Fabricantes

11/01/2011 17h18 - Atualizado em 14/07/2011 07h07

Após processo, Intel paga 1,5 bi para usar tecnologias da NVidia

Rafael Silva
por
Do Tecnoblog

A Intel fechou ontem um acordo bilionário para usar as tecnologias da NVidia, encerrando uma batalha jurídica que já se arrastava por anos. Com o fim do processo, as duas gigantes da indústria de hardware finalmente devem focar em pesquisa e desenvolvimento, ao invés de gastar altas somas de dólares com advogados.

Wafer de processadores (Foto: Intel)Wafer de processadores (Foto: Intel)

A disputa começou em fevereiro de 2009, quando a Intel abriu um processo contra a NVidia. Na época, a conhecida fabricante de processadores gráficos pensava em criar chipsets compatíveis com a tecnologia da Intel, e que por causa de um acordo firmado entre as empresas em 2004, não haveria problemas legais. Ledo engano. O processo se arrastou ao longo dos anos e até gerou um contra-processo por parte da NVidia. Mas nesta segunda-feira a disputa foi finalmente resolvida.

Como parte da resolução do processo, a Intel concordou em pagar 1,5 bilhão de dólares para a NVidia durante os próximos seis anos, em troca do acesso à sua extensa biblioteca de patentes e, consequentemente, do uso de suas tecnologias nos novos microprocessadores. O mesmo, no entanto, não vale para a fabricante de chips gráficos, que vai ter acesso apenas a algumas das patentes da gigante dos processadores, excluindo especificamente aquela que diz respeito à arquitetura x86, a principal tecnologia usada pela Intel hoje em dia.

Já sobre os chipsets que a NVidia chegou a testar, eles sequer chegaram a ver a luz do dia: Em outubro de 2009 a empresa decidiu cancelar o projeto e focar mesmo na produção de placas gráficas. Isso, claro, até aparecer os novos processadores Tegra - e mais recentemente o Tegra 2, que será utilizado em praticamente todos os tablets com Android 3.0 à chegar no mercado este ano.

Via Pocket Lint

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares