Câmera

16/05/2012 13h29 - Atualizado em 17/05/2012 10h23

Câmeras Leica estão entre as mais caras; saiba por quê

Julio Preuss
por
Para o TechTudo

Esta semana os sites de notícias do mundo todo publicaram que uma máquina fotográfica da marca alemã Leica foi arrematada em um leilão pela bagatela de US$ 2,8 milhões, tornando-se a câmera mais cara do mundo. A raridade é uma das 25 que foram produzidas em 1923, dois anos antes do início oficial das atividades da empresa.

Quase tão impressionante quanto o preço, porém, é que a maquininha ainda funciona – um atestado e tanto à qualidade e durabilidade das câmeras Leica.

Leica Edition Hermès: a partir de US$ 25 mil (Foto: Leica Edition Hermès: a partir de US$ 25 mil)Leica Edition Hermès: a partir de US$ 25 mil (Foto: Leica Edition Hermès: a partir de US$ 25 mil)

Na semana passada, os sites dedicados a produtos de luxo haviam se deliciado com o anúncio de duas edições limitadas da digital Leica M9-P, esta belezinha da foto ao lado, revestida em couro de bezerro.

Bem mais barata que sua tataravó multimilionária, mas ainda assim inacessível para o consumidor comum: as 300 unidades produzidas da Edition Hermès custam US$ 25 mil cada, enquanto os 100 exemplares da superexclusiva Serie Limitee Jean-Louis Dumas, homenagem ao ex-presidente da Hermès, saem a US$ 50 mil - com direito a três lentes. Pechincha, não?

M-Monochrom: excelente definição em P&B (Foto: M-Monochrom: excelente definição em P&B)M-Monochrom: excelente definição em P&B
(Foto: M-Monochrom: excelente definição em P&B)

Já para quem ama a arte da fotografia, adora a tradição da Leica, mas tem um pouco menos de dinheiro sobrando, a novidade mais interessante é a M-Monochrom, de "apenas" US$ 7.950.

Também baseada no corpo da M9, esta rangefinder de 18 megapixels se destaca por uma característica que não se via nas câmeras digitais há praticamente duas décadas: ela fotografa em preto e branco. Ou melhor: ela só fotografa em preto e branco!

Mas, naturalmente, o faz com um primor de qualidade inimaginável nas câmeras comuns em modo P&B - pelo menos foi esta a primeira impressão do site especializado DPreview, que já teve a oportunidade de brincar com uma. 

Verdade seja dita, os sensores usados em praticamente todas as câmeras digitais são incapazes de capturar imagens coloridas (a exceção fica por conta dos Foveon X3 sobre os quais escrevi no início do ano passado).

As fotos saem coloridas graças a um conjunto de filtros situados à frente do sensor, responsáveis por limitar a captura de cada pixel a uma cor – de modo geral, vermelho, verde ou azul. Depois, o processador da câmera interpola a informação dos pontinhos adjacentes para adivinhar a cor de cada um deles.

A grande vantagem da M-Monochrome, portanto, não é o que ela faz, mas o que ela deixa de fazer: ao dispensar os filtros de cor, a câmera também não precisa interpolar nada, proporcionando uma imagem com muito mais definição. Mas sem cor.

Leica X2: lente fixa por US$ 2 mil (Foto: Leica X2: lente fixa por US$ 2 mil)Leica X2: lente fixa por US$ 2 mil (Foto: Leica X2: lente fixa por US$ 2 mil)

Achou cara para o que oferece? Que tal, então, partir para a Leica X2 da foto ao lado, uma compacta equipada com sensor de 16 megapixels e formato APS-C, equivalente aos usados na maioria das câmeras reflex?

A lente, fixa, tem distância focal equivalente a uma 36mm e abertura máxima de f/2,8, boa para fotos com pouca luz (embora a câmera tenha flash embutido e sapata para um externo).

Custa US$ 1.995, já no patamar das melhores reflex profissionais, mas ainda meio salgada para uma câmera que nem zoom tem.

V-Lux40, irmã da Panasonic TZ30/ZS20 (Foto: V-Lux40, irmã da Panasonic TZ30/ZS20)V-Lux40, irmã da Panasonic TZ30/ZS20
(Foto: V-Lux40, irmã da Panasonic TZ30/ZS20)

OK, última chance de ostentar a bolinha vermelha símbolo da marca: a V-Lux40, uma compacta superzoom com aproximação de 20X (equivalente a 24-480mm), sensor de 14 megapixels e localizador GPS.

Custa US$ 699 - exatamente o dobro do preço original de sua irmã pobre, a Panasonic Lumix ZS20 / TZ30. Para quem não sabe, Panasonic e Leica há muito "trocam figurinhas" em suas linhas compactas, frequentemente equipadas com eletrônica da marca japonesa e projeto ótico da grife alemã.

Ou seja: ao comprar a V-Lux40 em vez da ZS20, se estará pagando US$ 350 pela bolinha vermelha. Ah, e uma cópia do Photoshop Elements, incluído apenas no pacote da Leica. Como se cliente Leica não tivesse dinheiro suficiente para comprar todos os programas que quiser... 

Tem uma Leica? Compartilhe suas imagens com o TechTudo. Envie fotos para juliana.silva@corp.globo.com e  não deixe de colocar informações como a localização (onde fez a foto), configuração e, claro, o seu nome e a sua cidade.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares