15/05/2013 11h30 - Atualizado em 15/05/2013 11h30

Entenda como quebrar 'regras' da fotografia pode gerar belas imagens

Adriano Hamaguchi
por
Para o TechTudo

Quebrar regras tradicionais da fotografia pode gerar imagens interessantes, acredite. A maioria das pessoas tende a seguir uma linha e, por isso, ângulos inusitados e a mistura de técnicas resultam em imagens “diferentes” do usual. Confira alguns exemplos em que fugir às regras básicas da fotografia pode criar belas fotos.

Imagem de prédios da Times Square em Nova Iorque (Foto: Michael Yamashita)Prédios da Times Square em Nova York (Foto: Michael Yamashita)

Quebrando a regra dos terços

Uma técnica bem conhecida de composição fotográfica é dividir o espaço da imagem em três partes, na vertical e na horizontal e posicionar os objetos principais nas intersecções. Este enquadramento faz com que a visualização da imagem se torne mais agradável.

Quebre a regra, posicionando o objeto principal no centro. Neste exemplo, a criança pulando que é o elemento que mais chama a atenção está posicionada no meio da composição, e as demais pessoas ajudaram a dar equilíbrio e simetria à imagem.

Imagem de crianças brincando em trampolim (Foto: James Nachtwey)Crianças brincando em trampolim (Foto: James Nachtwey)

Inclinando sua câmera

Manter a linha horizontal reta para fotografias de paisagem é o padrão para este tipo de imagem. Experimente inclinar a câmera para captar um ângulo mais dramático. No  exemplo, o fotógrafo inclinou a câmera para os lados e apontou para cima, aumentando a imponência da estrutura do celeiro.

Imagem de celeiro de propriedade rural (Foto: Raul Touzon)Celeiro de propriedade rural (Foto: Raul Touzon)

Aponte para a luz

Outra regra básica é “nunca apontar para a luz”. Fotografar a favor da luz é o mais usual, pois garante que a face retratada do objeto seja devidamente iluminada.

Já fotografar contra o ponto de iluminação permite captar a silhueta escurecendo seu objeto. Para evitar que a luz captada seja excessiva, obstrua o ponto de iluminação com algum objeto da cena, como o fotógrafo fez com o leque na foto a seguir.

Imagem de silhuetas de pessoas praticando exercícios matinais (Foto: Justin Guariglia)Silhuetas de pessoas praticando exercícios matinais (Foto: Justin Guariglia)

Imagens “borradas” pelo movimento

Na maioria dos casos, temos a intenção de obter imagens extremamente nítidas, mesmo quando fotografamos objetos em movimento. Fazer com que alguns objetos da composição ganhem a aparência “borrada” também pode enriquecer artisticamente sua fotografia.

Use velocidades menores para captar o “movimento na imagem”. Mantenha algum elemento da composição mais nítido que o restante, seguindo o objeto desejado com a direção da câmera de acordo com seu movimento.

Imagem de bailarina dançando (Foto: Joseph Valdivia)Bailarina dançando (Foto: Joseph Valdivia)

Objeto principal fora de foco

Uma fotografia dentro dos padrões convencionais mantém o objeto principal focado em primeiro plano e os objetos de menor importância desfocados.

Neste exemplo a mulher que está em segundo plano, um elemento de importância secundária, foi capturada com nitidez e o elemento principal está fora de foco. Este tipo de composição passa a sensação de estarmos à espreita, observando discretamente a cena.

Para obter imagens como esta, opte pelo foco manual e uma grande abertura para aumentar o efeito de “camadas”.

Imagem de mulher ao fundo em foco, à esquerda, e imagem de pessoa fora de foco, à direita (Foto: Randy Olson)Mulher ao fundo em foco, à esquerda, e imagem de pessoa fora de foco, à direita (Foto: Randy Olson)

Aumente (ou diminua) o zoom enquanto dispara

Apesar de ser um recurso fácil de aplicar em imagens no Photoshop, é possível captar imagens com este efeito diretamente com sua câmera. Selecione uma velocidade mais lenta, segure a câmera firmemente e aumente (ou diminua) o zoom de sua DSLR num movimento uniforme enquanto fotografa.

Infelizmente não é possível obter imagens deste tipo com câmeras digitais compactas, pois elas não permitem que você altere o zoom durante o clique.

Imagem de prédios da Times Square em Nova Iorque (Foto: Michael Yamashita)Prédios da Times Square em Nova York (Foto: Michael Yamashita)

Valorize os espaços vazios

Espaços vazios não significam desperdício de espaço. Considere que o espaço vazio seja um elemento a ser retratado com a mesma importância de uma pessoa ou objeto.

No exemplo, todo o horizonte, a superfície da água, as ondas suaves ajudaram a compor um cenário tranquilo, quase irreal, complementando a interpretação de quem vê uma imagem “tranquila”.

Imagem de pessoa em bote numa lagoa (Foto: Randy Olson)Pessoa em bote numa lagoa (Foto: Randy Olson)

Fotografe com sol a pino

Uma mesma cena fotografada em horários diferentes resulta em imagens completamente diferentes, pois a posição do sol altera a direção da sombra e o tamanho das sombras, além de afetar na tonalidade de cores.

Fotografar ao nascer e ao pôr do sol traz um clima diferenciado às imagens. E fotografar sob o sol do meio-dia resulta em sombras bem definidas abaixo do objeto principal, como pode ser observado na imagem abaixo. Além disso, os objetos ficam iluminados mais intensamente, dando mais vida e ação à cena.

Imagem de jovens pulando de uma ponte em canal (Foto: Amy Toensing)Jovens pulando de uma ponte em canal (Foto: Amy Toensing)

Quebrando a regra do espaço

Normalmente deixamos mais espaço na composição, na direção para onde o objeto principal tende a se movimentar. Desta maneira, se fotografamos uma pessoa andando da esquerda para a direita, enquadramos a pessoa na porção esquerda e deixamos a porção direita “livre”, mostrando o local para onde ela está indo.

Faça o inverso. Dê mais destaque para o trajeto já percorrido pelo objeto. No exemplo, o fotógrafo chama a atenção para os detalhes da sombra das três moças projetadas na areia.

Imagem de mulheres caminhando sobre areia em praia (Foto: Johnny Nicoloro)Mulheres caminhando sobre areia em praia (Foto: Johnny Nicoloro)

Para quebrar regras e mesmo assim ter boas fotografias você precisa dominar os recursos disponíveis em seu equipamento e saber conhecer seus efeitos sobre a imagem. Ou então, conte com a sorte. Belas imagens “acidentais” também acontecem, e você pode criar seus próprios estilos e séries.

Via National Geographic

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares