Video game

Por Felipe Vinha, para o TechTudo


Acessórios clássicos faziam parte da vida de jogadores em consoles antigos, como Super Nintendo, Master System ou Mega Drive, mas eles não existem mais nos videogames atuais, ou são poucos usados, graças à evolução da tecnologia. Aparelhos como óculos 3D de papel celofane, “Multitap” para multiplayer, modem de Internet e expansões de memória, hoje, têm suas funções reproduzidas de maneira mais simples e práticas, sem a necessidade de algo extra, juntamente com o videogame, na maioria dos casos. Relembre ou conheça algumas dessas antiguidades:

Óculos 3D anáglifo

Muito antes da atual “moda” do 3D no cinema e também nos games, os consoles usavam o chamado “3D anáglifo”, que misturava cores vermelha e azul, entre outras variantes, para um efeito de imersão mais básico, como se a imagem "saltasse" da tela. O problema é que esses óculos eram frágeis e, aos poucos, a tecnologia ficou ultrapassada.

Óculos 3D do Master System — Foto: Reprodução/Sega Retro Óculos 3D do Master System — Foto: Reprodução/Sega Retro

Óculos 3D do Master System — Foto: Reprodução/Sega Retro

Função similar era usada no famigerado óculos 3D do Master System, e outros games de PC que acompanhavam um acessório similar, em papel. Atualmente, além de TVs com função 3D estereoscópico, há aparelhos que exibem o efeito sem precisar de óculos, como o Nintendo 3DS.

Armas de plástico

Jogos de tiro como Time Crisis e Virtua Cop são alguns dos mais clássicos games no estilo para fliperamas, que ganharam versões caseiras para consoles. Estes títulos costumavam acompanhar armas de plástico para simular a ação na tela – e o jogador precisava apontar para a TV para jogar.

Armas de plástico sobreviveram até o PS3 — Foto: Reprodução/Game Center Armas de plástico sobreviveram até o PS3 — Foto: Reprodução/Game Center

Armas de plástico sobreviveram até o PS3 — Foto: Reprodução/Game Center

Com a evolução dos controles com sensor de movimento, como o Wii Remote ou PlayStation Move, armas como a GunCon, do PS2 e PS3, ou a Super Scope, do Super Nintendo, tornaram-se obsoletas. Além disso, jogos de tiro mais tradicionais mantém seu controle padrão atualmente, no próprio joystick do console, dispensando acessórios adicionais.

Multitap para multiplayer

O Multitap já foi um acessório muito comum, popular e raro. Ele era usado para expandir o multiplayer em consoles como Super Nintendo e PSOne, ligando mais do que dois controles ao mesmo tempo no aparelho, permitindo, por exemplo, jogar Super Mario Kart com quatro participantes de forma simultânea.

Multitap do PSOne — Foto: Reprodução/Retro Gaming Multitap do PSOne — Foto: Reprodução/Retro Gaming

Multitap do PSOne — Foto: Reprodução/Retro Gaming

O Multitap, porém, perdeu o sentido na era atual, onde os controles não têm fio e podem ser associados a qualquer console, sem problemas, e com limitação um pouco maior do que a apenas dois. Sem falar no foco de multiplayer online da maioria dos jogos, o que também dispensa controles adicionais.

Expansões de memória

Se hoje em dia temos aparelhos como PS4 Pro ou Project Scorpio, que são revisões de consoles atuais, mas com componentes mais poderosos, antigamente esse tipo de revisão era feito por meio de acessórios, como cartuchos de expansão.

Cartucho de expansão do Nintendo 64 — Foto: Reprodução/Nintendo Fan Cartucho de expansão do Nintendo 64 — Foto: Reprodução/Nintendo Fan

Cartucho de expansão do Nintendo 64 — Foto: Reprodução/Nintendo Fan

Um dos mais populares foi o Expansion Pak, do Nintendo 64. Tratava-se de um cartucho opcional, ligado ao console, que adicionava "megabytes" à memória RAM do aparelho, permitindo rodar jogos mais pesados, como Donkey Kong 64 e The Legend of Zelda Majora's Mask. No Sega Saturn havia um acessório similar.

Tapetes de dança

Games musicais e de dança continuam em alta, mas eles sempre foram um gênero popular entre as gerações de jogadores. títulos como Dance Dance Revolution ocupavam a sala de estar dos grupos com seus tapetes ou nos fliperamas, mas, ainda que a marca exista atualmente, ela tem outro concorrente de peso: Just Dance.

Tapetes de dança de DDR — Foto: Reprodução/Retro Gaming Tapetes de dança de DDR — Foto: Reprodução/Retro Gaming

Tapetes de dança de DDR — Foto: Reprodução/Retro Gaming

Graças ao Just Dance, Dance Central e outros jogos de dança lançados nos consoles atuais, os tapetes foram aposentados por sensores de movimento, como Kinect, Wii Remote ou Joy-Con. O Just Dance, por exemplo, permite jogar até mesmo com um celular na mão, para ficar mais prático.

Pilhas

As pilhas sempre foram estiveram presentes no mundo dos games, seja em consoles ou portáteis. Videogames de bolso mais antigos, como Game Gear ou Game Boy, só funcionavam por meio de pilhas, que acabavam muito rápido e exigiam troca constante – não era prático e podia dar problema, a longo prazo.

Pilhas continuam presentes, mas apenas na minoria de aparelhos — Foto: Divulgação/Microsoft Pilhas continuam presentes, mas apenas na minoria de aparelhos — Foto: Divulgação/Microsoft

Pilhas continuam presentes, mas apenas na minoria de aparelhos — Foto: Divulgação/Microsoft

Até mesmo alguns controles, como o joystick do Xbox 360 e o Wii Remote, do Wii, usavam pilhas para funcionar. Felizmente, os portáteis atuais já contam com bateria interna e recarregável, bem como os controles mais atuais, com exceção do joystick do Xbox One, que ainda faz uso de pilhas.

Modem e adaptadores de rede para internet nos consoles

Dreamcast e PS2 foram dois dos consoles mais populares que utilizavam modem ou adaptadores de rede para se conectar à internet – e ainda na base da internet discada, com velocidade de 56 kbps. Essa foi a era da popularização dos jogos online nos consoles, ainda que eles já fossem conhecidos nos computadores, graças aos games de tiro e de estratégia.

Adaptador de rede do PS2 — Foto: Reprodução/Retro Gaming Adaptador de rede do PS2 — Foto: Reprodução/Retro Gaming

Adaptador de rede do PS2 — Foto: Reprodução/Retro Gaming

Porém, com a evolução natural dos videogames, os modens não são mais uma peça em separado, mas foram transformados em entradas para cabo ou receptores de internet Wi-Fi. Muito mais prático, rápido e sem precisar comprar nada extra – além da conexão com a internet no local onde o videogame está instalado.

Teclados para chat

Jogar online exige, em muitos casos, ótima comunicação. Consoles recentes, como PS3 e Xbox 360, apresentavam pequenos teclados, que podiam ser encaixados em seus controles. Já o Dreamcast, por exemplo, possuía um teclado completo, vendido em separado, para também navegar na internet via browser embutido no console.

Teclado do Xbox 360 — Foto: Divulgação/Microsoft Teclado do Xbox 360 — Foto: Divulgação/Microsoft

Teclado do Xbox 360 — Foto: Divulgação/Microsoft

Hoje em dia ainda é possível usar o teclado padrão dos computadores para se comunicar no multiplayer online, mas, nos consoles, o chat de voz é muito mais popular, exigindo apenas um headset compatível ou uma câmera, no caso do PS4. Os miniteclados deixaram de existir, mas tiveram vida curta.

Você ainda joga games retrô nos consoles? Comente no Fórum do TechTudo.

Mais do TechTudo