Apple Watch: veja 7 vezes em que o relógio salvou a vida das pessoas

Dispositivo inteligente esteve presente desde sequestro até perseguição policial.

Por Milena Garcia, para o TechTudo


O Apple Watch costuma ser desejado por usuários que pretendem medir seus desempenhos durante as atividades físicas ou simplesmente dispensar o uso do celular em algumas tarefas do dia, como atender ligações. Entretanto, em alguns casos o relógio inteligente da Apple foi além e recebeu crédito por salvar a vida das pessoas.

Os casos mais comuns ocorreram graças à detecção de batimentos cardíacos irregulares ou quedas graves. Há ainda episódios em que o dispositivo esteve envolvido em sequestro e até perseguição policial. O TechTudo elaborou uma lista para relembrar as vezes mais marcantes em que isso aconteceu.

🔎 iPhone 13 e outros aparelhos Apple devem chegar ainda em 2021; o que esperar

Apple Watch 6 traz Oxímetro para medir oxigênio no sangue — Foto: Divulgação/Apple

1. Queda do penhasco

Um dos recursos do Apple Watch mais lembrados é a detecção automática de quedas. Foi graças à função que o norte-americano James Prudenciano conseguiu ser resgatado após cair de um penhasco, em 2019. O rapaz de 28 anos estava fazendo uma trilha em um parque quando escorregou.

Em entrevista, James disse estar convicto de que teria morrido se a tecnologia não tivesse identificado o acidente e alertado o serviço de emergências para o seu resgate. Além disso, o dispositivo também avisou sua mãe sobre a queda. Vale mencionar que a função está disponível a partir do Apple Watch 4, de 2018.

James Prudenciano caiu em um penhasco quando fazia trilha em parque nos Estados Unidos — Foto: Reprodução/News 12

2. Policial esfaqueado

Outra situação inusitada envolvendo o relógio inteligente da Apple aconteceu com um policial norte-americano, em setembro de 2020. Na ocasião, sargento Sosa estava perseguindo um suspeito quando seu rádio foi desconectado e ele perdeu o contato com os demais militares. O tira conseguiu alcançar o suspeito, mas foi esfaqueado na perna e não conseguiu chamar reforços.

Em um vídeo compartilhado no Facebook, o sargento contou recebeu uma chamada telefônica da despachante Gloria Wheeler, preocupada com o seu sumiço, e conseguiu atender à ligação através do Apple Watch. Além do pedido de ajuda, o relógio também possibilitou que a localização do policial fosse facilmente identificada pelos demais, assim como por uma ambulância.

O sargento Sosa e a despachante Wheeler se reencontram após resgate envolvendo do Apple Watch — Foto: Reprodução/Facebook

3. Mulher sequestrada

Também no final de 2020, uma mulher utilizou o Apple Watch para pedir socorro após ser sequestrada. O caso aconteceu nos Estados Unidos e resultou na prisão de Adalberto Longoria. O homem foi acusado de agredir e sequestrar a mulher, prendendo-a em um caminhão.

A vítima conseguiu ligar para sua filha utilizando o relógio e pediu para que ela chamasse a polícia. Quando os policiais chegaram, por meio da localização fornecida pelo dispositivo, o sequestrador pulou uma cerca para fugir, porém foi capturado. A notícia foi divulgada pelo portal Fox San Antonio.

4. Brasileiro descobre doença rara

Não apenas no exterior há registros de casos em que o Apple Watch salvou a vida de seus usuários. O brasileiro Jorge Freire (na foto do início desta matéria) contou com a ajuda do relógio para descobrir complicações cardíacas. Foi por meio do medidor de batimentos que o publicitário identificou uma taquicardia e procurou auxílio médico.

No Facebook, Jorge contou que o relógio identificou um ritmo de 140 batimentos por minuto (BPM) por mais de 10 minutos, quadro que poderia indicar um problema agudo no coração. “Posso dizer que o Apple Watch 5 me salvou. Não estava sentindo nada e poderia ter ficado com essa taquicardia por horas. E o resultado disso, bem, você já sabe...”, destacou o brasileiro por meio de publicação feita em janeiro de 2020.

A publicação repercutiu tanto que o próprio Tim Cook, CEO da Apple, enviou um email agradecendo pelo depoimento e desejando uma boa recuperação ao brasileiro.

5. Idoso cai da escada

A função de detecção de quedas também se mostrou especialmente útil na vida dos idosos. Um dos casos foi o de Jim Salsman, de 92 anos, após cair de uma escada de aproximadamente 6 metros de altura. De acordo com a emissora KETV, o acidente foi identificado pelo dispositivo, que mandou um alerta ao serviço de emergência da região.

Assim como em outros casos acima, o socorro conseguiu encontrar a vítima através do sistema de GPS e prestar o atendimento necessário. O idoso fraturou o quadril e sofreu outras lesões pelo corpo, passando mais de um mês internado para a recuperação. O caso ocorreu em junho de 2020.

Apple Watch salva vida de idoso após queda de seis metros de altura — Foto: Reprodução/KETV NewsWatch 7

6. Lago congelado

Este ano também aconteceu um caso emblemático envolvendo o relógio inteligente da marca da maçã. Em março, um homem caiu em um lago congelado, nos Estados Unidos, mas foi resgatado graças ao Apple Watch. William Rogers, de 62 anos, estava patinando no gelo quando a camada sólida se rompeu e ele caiu diretamente na água gelada.

Sem alcançar o celular para pedir socorro, o norte-americano lembrou que poderia fazer ligações através do relógio e chamou os bombeiros – conforme contou à TV local . Vale mencionar que, para ligar para a emergência, basta manter o botão lateral pressionado até que o controle deslizante “SOS de Emergência” apareça na tela.

Homem pede ajuda e é salvo de afogamento graças a Apple Watch — Foto: Reprodução/WMUR

7. Jovem de 22 anos

O eletrocardiograma (ECG) foi uma das funções que mais chamou atenção ao chegar aos Apple Watch 4 e 5, em meados de 2020. Foi por este recurso que um jovem de 22 anos conseguiu identificar uma fibrilação atrial a partir da detecção de possíveis batimentos irregulares.

Alerta de fibrilação arterial recebido por usuário do Apple Watch — Foto: Reprodução/Reddit @Merrick63

“A fibrilação atrial foi diagnosticada pelo relógio por meio das variações na frequência cardíaca e eu o validei [o diagnóstico] pelo eletrocardiograma”, afirmou o jovem em um fórum no Reddit. A Afib, o tipo mais comum de arritmia cardíaca, foi identificada pelo dispositivo em apenas 30 segundos e depois confirmada por um cardiologista.

📝 Apple Watch é bom? Participe da conversa no Fórum TechTudo

Nota de transparência: Amazon e TechTudo mantêm uma parceria comercial. Ao clicar no link da loja, o TechTudo pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação. Os preços mencionados podem sofrer variação e a disponibilidade dos produtos está sujeita aos estoques.

Leia mais