Por Filipe Garrett, para o TechTudo

Divulgação/Dell

O notebook pode perder performance com o tempo e apresentar lentidão na hora de ligar ou realizar tarefas do dia a dia. Além de investir em componentes mais rápidos, você pode tentar recuperar algo desse desempenho por meio de correções simples. Na lista a seguir, indicamos dez dicas para deixar o notebook mais rápido.

1. Limpar inicialização do sistema

Permita inicialização automática apenas daquilo que for necessário: o Windows vai carregar mais rápido — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Quando o computador inicia o Windows, há uma série de componentes e aplicações que podem carregar automaticamente, aumentando o tempo necessário para abrir o sistema. Elas ocupam memória RAM desde o início da sua sessão no computador. Uma sugestão é diminuir a quantidade desses componentes, para que o Windows não demore tanto.

Para fazer isso, você pode abrir o Gerenciador de Tarefas (o atalho CTRL + SHIFT + ESC é uma das várias formas de fazer isso). Clique na aba “Inicializar” para visualizar todos os apps e componentes que são carregados automaticamente com o Windows. Escolha os que deseja desabilitar, clique com o botão direito do mouse sobre eles e escolha “Desabilitar”.

No nosso exemplo, veja que há atualizadores de navegadores de internet, da Cortana, de softwares da Adobe ou de aplicações de gerenciamento de periféricos, como mouses. No fim, deixamos apenas dois itens ativos, salvando bastante tempo de processador durante a inicialização do sistema operacional.

2. Desfragmentação de disco

Se você não usa SSD e ainda depende de um computador com disco mecânico – o HD tradicional –, é uma boa ideia recorrer à desfragmentação de disco. Dada a natureza pela qual o sistema organiza arquivos nessa mídia, com o tempo, é comum que seus dados sejam fragmentados na unidade: um pedaço do arquivo A pode estar na parte X do disco, a metade na parte Y e o final na parte Z.

Desfragmentar o disco (em PCs com HDs mecânicos) pode garantir mais desempenho — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Isso significa que para ler corretamente esses dados, seu HD precisa percorrer todos esses pontos para montar o arquivo coeso. Essa busca em pontos físicos diferentes significa um custo em tempo, já que a cabeça de leitura do HD terá que se mover buscando cada um desses pontos.

Ao desfragmentar o disco, o Windows se encarrega de reordenar os dados de forma que eles assumam uma estrutura mais lógica, diminuindo os tempos de leitura e, consequentemente, fazendo com que o acesso a dados – particularmente a arquivos grandes – seja bem mais ágil.

Para acessar o recurso de “Desfragmentar e Otimizar” basta usar a busca do Windows, apenas digitando “Desfragmentar”.

3. Use o plano de energia de alto desempenho

Usar planos de energia que liberam mais desempenho podem deixar o notebook mais rápido — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Notebooks precisam equilibrar a necessidade de máxima performance com o consumo de energia: quanto mais desempenho, maior é o gasto de energia e maior é calor gerado pelo notebook. Em virtude disso, é comum que laptops trabalhem com planos de energia que limitam a performance para diminuir o consumo de bateria e a emissão de calor.

No Windows 10, você pode alterar facilmente o plano de energia de modo a liberar mais performance ao seu computador – ainda que isso possa representar gasto maior de energia e vá comprometer a bateria. Para fazer isso, clique sobre o ícone de bateria na barra de tarefas e escolha “Mais alto desempenho”.

Alternativamente, você pode acessar as configurações de energia do sistema e criar um plano customizado que libere alta performance durante todo o tempo. Lembre-se que haverá aumento no consumo de energia, algo que pode diminuir sensivelmente a duração da bateria.

4. Sacrifique funções para melhor performance

A interface do Windows vai ficar mais simples, mas o computador vai ficar mais rápido — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

O Windows aplica efeitos visuais e transições de tela por padrão, para uma experiência de uso mais agradável. O problema é que há um custo em performance para esse maior capricho gráfico, algo que pode acabar onerando computadores com especificações modestas.

Você pode simplificar o visual do Windows para liberar mais desempenho. Para fazer isso, digite “performance” na busca do sistema e abra “Ajustar a aparência e o desempenho do Windows”. Na nova janela, selecione “Ajustar para obter um melhor desempenho”, clique em “Aplicar” e depois em “OK”.

5. Desinstale softwares que você não usa e opte por apps mais leves

Vale a pena revisar a lista de aplicações instaladas no computador para desapegar daquilo que você não usa. Alguns apps podem deixar serviços rodando em segundo plano, mesmo quando não estão em uso, e isso pode explicar perda de performance.

