Linux Mint

Linux Mint

Download do Linux Mint 15 completo já está disponível; baixe e teste

Linux Mint é um sistema operacional baseado no Kernel Linux e derivado da distribuição Ubuntu.  A distribuição está disponível em duas edições: MATE e Cinnamon, que são ambientes gráficos. Em Ambos, o desktop tem um visual bonito e segue o padrão tradicional, com menu e barra de tarefas, diferente da Unity do Ubuntu.

A versão 15 do Linux Mint, cujo codinome é “Olivia”, traz diversas novidades e várias mudanças significativas com o foco na melhoria da experiência do usuário. Algumas das novidades são gerais (independem do ambiente gráfico) e outras são específicas de cada ambiente.

Gerenciador de repositórios

Depois de algum tempo usando o mesmo gerenciador de repositórios do Ubuntu, o Mint agora passa a ter seu próprio aplicativo para isso, o MintSources. Com essa mudança o sistema ganha mais independência em relação o Ubuntu.

Gerenciador de Drivers

Outra nova ferramenta que está disponível no Linux Mint 15 é o “MintDrivers”, um gerenciador de driver que vem para tentar simplificar o processo de gerenciamento de drivers de dispositivos no sistema.

Melhorias no Gerenciador de login

O gerenciador de login padrão do Linux Mint, o MDM, recebeu novos recursos. Ele que já tinha suporte aos temas antigos do GDM. Mas agora ele recebeu suporte a temas em HTML (suporta WebGL e HTML5, CSS, Javascript). Para completar, junto com o MDM, o Mint traz alguns temas HTML para que seus usuários possam aproveitar a novidade. Internamente, o programa também recebeu muitas correções de bugs e melhorias.

Programas atualizados

Ainda que venha com duas opções principais de ambiente gráficos, ambas as edições do Linux Mint 15 “Olivia” compartilham a maioria das aplicações padrão (basicamente todos, exceto o Gerenciador de arquivos e outros componentes específicos de área de trabalho): Firefox 20.0 (mas o Firefox 21 está disponível como uma atualização já), Thunderbird 17.0.6, LibreOffice 4.0.2, GIMP 2.8.4, gThumb 3.0.2, Transmission 2.77, Pidgin 2.10.7, VLC 2.0.6, Totem 3.6.3, Banshee 2.6.0, Tomboy 1.12.0, Brasero 3.6.1, Synaptic 0.80, Mint Backup 2.0.9, Xchat 2.8.8 e muito mais. Além disso, uma vez que o Linux Mint 15 é baseado no Ubuntu 13.04, ele usa o mesmo kernel: o 3.8 juntamente com o servidor Xorg 1.13.3 e a biblioteca Mesa 9.1.1.

Versão Cinnamon

O Cinnamon, é um dos ambientes do novo sistema que mais tem novidades especificas, entre elas: um novo centro de controle, um novo protetor de tela, widgets de desktop (inclusive com suporte a “Desklets”), opção de instalação ou atualização de “especiarias” (applets, desklets, temas ou extensões) diretamente do desktop, maximização horizontal / vertical de janelas e outros recursos menores.O gerenciador de arquivos padrão do ambiente (Nemo) também recebeu uma série de melhorias

O ambiente agora tem um novo protetor de tela que é muito simplista e tem basicamente as mesmas características do Gnome Screensaver, do qual ele é um fork, com exceção de um recurso de mensagem de ausência (exibir uma mensagem de ausência na tela de bloqueio).

Cinnamon agora automaticamente reverterá para renderização de Software(anteriormente conhecido como Cinnamon 2D) quando o Cinnamon completo não é suportado, isso geralmente acontece devido a um problema com os drivers ou se a placa gráfica não suporta qualquer aceleração. Nessa situação, uma notificação crítica  é exibida na inicialização e então ao ambiente é executado no modo de renderização  Software.

Versão MATE

Já o outro ambiente do sistema, o MATE, não vem com tantos recursos visíveis. Ele na verdade traz principalmente muitas melhorias e correções de bugs por  baixo do capô. Dentre as melhorias destaca-se o suporte a MPRIS v2, o mate-settings-daemon agora é capaz de recuperar e é reiniciado automaticamente pelo mate-session, caso ocorra um crash no sistema, o daemon de notificação agora oferece suporte a notificações que “nunca” expirarem”e há também uma nova opção para permitir que os usuários especifiquem em qual tela as notificações devem ser exibidas.

Caja, o gerenciador de arquivos padrão, recebeu suporte para thumbnailers novos, uma nova caixa de diálogo do servidor de conexão portado da Nautilus 3, barra lateral melhorada e mais.

O MATE panel Window List agora suporta o botão do meio para fechar janelas e o alternador de espaço de trabalho tema opção de alternar entre os espaços de trabalho com a roda do mouse. Existem novas opções no centro de controle de MATE para habilitar o Gerenciador de composição de Macro, alt-tab rápido e muito mais. Finalmente, o mintDesktop e mintMenu foram migradas para o MATE 1.6.

Nossa opinião

O Mint se destaca principalmente por usar um desktop tradicional, saindo da atual tendência das outras distribuições de usarem ambientes gráficos focado em um serviço de busca em ver de uma barra de tarefas e menu.

Outro ponto que merece destaque nesse sistema, é o fato dee ele ser fornecido basicamente em duas edições, cada uma com ambiente gráfico especifico. Mais importante, apesar de serem internamente diferentes, ambos mantêm o padrão da interface do Mint. Essa afinidade torna o uso do sistema simples, independente do ambiente que estiver sendo usado. Em uso, no entanto, você irá rapidamente perceber que os menus e as preferências do Cinnamon trabalham de um jeito mais parecido com o Windows, enquanto MATE – que se baseia no descontinuado GNOME 2 desktop – segue o padrão estabelecido do seu ambiente base.

Como é derivado do Ubuntu, o Mint 15 pode ser usado sem instalar e, caso precise, pode ser instalado rapidamente e sem muitas perguntas. Essa característica é importante porque derruba o mito que o Linux é complicado de ser instalado.

Quando se trata de realmente começar a usar o sistema, qualquer pessoa que já usou o Windows Explorer não terá dificuldade em encontrar o caminho de volta no gerenciador de arquivos Nemo. Mas essa versão do sistema tem recursos que vão além de simplesmente imitar o comportamento do Windows, ele faz isso e ainda acrescenta funcionalidades próprias que ajudam a simplificar a vida do usuário.

Claro, não poderia deixar de comentar o quanto a chegada do suporte a temas em HTML para o gerenciador de login do Mint. Essa funcionalidade, embora pareça supérflua, é na verdade uma opção que dá mais controle e permite ao usuário deixar o sistema com um estilo próprio. Isso além de evitar o tédio, faz o usuário se sentir mais dono do seu próprio sistema.

O grande problema de trabalhar com menus no ambiente gráfico é que como existem muitas aplicações ele tende a se tornar muito grande. Entretanto isso só é um problema para aqueles usuários com telas pequenas ou que se incomodam com esse detalhe.

Prós
  • Usa um desktop tradicional
  • Usuário escolhe entre duas opções de ambiente gráficos que tem muita afinidade entre si
  • Gerenciador de arquivos Nemo faz usuários do Windows se sentirem em casa
  • Versão do sistema tem recursos que vão além de simplesmente imitar o comportamento do Windows
  • Suporte a temas em HTML para o gerenciador de login colocam mais controle ao usuário
Contras
  • Menu no ambiente gráfico tende a se tornar muito grande com muitas aplicações

Fotos

Baixar para baixar
mais infos +

downloads

tamanho do download

Licença

Idioma

Desenvolvedor

Nossa Opinião

NOTA tt
9.3

O Mint se destaca principalmente por usar um desktop tradicional, saindo da atual tendência das outras distribuições de usarem ambientes gráficos focado em um serviço de busca em ver de uma barra de tarefas e menu.

Fórum

Linux Mint

Você ficou com alguma dúvida sobre Sistemas Operacionais? Visite o Fórum TechTudo e peça ajuda para a comunidade.

Você vai gostar

Veja tudo sobre Sistemas Operacionais →