26/05/2011 14h14 - Atualizado em 21/11/2013 10h06

Exército americano usa redes sociais para recrutar

Eduardo Moreira
por
Para o TechTudo

A internet é uma criação dos serviços de inteligência dos Estados Unidos, e o próprio exército norte-americano usou a internet durante muitos anos, bem antes de nós. Agora, eles voltam a utilizar a web, mas de forma mais próxima dos jovens americanos. Segundo o jornal The New York Times, o Exército dos Estados Unidos está utilizando as redes sociais para recrutar novos soldados.

Army Strong Stories (Foto: Reprodução)Army Strong Stories (Foto: Reprodução)

Explicando rapidamente o porquê da decisão. No Brasil, o serviço militar é obrigatório. Quando o jovem brasileiro completa 18 anos, ele é obrigado a procurar uma junta militar e, no mínimo, se alistar. Se há algum problema de saúde alguma coisa que o impeça a fazer, ele é dispensado, faz juramento à bandeira e outros procedimentos. Nos Estados Unidos, não. O jovem norte-americano presta o serviço militar se quiser, por “defesa à segurança nacional”, ou por poder fazer uma universidade com custos reduzidos.

O Exército dos Estados Unidos já tem um bom histórico com métodos alternativos para convencer os jovens a se alistarem. A televisão é a mais comum delas, onde eles compram horários publicitários para propaganda. Além disso, eles estampam a sua proposta em carros de corrida e eventos esportivos, com o mesmo objetivo.

Um dos motivos para eles investirem nas redes sociais é que eles mesmos reconhecem que os jovens que ainda assistem TV nos Estados Unidos “pulam” os comerciais, através do recurso do TiVO. Outro fator importante é que os jovens de hoje fazem parte da “geração multitarefa”, pois enquanto os comerciais são exibidos na TV, eles vão fazer outras coisas. Inclusive ver e atualizar a sua conta no Twitter ou Facebook.

Para o Exército dos Estados Unidos, é importante a busca de alternativas para expandir a proposta deles sobre o alistamento militar, e as redes sociais formam um papel importante para isso. As plataformas escolhidas no projeto incluem um canal do Youtube, uma conta do Twitter e, acreditem se quiser, uma página no quase finado MySpace.

Também é possível acessar o conteúdo das Forças Armadas dos Estados Unidos por um aplicativo para iPhone (clique aqui) e na página do Facebook (clique aqui). Para mais informações, acesse a página Army Strong Stories.

Via: Read Write Web

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares