07/03/2012 16h16 - Atualizado em 09/03/2012 10h51

Apple e Lytro: empresas podem mudar mercado fotográfico

Victor Vasques
por
Para o TechTudo

Lançada no começo de 2012, a câmera Lytro já pode ser considerada um dos grandes destaques do ano. Com uma lista de espera de um milhão de compradores ainda na sua pré-venda, a Lytro não é apenas uma simples câmera nova no mercado, isso porque a introdução da tecnologia de captação e processamento de raios de luz pode mudar o jeito que nos relacionamos coma fotografia compacta.

apple-revolucao-cameras-televisao-camera-lytro-raios-luz-fotografia-20120306 (Foto: apple-revolucao-cameras-televisao-camera-lytro-raios-luz-fotografia-20120306)Mercado fotográfico ganha produto tão revolucionário quanto a TV HD foi para o filme em 3D para a televisão e cinema, diz fotográfico especialista em técnicas de fotografia digital.

Não foi à toa que Steve Jobs, já em seus últimos dias, correu para se reunir com o malasiano Ren Ng, criador da câmera. Isso porque a tecnologia aplicada na Lytro data da década de 90, mas até então eram necessários um conjunto de câmeras e um supercomputador para processar as imagens com foco dinâmico. Ren conseguiu compactar tudo isso em 11 cm e com isso chamar a atenção de Steve Jobs.

Coincidência ou não, o software patenteado pela Lytro atualmente só funciona em computadores Apple, dando uma margem de vantagem competitiva da grande maçã em cima da Microsoft.

Além da tecnologia, é nítida a afinidade da Lytro com os produtos Apple. Compacta, poucos botões e facilidade de uso, tudo isso unido à comodidade de facilitar a vida do consumidor, afinal, quem nunca tirou uma foto com os amigos e depois viu que a linda recordação ficou sem foco? Com a Lytro, esse problema ficou jurássico.

"Brinquedinho" mão na roda

Lytro Light Field Camera (Foto: Divulgação)Lytro Light Field Camera (Foto: Divulgação)

A Lytro traduz pelo menos três conceitos compartilhados pela Apple: inovação, praticidade e preço.

Valendo menos de 400 dólares, com um software embutido capaz de ajustar o foco e compacta, ela fica berlinda apenas quando o assunto é a sua permanência no mercado.

Para o fotógrafo e quase físico, Flávio R.B., a câmera ultra revolucionária é "um ótimo brinquedo e vai fazer muito sucesso, algo parecido com o que é o filme em 3D hoje para a televisão e cinema". Mas o fotógrafo foi cuidadoso ao responder sobre a tendência da câmera como um gadget popular na acirrada disputa pelo espaço no mundo da fotografia.

— Como fotografia, acho que não deve pegar, mas será um algo a mais a ser levado em conta por todos os que gostam de imagens. Não creio que essa tecnologia venha a substituir a fotografia tradicional num casamento, por exemplo.

Mas ele também avalia que se a tecnologia é tão inovadora como tem sido propagada, pode vir a "ser um sucesso de vendas e até, um dia, atingir o mercado de fotografia como um todo", acredita.

Recursos

Não é apenas o foco posterior à  que deve ter chamado à atenção de Jobs, as imagens captadas pela Lytro permitem que sejam geradas imagens 3D sem a necessidade de nenhuma conversão. Ainda segundo Walter Isaacson, biógrafo da Apple, Jobs queria reinventar a televisão e os livros, além de manter um espaço garantido para a fotografia.

O preço baixo e a tecnologia inovadora tornam a Lytro uma forte candidata a parceira da Apple e, arriscaria em dizer, que não ficaria surpreso caso os novos modelos de iPhone e iPad fossem lançados com a tecnologia de captação de raios de luz. Em um palpite mais alto, não seria surpreendente a aquisição da empresa de Ren pela Apple e a possível revolução do mercado de câmeras digitais, assim como foi com o iPhone.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares