Por Filipe Garrett, para o TechTudo


Escolher um drone envolve um processo de seleção que deve considerar especificações técnicas, recursos e tecnologias dos aparelhos. Como existem diversos modelos disponíveis no mercado, é necessário saber quais são os seus objetivos com o quadricóptero. Questões como autonomia, modos de pilotagem e qualidade de câmera são determinantes na hora da compra.

A seguir, o TechTudo listou seis pontos importantes para ajudar na decisão do usuário que deseja adquirir um novo drone.

DJI Spark: primeiras impressões do drone

DJI Spark: primeiras impressões do drone

1. Autonomia

Em primeiro lugar, a autonomia é fundamental. Mesmo os drones mais caros do mercado raramente oferecem carga para mais de 25 minutos de uso. Aparelhos mais simples são ainda mais econômicos, restringindo a operação a períodos bem mais curtos. Em alguns casos, o voo dura apenas 10 minutos. Quanto maior a autonomia do drone, mais fácil tende a ser sua operação para o piloto. Por exemplo: ao fazer fotos e vídeos, é melhor que o quadricóptero fique no ar por mais tempo, pois a tendência é facilitar um bom resultado de enquadramento por parte do usuário.

Autonomia é um aspecto em que um drone pode decepcionar — Foto: Divulgação/DJI Autonomia é um aspecto em que um drone pode decepcionar — Foto: Divulgação/DJI

Autonomia é um aspecto em que um drone pode decepcionar — Foto: Divulgação/DJI

2. Câmera

Existem drones com câmera embutida, mas nem sempre é assim. Em alguns casos, o componente vem como um acessório removível, que pode ser substituído pelo usuário. Há também modelos mais simples, que as dispensam completamente.

A qualidade de gravação é outro fator que pode variar bastante em função do preço e da versão do drone escolhido. Há equipamentos de perfil mais profissional, que possuem câmeras com resolução 4K, suporte ao HDR e formato RAW para fotografia, além da capacidade de fazer vídeos com bitrates (taxa que define a qualidade) bastante elevados.

Drones mais simples podem dispensar completamente câmeras — Foto: Divulgação/Candide Drones mais simples podem dispensar completamente câmeras — Foto: Divulgação/Candide

Drones mais simples podem dispensar completamente câmeras — Foto: Divulgação/Candide

É possível encontrar alternativas mais simples, com câmeras de resolução Full HD. Embora não atinjam a qualidade bruta do 4K, essas opções podem agradar com vídeo de boa qualidade para registrar seus passeios, trilhas e viagens.

3. Portabilidade

A portabilidade pode ser uma característica relevante para quem pretende usar o drone em trilhas, passeios e viagens. Há equipamentos extremamente compactos, que podem ser facilmente guardados em cases específicos e transportados no interior de uma mochila comum.

Um bom exemplo nesse quesito é o recém-lançado Mavic Air. Dobrável, o drone pode ser acomodado sem dificuldades em uma mochila.

 Exemplo do modo de voo Boomerang do DJI Mavic Air: manobra é executada automaticamente pelo drone — Foto: Divulgação/DJI

Exemplo do modo de voo Boomerang do DJI Mavic Air: manobra é executada automaticamente pelo drone — Foto: Divulgação/DJI

4. Modos de voo e recursos de pilotagem

Drones voltados para usuários menos experientes costumam apresentar modos de voo e manobras pré-definidas, o que deve facilitar o controle na hora de decolar, pousar, e até mesmo evitar obstáculos em espaços mais apertados. Modelos mais acessíveis também podem contar com outros recursos, como seguir automaticamente o piloto ou retornar ao ponto de origem do voo a partir de coordenadas de GPS.

Nenhuma dessas funcionalidades é essencial. Entretanto, para quem nunca controlou um drone, algumas delas podem facilitar a adaptação e aprendizado, além de dar mais segurança ao usar o aparelho. Drones de entrada da DJI chamam a atenção nesse ponto graças a um conjunto de manobras pré-definidas oferecidas aos usuários.

5. Acessórios

Drones podem oferecer compatibilidade com acessórios — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo Drones podem oferecer compatibilidade com acessórios — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

Drones podem oferecer compatibilidade com acessórios — Foto: Anna Kellen Bull/TechTudo

Dependendo dos acessórios disponíveis para cada modelo, muitos dos pontos mencionados anteriormente podem ser melhorados. Há drones com suporte para uma câmera diferente, baterias extras, tipos variados de case, entre outros acessórios. Mas, claro, também existem aparelhos mais simples e baratos que não oferecem muitas opções.

6. Preço

Há faixas de preços bem variadas para drones. Aparelhos mais simples podem ser encontrados no Brasil por aproximadamente R$ 400 – um exemplo bastante conhecido é a linha da Candice. Entretanto, por serem bastante rústicos, esses drones podem decepcionar especialmente nas funcionalidades, modos de voo automatizados, bateria e câmeras.

Usuários que buscam drones mais completos podem encontrar modelos como o Mavic Air, que é uma boa opção em relação à portabilidade e perfil amigável. Outros modelos do mesmo gênero são o Spark, Mavic Pro, GoPro Karma (este descontinuado). Esses aparelhos, no entanto, não são tão baratos, com preços acima dos R$ 1.800.

MAIS DO TechTudo