15/07/2012 09h46 - Atualizado em 15/07/2012 09h46

RioCard, Bilhete Único... Saiba como funcionam cartões para pagar transportes

Pedro Pisa
por
Para o TechTudo

O RioCard é o cartão do bilhete eletrônico para os ônibus em diversas cidades do estado do Rio de Janeiro. Ele é um cartão pré-pago, que facilita o pagamento de passagens nos meios de transporte da cidade. Em São Paulo, por exemplo, o cartão do Bilhete Único adota a mesma tecnologia, que é empregada em muitas cidades do país. Mas você sabe como ela funciona?

A lógica de funcionamento é simples. Dependendo da modalidade, o usuário pode adquirir um cartão descartável ou recarregável. O usuário aproxima este cartão de um leitor eletrônico e, caso tenha crédito suficiente para a passagem, a roleta é liberada.

Bilhetes eletrônicos do transporte público do Rio de Janeiro (Foto: TechTudo)Bilhetes eletrônicos do transporte público do Rio de Janeiro (Foto: TechTudo)

O cartão do RioCard é um cartão inteligente (smartcard), que tem funcionamento semelhante aos cartões de crédito. No entanto, não requer contato com o leitor para autenticar o usuário. O processo de autenticação é o uso principal dos smartcards e significa que um usuário é realmente quem ele diz ser.

Como é feita a autenticação?

A autenticação é feita com base em chaves criptográficas e, para cada cartão, criam-se duas chaves. O mais importante da tecnologia de segurança dos cartões inteligentes é garantir que a chave nunca saia do cartão. Por isso, existe um microprocessador dentro de cada cartão inteligente para realizar as operações criptográficas necessárias no próprio cartão.

Com esses conceitos em mente, define-se alguns princípios básicos do funcionamento do RioCard. Inicialmente, os cartões armazenam um identificador público e as suas chaves. A Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) possui uma base de dados com todos os cartões emitidos, suas chaves, dados do emissor, do usuário e dos créditos.

É importante ressaltar que o saldo do usuário não fica armazenado no próprio cartão. Dessa forma, em caso de perda ou roubo, a Fetranspor pode adicionar os créditos do cartão antigo ao cartão novo, fazendo com que o usuário não perca seus créditos. Portanto, além da praticidade, a tecnologia oferece também segurança para os usuários, pois um cartão roubado pode ser cancelado e o saldo recuperado.

Como dito anteriormente, a autenticação é o processo mais importante dos realizados com cartões inteligentes. No caso do RioCard, a dinâmica é bem simples. Ao aproximar o cartão do leitor, o leitor define qual chave o cartão deve usar. Então, o cartão escolhe um número aleatório e envia para o leitor como um desafio.

Ao receber esse desafio, o leitor encripta o número com a chave escolhida e sorteia outro número aleatório para ser o desafio do cartão. Ambos são enviados para o cartão, que, ao recebê-los, deve decriptar o desafio enviado para o leitor com a chave do leitor. Caso o número seja o mesmo enviado como desafio, o leitor está autenticado.

O cartão segue então para encriptar o desafio recebido com sua chave. A resposta do desafio é enviada para o leitor, que decripta-a com a chave do cartão escolhida e verifica se o número enviado é o mesmo. Se for, o cartão é autenticado. Repare que, nesse processo, a autenticação é dupla, ou seja, tanto o cartão quanto o leitor são autenticados. Após a autenticação, a passagem é tarifada e a roleta do transporte é liberada.

Componentes do RioCard (Foto: Adaptação / Phillips)Componentes do RioCard (Foto: Adaptação/Phillips)

Os principais componentes de um cartão inteligente sem contato são a antena de transmissão e o módulo de processamento. Conforme apesentado na imagem acima, a antena é enrolada na extensão do cartão, maximizando a área dentro do anel formado pela antena. Como o cartão não possui fonte externa de alimentação de energia, a antena, além de ser usada para comunicação dos dados, recebe energia elétrica através de indução magnética.

Toda essa tecnologia é usada no nosso dia a dia para dar mais praticidade e segurança para os usuários de transporte público. E você, leitor? O que acha dos cartões de bilhetagem eletrônica? Gosta do funcionamento do RioCard? Deixe sua opinião em nossos comentários.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares

  • Antônio Carlos
    2015-03-14T20:43:39

    Boa noite, gostaria de saber como funciona o rio card expresso? se funciona como os outros onde dentro de 2:30 vc não paga a outra condução? minha maior dúvida...Obrigado!

  • Adriano Gonçalves
    2014-08-28T15:00:39

    A minha maior dúvida é como o saldo é atualizado entre os ônibus e à central. E como isso é rápido a ponto de você descer de um ônibus e pegar outro e conseguir utilizar normalmente o cartão?

  • Sinval Cunha
    2014-04-14T17:49:57

    Agora entendo o porque de meu smart fone dar defeitos . Eu sempre colocava o meu bilhete único, dentro da capa do celular, colado no telefone para facilitar na hora de pegar o ônibus , depois desse esclarecimento não o faço mais

  • Jorge Silva
    2012-07-16T09:42:39

    e as pessoas que não vivem no Rio de Janeiro como fica

  • Jorge Silva
    2012-07-16T09:42:28

    como fica o idoso

  • Damião Campos
    2012-07-15T13:48:09

    Muito show, à tempos que queria saber como funcionava os cartões usados no transporte público.

  • Giliard Lima
    2012-07-15T12:21:45

    e deixa muitos cobradores sem emprego ne parabens governo

  • Luis Silva
    2012-07-15T12:20:32

    são emitid os relatçorios, sim ou não.

  • Luis Silva
    2012-07-15T12:14:45

    E como fica o controle do saldo, é a empresa quem controla

  • Rodrigo Azevedo
    2012-07-16T00:18:08  

    Texto bastante informativo, mas tem algumas coisas erradas aí. Na verdade o RioCard guarda sim o saldo do usuário, que é sincronizado com o sistema central, ajudando inclusive a detectar fraudes, e é também necessário pois as leitoras nos ônibus não ficam 100% do tempo conectadas na internet, portanto caso o ônibus esteja passando por um túnel, por exemplo, a leitora não conseguiria decidir se o usuário tem saldo suficiente para passar ou não.

    recentes

    populares

    • Rodrigo Azevedo
      2012-07-16T00:18:08  

      Rodrigo Azevedo, sua afirmação não corresponde com a realidade, participei do projeto de um equipamento similar ao do Rio de Janeiro e a equipe do Rio nos visitou à época para conhecer nossa tecnologia e quanto ao saldo no cartão e manutenção de real time, eles seguiram nossas propostas, no cartão a memória de 64K é usada para o sistema operacional (controlar admissão de energia indutiva, armazenas as cripkeys e controla a transferência e dados...guardar o saldo iria requer muitas linhas de programação do S.O., um criptógrafo interno e consumo maior de energia.....continuando...........

    recentes

    populares

    • Rodrigo Azevedo
      2012-07-16T00:18:08  

      .........além de que o tempo de contato subiria mais de 40% para que todos os novos processos fossem concluídos, todos os itens seriam gravames para a agilidade de processo no dia-a-dia, quanto a real time com o banco e dados, realmente não existe, a conexão é feita a cada 20 minutos in batch.