Internet

01/02/2014 07h02 - Atualizado em 01/02/2014 07h02

Como escolher o filtro anti-spam certo para o seu computador pessoal

Raquel Freire
por
Para o TechTudo

Todo mundo sabe o que é spam: e-mails não solicitados, sempre inconvenientes e frequentemente infectados com vírus que recebemos diariamente na nossa caixa de entrada. A prática se tornou uma epidemia do mundo virtual e hoje representa mais de 80% das mensagens recebidas pelo Gmail, de acordo com dados da companhia.

Gmail: evite receber e-mails de estranhos a partir de contatos Google+

Felizmente, há uma grande diversidade de programas que funcionam como filtros anti-spam, bloqueando essas correspondências e anulando assim seus efeitos negativos. Os softwares têm particularidades que os tornam melhores para um ou outro tipo de usuário, por isso é importante conhecê-las. Abaixo, listamos os principais aspectos a serem considerados ao escolher o melhor filtro anti-spam.

Escolher bons filtros anti-spam pode livrar seu computador de vírus (Foto: Reprodução)Escolher bons filtros anti-spam pode livrar seu computador de vírus (Foto: Reprodução)

Como funcionam os filtros anti-spam

Antes de mais nada, é preciso entender o mecanismo básico para a filtragem dos e-mails. De maneira geral, os programas avaliam a mensagem por completo, desde o servidor que está enviando o e-mail até o conteúdo propriamente dito. Endereços de IP e e-mail que sejam reconhecidos como spammers são automaticamente bloqueados pelos filtros.

Outra maneira de identificar o spam é pela formatação da mensagem. Fontes muito grandes, exageradamente pequenas ou todas em maiúsculo, textos coloridos, excesso de caracteres especiais e espaçamento entre letras, corpo do e-mail contendo somente uma imagem e palavras como “viagra”, “free”, “grátis”, “porn” e “imperdível” fazem com que a correspondência virtual vá direto para caixa de spam.

Há ainda softwares qua analisam os anexos baseados no nome e extensão do arquivo, permitindo ou bloqueando o recebimento da mensagem. Cada servidor de e-mail tem suas próprias regras pré-estabelecidas, que podem ser ajustadas pelo usuário, garantindo maior ou menor flexibilidade na filtragem.

Escolhendo pelas funcionalidades

Os maiores provedores, como Gmail e Yahoo!, já possuem filtragem de spam ativada como configuração padrão. As empresas oferecem recursos diferentes entre si, que, como dito anteriormente, podem ser configuradas pelo cliente. Normalmente, os servidores permitem criar filtros com base em remetente, destinatário, assunto e conteúdo do e-mail, submetendo a mensagem a uma ação (geralmente apagar ou mover para uma pasta) caso ela preencha determinados requisitos.

Janela de configuração de filtro anti-spam do Yahoo! (Foto: Reprodução/Raquel Freire)Janela de configuração de filtro anti-spam do Yahoo! (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

Esse tipo de anti-spam é o mais simples que existe. Isso não significa que ele é inútil ou pouco confiável, mas que só será suficiente para quem usa e-mail de forma criteriosa. Como possui poucas funcionalidades, ele não atende a clicadores compulsivos – prática abominada em qualquer situação – ou pessoas que recebem grande volume de correspondências diárias.

Alguns bons hábitos para se prevenir de spams são preservar ao máximo seu e-mail e informações pessoais, manter vários endereços, cada um para um público diferente (exemplo: um para família e amigos, um para contatos profissionais, um para cadastros em sites e fóruns da Internet etc), e avaliar o site da empresa que está oferecendo promoções antes de clicar no link enviado por e-mail.

Caso você receba muitos e-mails por dia, e sobretudo se o endereço é usado para fins profissionais, tanto cuidado pode demandar tempo excessivo. Nessa situação, o ideal é que você tenha um filtro anti-spam instalado na sua máquina, o que lhe dará maior autonomia para gerenciamento dos bloqueios.

A maioria dos softwares trabalham com os conceitos de “black list” (endereços identificados como spammers), “white list” (endereços confiáveis) e “quarentena” (pasta onde o anti-spam armazena e-mails suspeitos, para que sejam avaliados pelo usuário e movidos para as listas branca ou negra).

Janela para adicionar e-mail à lista negra no SPAMfigther (Foto: Reprodução/Raquel Freire)Janela para adicionar e-mail à lista negra no SPAMfigther (Foto: Reprodução/Raquel Freire)

Dependendo do programa usado, há uma grande quantidade de recursos relativos à filtragem. Alguns permitem gerenciar várias contas de e-mail de uma só vez, filtrar mensagens de acordo com o idioma ou ainda protegem contra phishing. Há uma quantidade enorme de softwares à disposição, por isso é importante verificar os recursos disponibilizados previamente antes de fazer a instalação.

Pela facilidade de uso e configuração

Quanto menor a quantidade de funções, mais facilmente um programa é configurado. Há exceções para a regra, obviamente, mas de maneira geral essa fórmula básica se aplica também a filtros anti-spam. Se você não quer quebrar a cabeça com detalhamentos e campos pouco intuitivos, a dica é baixar softwares gratuitos, que já oferecem uma versão simplificada das configurações. SPAMfigther, SpamWeed e SpamSieve são algumas das aplicações com versões grátis para teste, interface organizada e instalação descomplicada.

Tela do SpamSieve, software para Mac (Foto: Divulgação/SpamSieve)Tela do SpamSieve, software para Mac (Foto: Divulgação/SpamSieve)

Se você não se intimida com complexidade de uso, pode arriscar em programas mais sofisticados. Os citados têm versões pagas, cuja licença custa em média R$ 70, que propiciam maior controle sobre os filtros e detalhes de bloqueio. Vale lembrar que a maioria dos anti-vírus poderosos, como por exemplo o Avast, possuem recurso anti-spam embutido.

Pelo suporte técnico

Da mesma forma que tópico anterior, geralmente programas gratuitos não têm suporte técnico à disposição 24 horas. Este é um item importante para quem gosta de tirar dúvidas assim que um problema surge, portanto este fator deve ser considerado na hora da escolha.

No entanto, a própria finalidade do anti-spam torna esse um aspecto secundário; se você não sabe se um e-mail é ou não confiável, basta deixá-lo na quarentena até a suspeita tiver sido eliminada. A dica aqui é: considere o suporte técnico um elemento a mais para motivar a comprar uma licença, mas ele por si só não costuma valer a pena.

Por fim, é importante manter o anti-spam atualizado para que ele atue com o máximo de eficiência. E, independentemente da qualidade do programa, nada irá substituir a navegação responsável.

Qual o melhor serviço de email gratuito? Veja no Fórum do TechTudo.

 


Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

recentes

populares