Internet

03/02/2012 11h20 - Atualizado em 03/02/2012 12h16

A grande Universidade aberta Intergalática

Roberto Cassano
por
Para o TechTudo

Detectar mentiras, desenhar retratos, tirar raiz quadrada na mão, fazer ilusionismo, digitar rápido, tocar violão, fazer tranças no cabelo e batata recheada. Tem um lugar onde você pode aprender tudo isso, de graça: na primeira página da busca por “Aprenda” no YouTube, que mostra 22 dos 158.000 resultados identificados.

YouTube - A grande Universidade aberta Intergalática (Foto: Reprodução/YouTube)YouTube - A grande Universidade aberta Intergalática (Foto: Reprodução/YouTube)

Tem muita baboseira no YouTube, mas também tem muito conhecimento sendo compartilhado da forma mais clara, direta e sedutora: em vídeo. A impressão que se tem é que é possível aprender qualquer coisa entre os milhões de vídeos do portal. Pude experimentar isso quando comprei baratinho um Google Nexus One praticamente novo, exceto pela tela, estilhaçada por um tombo de seu antigo dono.

Mais que um smartphone Google puro sangue (hoje, mesmo aposentado, ainda tem software mais atual que meu aparelho corrente), comprei a adrenalina de fazer uma cirurgia de transplante de tela em um produto de alta tecnologia.

Junto ao celular, comprei no Mercado Livre um kit com tela sobressalente e as chaves especiais para abrir o aparelho. Faltava uma coisa: eu não fazia a menor ideia de como se trocava a tela do smartphone.

A resposta estava no Youtube, em um vídeo-tutorial de 45 partes gravado por um sujeito que não tinha tanto talento assim para a coisa. Mas funcionou para ele e para mim. Foram longas horas acompanhando passo-a-passo. Por fim, sobrou uma pequena peça que nunca descobri para que servia e que, aparentemente, jamais fez falta.

O YouTube como Universidade aberta Intergalática respeita o princípio da Internet de que qualquer um pode ser um produtor de conteúdo. Aqui, todos podem ser professores, e dos bons. Isso vale para gente gabaritada, como o americano (que também tem nacionalidade de Bangladesh) Salman Khan, eleito pela revista Veja como o melhor professor do mundo. Usando o YouTube e a ONG que fundou, a Khan Academy, ele já gravou 2.800 vídeos onde elucida temas diversos, a maioria no campo da matemática.

E a democracia vale até para quem nem pensava em ensinar. Que o diga o japonês que resolveu aprender a sambar pelo Youtube. Só que ele fez isso observando vídeos de… passistas femininas. O resultado de visível empenho e motivação é uma performance hilária que fez sucesso na TV no programa Esquenta!, comandado por Regina Casé.

O que as pessoas buscam?

Nem sempre a matéria que o professor coloca no quadro é o que os alunos querem aprender. Se formos considerar as sugestões de termos de busca do YouTube para completar a frase “Como fazer…”, o que a galera mais quer descobrir nos vídeos é como fazer:

- mágica
- uma arma de papel
- trança embutida
- um Orkut
- cachos com a chapinha
- maquiagem
- um jogo
- um MSN
- uma guitarra chorar

Se juntarmos tudo, teremos guitarristas de tranças com chapinha e cara pintada fazendo mágica e origami no Orkut e no MSN. Não é exatamente o que eu chamaria de uma nova Renascença, mas pelo menos as pessoas estão buscando aprender algo.

Ensinar é uma forma de altruísmo, de querer compartilhar. Mas também é mostrar que sabe, ganhar algum capital social. Isso explica o sucesso dos vídeos de tutoriais. Para cada assunto, haverá sempre especialistas naquilo. E para cada grupo de especialistas, sempre haverá aquele com tempo e recursos técnicos para ensinar, seja lá qual for a motivação.

Desta maneira, o YouTube passa a ser muito mais que um mero aglomerador de vídeos. Se a Wikipedia é nosso repositório coletivo de conhecimento enciclopédico, o YouTube é nosso cérebro global dos conhecimentos práticos e dos conceitos. De como cortar cebola a palestras inspiradoras dos eventos TED mundo afora. Com os recursos de legendas, são cada vez menores as barreiras e fronteiras para que um bom tutorial ou ensinamento ganhe o mundo. A Universidade Intergalática não tem limite de vagas nem vestibular para entrar.

E quanto mais conhecimento for compartilhado, mais forte ficará essa cultura. Fica, então, o convite/desafio: se você sabe alguma coisa especial, grave, suba. Torne-se professor da Grande Universidade Global.

O YouTube disponibilizou recentemente um vídeo mostrando o tamanho da rede, quantas pessoas e usuários criam e assistem vídeos. O brasileiro "Mystery Guitar Man" é o protagonista, confira abaixo (em inglês, mas com opção de legenda em português): 

--

O TechTudo apoia o Brasil Sem Vírus, movimento que dissemina práticas de segurança e distribui antivírus gratuitamente. Estima-se que 80% dos brasileiros já estiveram com os computadores ameaçados por vírus e ataques de hackers. Você pode ajudar sua rede de amigos enviando uma vacina para eles. Seja voluntário!

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Marcos Souza
    2012-02-03T12:26:48

    Consegui consertar um Playstation 3 vendo videos pelo Youtube, e comprando a peça pela internet também...