9
Jogabilidade
8
Diversão
10
Som
9

Prós

  • 30 clássicos em um só jogo
  • Interface convidativa
  • Músicas nostálgicas
  • Sistema de conquistas para jogos antigos
  • Conteúdo adicional relevante sobre a história da empresa

Contras

  • Apresenta quedas de desempenho
  • Comandos confusos em certos títulos
Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares