Por Filipe Garrett, para o TechTudo

email facebook googleplus pinterest twitter whatsapp

Em 2017, uma série de tecnologias desapareceram por diferentes motivos, como, por exemplo, o desinteresse do público que acabou adotando outras alternativas. Esse é o caso dos iPod Nano e Shuffle, que faziam pouco sentido no mundo dos smartphones e dos serviços de streaming, como Spotify. Outro fator que colaborou para que alguns aparelhos se aposentassem foi o esgotamento dos projetos, que não tiveram muita aceitação, como o Microsoft Kinect e a TV 3D.

Os dispositivos ficaram longe de conquistar o sucesso imaginado pelos seus criadores, que seria adequado ao volume de investimentos que receberam. A seguir, relembre tecnologias e produtos que caíram no esquecimento em 2017.

Kinect não empolgou, mesmo depois de anos de investimento — Foto: Divulgação/Microsoft Kinect não empolgou, mesmo depois de anos de investimento — Foto: Divulgação/Microsoft

Kinect não empolgou, mesmo depois de anos de investimento — Foto: Divulgação/Microsoft

Microsoft Kinect

Lançado em 2010, o Kinect prometia revolucionar os games do Xbox 360. Aproveitando a popularidade da experiência da rival Nintendo com o Wii, a Microsoft apostou pesado no sensor de movimentos, tornando-o, inclusive, componente padrão das primeiras levas do Xbox One.

Entretanto, os jogos para a plataforma não pegaram e os gamers mais ávidos ignoraram o acessório. O desinteresse pelo Kinect, associado à competição dura com o PlayStation 4 da Sony, motivaram a fabricante a comercializar versões do Xbox One sem o acessório, e, portanto, mais baratas. O episódio final veio em outubro do ano passado, quando a Microsoft anunciou que não continuaria o investimento e a fabricação do dispositivo.

Televisão 3D

Fabricantes não apresentaram nenhum modelo de televisor 3D — Foto: Divulgação/Sony Fabricantes não apresentaram nenhum modelo de televisor 3D — Foto: Divulgação/Sony

Fabricantes não apresentaram nenhum modelo de televisor 3D — Foto: Divulgação/Sony

Contemporânea ao Kinect, a tecnologia 3D para televisores teve um ano amargo em 2017: nenhuma grande fabricante se preocupou em lançar novos televisores com a tecnologia. Atualmente, os usuários se interessam mais pelos recursos de 4K e HDR. Além disso, as experiências mais imersivas de vídeo e interatividade agora são esperadas em óculos de realidade virtual. Por conta disso, a TV 3D acabou sendo desinteressante para o grande público.

iPod Nano e Shuffle

iPod Shuffle, e o modelo Nano, também foram descontinuados — Foto: Divulgação/Apple iPod Shuffle, e o modelo Nano, também foram descontinuados — Foto: Divulgação/Apple

iPod Shuffle, e o modelo Nano, também foram descontinuados — Foto: Divulgação/Apple

Os iPods pequenos também foram descontinuados em 2017. Os acessórios se tornaram obsoletos devido à capacidade de reprodução de áudio dos smartphones e pela ausência de Wi-Fi. Por isso, as versões Nano e Shuffle foram descontinuadas em julho pela Apple. O único modelo que ainda sobrevive é o iPod Touch, que é mais completo.

Windows 10 Mobile

Após a pouca adesão da plataforma móvel da Microsoft, o vice-presidente da companhia para sistemas operacionais Joe Belfiore decretou o fim do sistema em outubro de 2017. Por meio do Twitter, o executivo declarou que fãs da plataforma não deviam aguardar a chegada de novas funcionalidades ao Windows 10 Mobile. Ele também tirou as esperanças dos usuários em relação a lançamentos de novos smartphones com a plataforma.

Google Talk

O Google Talk, também conhecido como GTalk, foi o mensageiro original do Google, associado às contas de cada usuário no Gmail. Aposentado em junho, o serviço encerrou uma jornada de 12 anos de atividade e foi substituído pelo Hangouts. A Gigante de Buscas também oferece o Allo como outra plataforma de mensagens.

Windows Vista

Vista trouxe inovações importantes, mas instabilidades e problemas com drivers deram má fama ao sistema — Foto: Divulgação/Microsoft Vista trouxe inovações importantes, mas instabilidades e problemas com drivers deram má fama ao sistema — Foto: Divulgação/Microsoft

Vista trouxe inovações importantes, mas instabilidades e problemas com drivers deram má fama ao sistema — Foto: Divulgação/Microsoft

Dez anos depois do lançamento comercial, a Microsoft encerrou o período estendido de suporte ao Windows Vista. Desde março de 2017, o sistema deixou de receber correções de segurança, o que significa que insistir no uso dessa edição do Windows pode expor o computador a riscos.

Sucedido pelo popular Windows 7, o Vista representou um profundo desgaste na relação da Microsoft com seus consumidores em virtude de uma série de problemas. Os transtornos iam desde os elevados requerimentos de hardware a instabilidades e funcionalidades que nunca foram muito queridas, como a necessidade de reiniciar a cada atualização.

Groove Music Pass

A Microsoft também desistiu do Groove Music, serviço de compra e streaming que acompanhava o reprodutor de músicas do Windows 10. Encerrado no dia 31 de dezembro de 2017, os assinantes e usuários do serviço têm acesso a uma ferramenta para migrar suas bibliotecas para o Spotify, além de um período de testes gratuito de 60 dias. Com o fim do Music Pass, o Groove se tornou um reprodutor de músicas comum.

Via PC World

Qual é o melhor notebook por até R$ 1.700? Opine no Fórum do TechTudo.

MAIS DO TechTudo