Internet

23/11/2011 15h07 - Atualizado em 23/11/2011 15h07

Graus de separação no Facebook? 4.74 em média, aponta estudo

Eduardo Moreira
por
Para o TechTudo

Pesquisadores do Facebook e da Universidade de Milão publicaram na última segunda-feira (21) o resultado da pesquisa que revelou o novo número de pessoas que separam dois indivíduos no mundo: 4,74. Com esse estudo, eles pretendem derrubar a teoria dos "seis graus de separação".

A teoria original dos "seis graus de separação" foi publicada em 1967, pelo psicólogo Stanley Milgram, e diz que qualquer pessoa no planeta está, de forma indireta, relacionada à outra, através de um intervalo de até quatro pessoas, formando um elo de seis indivíduos envolvidos nessa corrente. Na época, Milgram utilizou 296 voluntários, que foram convidados a enviar uma mensagem em um cartão postal através de amigos e amigos dos amigos, para uma pessoa específica na cidade de Boston.

Já o estudo realizado pela Universidade de Milão foi bem mais abrangente. Utilizou 721 milhões de usuários cadastrados no Facebook, o que representa hoje mais de 10% da população mundial. O experimento durou um mês, e os pesquisadores utilizaram um conjunto de algoritmos desenvolvidos na própria universidade italiana, que calculavam a distância média entre duas pessoas.

Menino no Facebook (Foto: Reprodução)Número de separação é de 4.74. (Foto: Reprodução)

Um vasto número de alternativas foram apresentadas, e os estudos revelaram que o número médio de conexões de uma pessoa para outra era de 4.74 pessoas ao redor do planeta. Nos Estados Unidos, onde mais da metade das pessoas com mias de 13 anos de idade estão no Facebook, esse intervalo é ainda menor: 4.37 pessoas.

Essa não é a primeira vez que uma gigante da tecnologia faz um estudo como esse. A Microsoft fez algo semelhante em 2008, e estabeleceu uma corrente média de 6,6 pessoas, confirmando assim a teoria de Milgram. Na época, eles analisaram as mensagens de chat de mais de 240 milhões usuários. Eric Horvitz, pesquisador da Microsoft que liderou esse estudo, disse que a pesquisa foi baseada naquelas que trocavam mensagens constantemente, e não naquelas que se identificavam como "amigos" nos perfis de salas de bate-papo ou serviços de mensagens instantâneas.

Em um comunicado publicado no blog oficial do Facebook, eles destacam que "provavelmente um amigo de seu amigo conhece um amigo de seu outro amigo", ilustrando em um tom bem humorado o resultado do estudo. Porém, a pesquisa levanta uma questão importante: na era das redes sociais, qual é a real definição do termo "amigo" dentro do Facebook?

Via NYTimes

 


Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares