Sistemas Operacionais
Publicidade

Por Filipe Garrett, para o TechTudo


O Windows XP teve suporte encerrado pela Microsoft em abril de 2014, o que tornou essa versão do Windows um produto oficialmente aposentado. O efeito prático disso para o usuário é que o Windows XP não recebe mais atualizações com suporte a novas funções e tecnologias mas, mais importante que isso, sem acompanhamento pela Microsoft, o Windows XP acaba sem acesso a atualizações de segurança de extrema importância. Apesar disso tudo, o sistema operacional, lançado em 2001, ainda roda em 5,66% dos computadores, segundo dados de maio da Net Applications.

Windows XP não oferece suporte e é um sistema operacional defasado — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

App do TechTudo: receba dicas e notícias de tecnologia no celular

Entretanto, o que explica que tanta gente ainda se disponha a rodar um sistema operacional defasado e inseguro? Uma rápida reflexão nos ajuda a entender.

Existem algumas boas razões: equipamentos altamente especializados e que só funcionam com o XP, como instrumentos usados em laboratórios, hospitais e até em oficinas mecânicas, além aplicativos de pesquisa que só rodam corretamente nessa versão do Windows são alguns exemplos em que a troca do sistema operacional seria inviável financeiramente (ou até praticamente, já que ninguém vai parar uma pesquisa científica para que desenvolvedores recriem todas as ferramentas, que funcionam corretamente, para o novo Windows 10).

Outras razões: para alguns usuários, o custo associado de investir num novo computador e adquirir uma licença do Windows 10 acaba sendo proibitivo à luz de uso mais simples, que consista apenas em ler sites de notícias e escrever e-mails.

Independente de qual for a sua situação, a lista abaixo vai auxiliar você a se proteger da melhor forma possível, evitando que o Windows XP seja uma porta de entrada para invasores provocarem danos, prejuízos e muita dor de cabeça.

Em todo caso, tenha em mente que o velho Windows XP não é mais uma alternativa segura e que o ideal é trocá-lo por um sistema operacional atualizado no computador. O Windows 7 terá suporte extendido até 2020, por exemplo.

1) Instale todas as atualizações da Microsoft

Atualizações podem ser cruciais para diminuir os riscos na hora de usar o Windows XP — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

O suporte, como explicado anteriormente, já acabou. Mas todos os pacotes de atualização oferecidos pela Microsoft ainda estão disponíveis para serem aplicados em máquinas que rodem o Windows XP. Entre os updates, o usuário deve até encontrar o último deles, criado pela Microsoft em regime de urgência para combater o ransomware WannaCry — saiba tudo sobre o vírus aqui.

Atualizar o sistema operacional antigo não vai torna-lo tão seguro como o Windows 10, mas certamente vai diminuir as potenciais brechas de segurança que podem ser exploradas por invasores e criminosos.

2) Windows XP sem conexão com a Internet

A ideia é a seguinte: se você manter o computador com Windows XP fora da rede, a chance de que acabe infectado por alguma praga virtual disseminada via web deixa de existir. Isso pode ser uma alternativa interessante para quem roda o Windows XP porque depende do sistema para acessar hardware específico e, por conta disso, não precisa necessariamente de uma interface com a web.

Alternativamente, você pode conectar apenas quando precisar e desligar a conexão assim que terminar o que estiver fazendo. Tomando essas precauções, você terá ainda que se preocupar com pendrives, cartões de memóira, CDs e DVDs conectados ao computador fisicamente.

3) Tenha um antivírus

Windows XP não possui nenhum antivírus próprio; usuário deve providenciar — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Desde o Windows 7, a Microsoft oferece o Windows Defender, um antivírus próprio para seus sistemas operacionais. Entretanto, nos tempos do Windows XP, isso não existia: o usuário precisava de um antivírus de terceiros. A ideia, então, é encontrar algum software do gênero que ainda ofereça suporte ao Windows XP e permita atualizações e bom controle de segurança da máquina.

4) Divida a máquina em múltiplos usuários

Vários usuários, evitando o uso da conta de Administrador, são uma boa estratégia para evitar dores de cabeça — Foto: Reprodução/Filipe Garrett

Evite concentrar tudo na conta de administrador, já que é quem possui maior acesso ao sistema. O ideal é que você crie contas de usuário com um perfil mais restrito, evitando que elas tenham acesso completo a estruturas vitais do sistema e, por natureza, mais cobiçadas por invasores.

Em caso de invasão, garantir que a conta de administrador está segura e isolada pode ser uma arma importante para combater uma infecção associada a uma conta de usuário com privilégios menores.

5) Desligue o autorun

A função autorun serve para rodar automaticamente mídias ligadas ao computador: basta colocar um disco no drive, ou conectar um pendrive, para que o Windows XP, com autorun ativado, carregue automaticamente as mídias. O problema é que esse conforto pode ser a porta de entrada para vírus. Com o autorun ligado, se você conectar um pendrive com vírus ao computador, o malware será transferido para o sistema operacional automaticamente, sem chance de pausa.

Via ESET

Qual o melhor Windows de todos os tempos? Troque dicas no Fórum do TechTudo.

Mais do TechTudo