Por Thássius Veloso, da redação


Cinco quesitos que devem ser analisados na hora de comprar celular

Cinco quesitos que devem ser analisados na hora de comprar celular

A escolha de um celular novo envolve uma série de decisões. Existem dezenas de opções fornecidas pelas principais fabricantes presentes no Brasil – Motorola, Apple, Samsung, LG, Asus e Sony –, bem como smartphones gringos que fazem sucesso entre os consumidores dispostos a importar um dispositivo. Como fazer a decisão certa? Para te auxiliar nesta questão, nós separamos cinco especificações que marcam presença em qualquer ficha técnica de telefone.

Utilize os pontos abordados a seguir no momento em que estiver conversando com o vendedor da loja ou da empresa de telefonia celular. A listagem traz os recursos mínimos a esperar de um bom telefone lançado em 2017.

1. Tela com resolução Full HD

A resolução da tela indica a quantidade de pixels, pontos luminosos e coloridos que compõem a imagem. Este quesito é de vital importância porque atualmente as pessoas adoram assistir a conteúdos em vídeo do YouTube, Netflix, Globo Play e Amazon Prime Vídeo. Além disso, um celular com resolução Full HD (1920 x 1080 pixels) também garante melhor visualização das fotos publicadas no Instagram e no Facebook, ou compartilhadas no WhatsApp.

Fuja de celulares com display apenas HD (1280 x 720 pixels), tecnologia que foi superada em tempos recentes.

2. Processador quad-core

São dezenas de modelos à venda no Brasil — Foto: Thássius Veloso / TechTudo São dezenas de modelos à venda no Brasil — Foto: Thássius Veloso / TechTudo

São dezenas de modelos à venda no Brasil — Foto: Thássius Veloso / TechTudo

O processador é o cérebro do smartphone – todos os cálculos realizados por ele. Devido à sua importância, procure smartphones com a inscrição quad-core (quad quer dizer quatro e core, que significa "núcleo" em inglês). A nomenclatura indica que o componente conta com quatro núcleos para realizar o processamento de dados. Já existem celulares octa-core no mercado, aqueles com oito núcleos. Fuja de alternativas dual-core (com dois núcleos).

3. Memória RAM de 2 GB

De nada adianta um cérebro poderoso se o dispositivo não lembra das tarefas que precisa concluir. Procure, portanto, celulares com memória RAM de 2 GB, o que será sinônimo de menos engasgadas e travadas. Desta forma, o telefone poderá rodar o sistema Android com mais folga. Evite smartphones com 1 GB de RAM – eles são dor de cabeça na certa.

4. Armazenamento de 32 GB

Na ficha técnica, armazenamento indica o espaço para salvar os arquivos, como documentos, fotos e vídeos. O ideal é adquirir um telefone com pelo menos 32 GB e fuja daqueles com 16 GB, pois o próprio sistema do dispositivo ocupa espaço, e é comum que um telefone com esta capacidade ofereça, na realidade, 27 GB.

Consumidor deve consultar a caixa do telefone — Foto: Thássius Veloso / TechTudo Consumidor deve consultar a caixa do telefone — Foto: Thássius Veloso / TechTudo

Consumidor deve consultar a caixa do telefone — Foto: Thássius Veloso / TechTudo

5. Internet 4G

Ainda existem opções de celulares com internet 3G, principalmente no mercado de smartphones usados. Já os telefones com 4G estão preparados para o futuro, pois são compatíveis com rede de telefonia mais velozes. No Brasil, algumas operadoras estão aos poucos liberando o 4G Plus.

Vale lembrar que a indústria trabalha com a retrocompatibilidade, o que quer dizer que os celulares com 4G funcionam no 3G e 2G. Ao optar por um modelo destes, o consumidor aumenta o leque de opções na hora de conectar à grande rede.

Qual é o melhor celular barato para comprar em 2017? Participe da conversa no Fórum TechTudo

MAIS DO TechTudo