Celular
Publicidade

Por Danilo Paulo de Oliveira, para o TechTudo

Thássius Veloso/TechTudo

O carregador do celular é um item que costuma ter uma vida útil curta, principalmente por se tratar de um objeto de uso diário. Dentre os problemas mais comuns do dispositivo está o mau contato do cabo com o smartphone. Apesar da recorrência das adversidades com o dispositivo, existem formas para evitar contratempos. Confira nas linhas a seguir.

Preservar o cabo e checar se a potência condiz com o smartphone são duas maneiras de aumentar a durabilidade do carregador. Deixar a fonte fora da tomada quando não está em uso é outra das sete dicas listadas abaixo.

1. Preservar o cabo

Evite puxar o cabo pelo fio — Foto: Barbara Mannara/TechTudo

O primeiro passo para fazer o carregador durar mais é o cuidado durante o manuseio. Ao desconectar o smartphone do acessório, o usuário não deve puxar o fio – o cabo deve ser retirado pela extremidade rígida para evitar que os componentes internos sejam rompidos.

Outra dica importante vale para os usuários que deixam o celular carregando em tomadas atrás da cama ou de móveis que ficam muito próximos da parede. Esse hábito é prejudicial para a saúde do acessório, já que o cabo não deve ser dobrado ou amassado. Além disso, o cabo não deve ser esticado, pois a tensão pode romper os elementos internos. O ideal é que o cabo esteja frouxo durante o carregamento do smartphone.

O cabo do carregador não deve ficar esticado — Foto: Reprodução/Sammobile

Alguns cabos à venda no mercado possuem reforço na estrutura das pontas, que geralmente são o principal problema. Se não for o caso do seu dispositivo, uma dica caseira para proteger as extremidades do fio é revestir cada ponta com molas de canetas esferográficas ou com fitas isolantes. A solução pode não ser a mais atraente esteticamente falando, mas reduz o risco de danos.

2. Cuidados com transporte

Carregadores devem ser guardados em compartimentos separados durante o transporte — Foto: Reprodução/Amazon

Nada de jogar o carregador de qualquer jeito na bolsa, junto com outros objetos. É comum que o ato de puxar algum item dentro da mochila possa esticar o cabo e romper os fios internos, gerando problemas de mau contato.

Para transportar o carregador, o correto é enrolar o fio em volta da mão e, preferencialmente, utilizar um elástico ou arame para prendê-lo de forma firme. Além disso, é interessante deixá-lo em um compartimento separado dos demais objetos, como um bolsinho a parte da mochila, uma necessaire ou até mesmo um estojo de óculos.

3. Checar se a potência condiz com o smartphone

Potência do carregador deve ser compatível com o aparelho — Foto: Reprodução/Xiaomi

Uma questão muito ignorada pelos consumidores na hora de adquirir um novo carregador é a potência do acessório. Ela deve ser compatível com a do celular. A informação pode ser verificada no manual do aparelho ou no site da fabricante.

Veja qual é a voltagem de saída (output) da fonte. O seu celular pode exigir, por exemplo, 5V e o carregador novo pode estar fornecendo 9V. Desta forma, o celular estaria recebendo uma carga superior à que ele suporta. Isso pode gerar superaquecimento na bateria do smartphone e até mesmo danificar o dispositivo.

Alguns smartphones contam com um chip que consegue detectar estas situações. O ideal, ainda assim, é se informar antes de fechar a compra.

4. Limites de temperatura

É normal que carregadores e cabos esquentem um pouco durante o funcionamento, já que parte da energia gerada pela conversão da corrente alternada em corrente contínua é liberada em forma de calor. No entanto, se o aquecimento for demasiado, pode significar mau funcionamento da fonte.

Usuário deve ter atenção com a temperatura — Foto: Vitor Grama/TechTudo

O superaquecimento pode vir acompanhado, em alguns casos, de interrupção do carregamento, carregamento muito mais lento que o normal e até mesmo cheiro de queimado. Esse problema pode ter vários motivos: acessório de procedência duvidosa ou danificado, erros na instalação elétrica da casa e, inclusive, temperatura ambiente muito alta.

Em qualquer um destes casos, o ideal é desconectar a fonte da tomada e não utilizá-la novamente. Além do risco de danificar a bateria do smartphone, o usuário pode também sofrer choques elétricos, caso não tome os devidos cuidados.

5. Evitar modelos falsificados ou não originais

Carregadores falsificados podem gerar acidentes domésticos — Foto: Vitor Grama/TechTudo

Talvez pareça óbvio, mas o uso de carregadores de procedência duvidosa pode gerar grande dor de cabeça. Esses equipamentos geralmente contam com materiais de baixíssima qualidade. Em casos mais graves, produtos desse tipo podem causar incêndios.

Caso não seja possível adquirir um carregador original do próprio celular, dê preferência aos equipamentos certificados por órgãos reguladores – a Anatel no Brasil. Há também o CE, sigla francesa para o Conformité Européenne que atua no bloco europeu. É importante verificar se o carregador tem algum desses selos.

6. Deixar o carregador fora da tomada quando não está em uso

Deixar o adaptador conectado na tomada 24 horas por dia é um hábito desencorajado pela própria Anatel. Segundo a agência, os carregadores são projetados para ficarem na tomada apenas durante o tempo necessário para carregar a bateria do celular, diferentemente de geladeiras e TVs, que suportam a rede elétrica por longos períodos.

A explicação é simples: o carregador pode ser danificado pelas oscilações na rede elétrica, principalmente durante quedas de luz provocadas por tempestades, muito comuns no país. A agência ainda menciona o fato do Brasil ser campeão mundial em raios por ano e adverte sobre os riscos de acidentes domésticos.

7. Evitar contato com líquidos e resíduos

Aqui vai um cuidado que passa despercebido no dia a dia, mas que faz muita diferença a longo prazo. O carregador possui componentes internos extremamente sensíveis à umidade. Desta forma, é importante que o usuário preste atenção para não molhar o equipamento, mesmo que seja com leves respingos de água.

Deixá-lo em cima de mesa perto de janelas ou na bolsinha da praia e academia também não é uma boa ideia. A exposição a resíduos como areia também é nocivo para a vida útil do seu carregador.

Com informações da Anatel

Mais do TechTudo