Livre-se dos apps que você não usa e considere alternativas mais leves — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Outra boa ideia é procurar apps equivalentes que sejam mais leves: em vez de um antivírus pago e robusto, mas que pesa no seu computador, você pode economizar dinheiro e desempenho usando o antivírus nativo do Windows 10, que é de boa qualidade. É importante checar o que o software oferece ou não.

Em vez do Chrome, você pode tentar um navegador mais leve, como o Midori – que é compatível com todas as extensões do browser do Google. Em vez do Office, pode recorrer ao Google Docs direto do navegador, ou talvez considerar o Libre Office na versão Portable: completamente gratuita, a suíte tem apps de produtividade para tudo, é compatível com os formatos do Office da Microsoft e nem sequer precisa ser instalado na máquina. Ainda por cima, é completamente gratuito.

6. Remova arquivos temporários

Um disco muito cheio pode causar lentidão na leitura de dados. É recomendado que você evite deixar a unidade C: do seu sistema no limite, sem espaço livre, pois o Windows pode ter dificuldade de encontrar onde guardar dados da chamada memória virtual, que não cabe na RAM do seu computador.

Você pode usar o Sensor de Armazenamento para que o Windows mantenha seus discos em dia — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Na busca do Windows, digite “limpeza de disco” e abra a ferramenta que será apresentada na busca do sistema. Peça para que ela analise o disco/partição que deseja limpar e aguarde o resultado. Em seguida, você terá um painel de resultados em que pode confirmar aquilo que o Windows separou para eliminação, liberando espaço no sistema.

Outra opção é abrir as “Configurações” e ativar o recurso “Sensor de armazenamento”, que vai se encarregar de, sozinho, ir eliminando o que não for útil para manter o disco sempre em dia.

7. Desative a indexação de busca do Windows

A busca automática do Windows 10 é bem poderosa: você pode encontrar apps, ferramentas do sistema e mesmo seus arquivos com facilidade com o recurso. Mas essa habilidade depende de que o serviço fique constantemente indexando e catalogando o conteúdo do computador.

Desativar mecanismo de indexação do Windows alivia a demanda sobre o processador — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

O problema é que isso custa desempenho, especialmente em computadores mais simples. Para desativar esse processo, você pode usar a função Executar (tecla Windows + R) e digitar “services.msc” na caixa de diálogo, confirmando com Enter em seguida.

Você abrirá um componente do sistema chamado “Serviços”. Localize “Windows Search” na busca e, com o botão direito do mouse, escolha “Parar”. Se desejar desativar a funcionalidade definitivamente, abra “Propriedades” e, em “Tipo de inicialização”, escolha “Manual”.

8. Seja racional no uso

Veja que, no nosso exemplo, o navegador Opera consome sozinho 5 GB de memória RAM — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Se a manutenção do seu computador está em dia, mas você percebe lentidão, é possível que o problema seja de hardware mais limitado para o que você precisa. Nesses casos, é bom procurar racionalizar o uso da máquina, deixando de abusar no número de apps abertos ao mesmo tempo, no número de abas ativas no navegador etc. Uma boa forma de acompanhar o que está pesando no computador é por meio do Gerenciador de Tarefas.

Caso o seu orçamento permita, você pode estudar upgrades: alguns notebooks podem possibilitar a troca e aumento de memória RAM, ou mesmo a instalação de SSD para deixar o Windows mais rápido. Se seu computador você pode até ir mais fundo nos upgrades.

9. Lembre-se de atualizar sistema, apps e drivers

Lembre-se de manter apps, sistema e drivers atualizados para melhor performance (e também segurança) — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

As atualizações do Windows são importantes para corrigir diversas falhas, apps podem ganhar melhor performance quando atualizados e o uso de drivers recentes – que são um tipo de aplicação que é responsável por controlar o acesso aos componentes do computador – são cruciais para extrair maior performance da sua configuração.

Fique sempre atento às recomendações de atualização do Windows e procure permitir que elas sejam realizadas até o fim, mesmo que isso envolva a obrigatoriedade de reiniciar o computador de vez em quando.

10. Verifique a existência de vírus e malwares

Use o antivírus de sua preferência para realizar verificações completas em busca de malwares — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Malwares rodando no computador podem comprometer muito a performance do sistema, além de oferecer grave risco à integridade de dados e privacidade. Vírus de computador ficam em execução na máquina e alguns tipos deles, como os cripto e adwares, são exigentes e podem provocar lentidão até em computadores parrudos.

Certifique-se de que seu antivírus – dedicado ou o nativo do Windows – esteja em ação e atualizado. Em caso de dúvida, faça uma varredura completa do sistema e confie nas medidas de correção aplicadas em caso de resultado positivo para alguma infecção.

Com informações de PCMag, MakeUseOf, GHacks e Computer.org

Fire TV Stick: Qual escolher?

Fire TV Stick: Qual escolher?

Mais do TechTudo