Cinco tipos de contatos tóxicos para evitar nas redes sociais

Criminosos podem usar perfis clonados para roubar informações pessoais e aplicar golpes em usuários das plataformas.

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Por João Kurtz, para o TechTudo

Redes sociais como Facebook, Twitter, Pinterest e LinkedIn, oferecem a oportunidade manter contato com amigos, conhecer novas pessoas, reunir ideias e inspirações ou fazer conexões importantes. Entretanto, segundo a empresa de segurança ESET, as plataformas também podem ser usadas para o roubo de identidade. Por exemplo: um cibercriminoso pode enviar uma solicitação de amizade para você usando um perfil fake. Ao aceitá-la sem qualquer desconfiança você acabar dando acesso a uma série de informações e fotos que podem estar configuradas apenas para amigos — o que facilita o roubo de informações pessoais para "clonar o seu perfil".

Os sites de encontros também podem ser usados para aplicar golpes e até roubar dinheiro. A ESET fez um compilado de táticas usadas por criminosos para ter acesso às informações das vítimas. A empresa de segurança recomenda que as pessoas usem o bom senso para detectar perfis suspeitos. Conheça as estratégias usadas para roubo de identidade e veja que tipo de perfil deve ser evitado.

Empresa de segurança ESET indica os contatos que devem ser evitados em redes sociais  (Foto: Divulgação/ESET) Empresa de segurança ESET indica os contatos que devem ser evitados em redes sociais  (Foto: Divulgação/ESET)

Empresa de segurança ESET indica os contatos que devem ser evitados em redes sociais (Foto: Divulgação/ESET)

1. Amigos repetidos no Facebook

Receber uma nova solicitação de amizade no Facebook de alguém que já era seu amigo pode significar que a pessoa desfez a amizade e, depois, decidiu retomar o contato. Porém, isso também pode indicar que alguém mal intencionado está usando uma "conta clonada" desse seu contato.

O processo de contas clonadas envolve fazer amizade com uma pessoa, copiar seu perfil e depois bloqueá-la, enviando convites de amizade para todos seus contatos. Desta forma, os criminosos conseguem acesso a uma vasta quantidade de informações de pessoas que costumam deixar seus dados restritos apenas para amigos — confiando que o perfil que a adicionou é de alguém próximo.

A empresa de segurança, fabricante do famoso antivírus NOD32, ainda destaca que até mesmo usuários mais cuidadosos com as suas configurações de privacidade podem ser alvos de golpes — já que hackers podem recorrer ao envio de links maliciosos (com golpes de phishing) por mensagem.

2. Seguidores do Pinterest: prêmios em troca de repins

Seguidores falsos na rede social podem ser identificados ao observar pins encurtados através de sites como o Bit.ly. Poucos pins — um ou dois, por exemplo — é outro indício de que o perfil pode não ser verdadeiro. A ESET alerta que, na verdade, esses links encurtados são feitos para levar o internauta a questionários construídos para coletar informações ou são contas que supostamente dão prêmios em troca de um “repin”. Em caso de dúvida, o indicado é não clicar no link.

3. Bots do Twitter que reagem a palavrões

Alguns spambots do Twitter foram desenhados para detectar quando um usuário tuíta uma palavra ofensiva. Em seguida, passam a seguir esta pessoa e retuítar o conteúdo, atraindo-a a segui-los de volta — dando eco à reclamação e gerando algum engajamento. Com isso, tem acesso ao envio de DMs (mensagens diretas) fechadas para amigos e passam a enviar mensagens com spam.

4. Falsos recrutadores no LinkedIn

Levando em conta a natureza do LinkedIn, um perfil na plataforma contém várias informações que são relevantes para criminosos que roubam identidades, como e-mail profissional, endereço e números de telefone dos inscritos no site de vagas.

Por esse motivo, aceitar qualquer conexão no LinkedIn não é uma boa ideia. Também é necessário ficar atento às ofertas de trabalho que parecem boas demais para serem reais. Falsos recrutadores podem usar essa tática com o objetivo de coletar dados pessoais ou de redirecionar as vítimas para páginas falsas com a intenção de roubar senhas ou implantar um malware.

5. Matches que dão presentes

Uma das táticas usadas em sites de relacionamento é usar perfis falsos, criados por engenharia social, para enganar usuários. O golpe normalmente envolve o envio de presentes virtuais para conquistar a confiança da vítima, o que é feito durante meses, com calma. Em seguida, contam falsas histórias e pedem favores que costumam envolver uma grande quantidade de dinheiro e, ao receber o valor pedido, desaparecem. A recomendação para os usuários desses serviços é desconfiar quando o pretendente parece bom demais para ser verdade.

Qual a sua rede social favorita? Troque dicas no Fórum do TechTudo.

Via ESET

MAIS DO TechTudo