Por Luiz Felipe Lima, para o TechTudo


O Flamengo já é um dos principais times no cenário competitivo de League of Legends. O time, que entrou no cenário competitivo do jogo no ano passado, construiu um projeto ambicioso para crescer no mundo do LoL. Hoje, o Flamengo tem alcançado bons resultados dentro do Rift, como a participação no CBLoL 2018.

Mas, apesar de curta, a história do Mais Querido nos esportes eletrônicos já conta com diversas curiosidades que valem ser lembradas. Desde a montagem de um elenco estrelar, até um projeto de gestão pioneira para o padrão do cenário nacional. Veja, a seguir, cinco curiosidade sobre o time de time de Felipe "brTT" Gonçalves.

Flamengo disputa o CBLoL no segundo split de 2018 — Foto: Divulgação/Riot Games Flamengo disputa o CBLoL no segundo split de 2018 — Foto: Divulgação/Riot Games

Flamengo disputa o CBLoL no segundo split de 2018 — Foto: Divulgação/Riot Games

1 - Alto investimento

Times como Santos e Corinthians entraram nos esports ao firmarem parcerias com organizações que já existiam, como RED Canids e Dexterity. Mas um dos pontos que fez o clube carioca se destacar em relação aos demais foi ter optado por não fazer parceria com uma organização preexistente.

O Flamengo seguiu um caminho próprio: tendo comprado a vaga da Merciless Gaming e montado um super elenco próprio, o Rubro-Negro promoveu uma das iniciativas mais corajosas do cenário ao construir o seu próprio time. E não foi qualquer time.

brTT é a principal estrela do time do Flamengo — Foto: Divulgação/Riot Games brTT é a principal estrela do time do Flamengo — Foto: Divulgação/Riot Games

brTT é a principal estrela do time do Flamengo — Foto: Divulgação/Riot Games

2 - Elenco de estrelas

Com três atletas que já foram campeões brasileiros, o clube montou uma line up de respeito para entrar no competitivo do League of Legends: Felipe “brTT” Gonçalves, Gabriel “MiT” Souza e Thulio “SirT” Carlos já conquistaram o CBLOL 2015 pela paiN Gaming, e inclusive representaram a organização no Mundial do mesmo ano.

Eidi “esA” Yanagimachi e Danniel “Evrot” Franco completam a line up. O primeiro é um nome já estabelecido no cenário, e o segundo é um talento da nova safra e jogadores profissionais de LoL. Esse elenco já colocou o time como um dos mais competitivos na época, mas a chegada de outro nome deu ainda mais destaque para a equipe.

Jisu foi contratado para disputar o Circuito Desafiante pelo Flamengo. — Foto: Reprodução/LoLeSports BR Jisu foi contratado para disputar o Circuito Desafiante pelo Flamengo. — Foto: Reprodução/LoLeSports BR

Jisu foi contratado para disputar o Circuito Desafiante pelo Flamengo. — Foto: Reprodução/LoLeSports BR

3 - Primeiro a disputar o Circuito Desafiante com um coreano no time

A equipe carioca entrou para a história como a primeira organização que disputou o Circuito Desafiante com um jogador coreano na line up. Ainda que Park “Jisu” Jin-cheol não tenha sido tão impactante para a performance da equipe durante o torneio, a importância dessa contratação deixou sua marca: em um cenário que traz jogadores estrangeiros de forma bastante tímida, o ímpeto do Rubro-Negro ao trazer Jisu para a disputa do Desafiante demonstrou que, acima de tudo, o objetivo era estar no CBLOL e disputar de igual para igual com os grandes.

Posteriormente, Jisu deixou de ser o único coreano na equipe. Com a ascensão ao CBLOL, o Flamengo contratou o caçador Lee “Shrimp” Byeong-hoon como reforço para a disputa do torneio.

Vista da gaming office do Flamengo, em São Paulo. — Foto: Reprodução/LoLeSports BR Vista da gaming office do Flamengo, em São Paulo. — Foto: Reprodução/LoLeSports BR

Vista da gaming office do Flamengo, em São Paulo. — Foto: Reprodução/LoLeSports BR

4 - Primeiro clube a usar o formato de “gaming office”

O mais usual no cenário de League of Legends brasileiro é que os clubes adotem o sistema de “gaming house”, onde os jogadores moram no mesmo lugar que treinam. No entanto, o Flamengo seguiu na contramão e trouxe um conceito diferente e até então só utilizado internacionalmente: a “gaming office”.

A ideia da gaming office é separar os ambientes pessoais e de trabalho, com os jogadores vivendo em suas casas e indo ao escritório diariamente para treinar. O sistema é similar ao já utilizado por brTT no fim de sua passagem pela paiN, e parece ser uma evolução natural para o cenário - porém, quem deu esse passo foi o Flamengo.

4 - Muito além do League of Legends

O primeiro passo do Flamengo nos esports foi no League of Legends. No entanto, na época do lançamento do time, também foram anunciados os primeiros streamers do clube. Sérvulo “sheviii2k” Júnior, Iury “Cabritoz” e André “manajj” Rocha passaram a integrar o clube não no cenário competitivo, mas focando no entretenimento.

Sérvulo "Sheviii2k" Júnior, um dos streamers do Flamengo — Foto: Reprodução/Twitter Sérvulo "Sheviii2k" Júnior, um dos streamers do Flamengo — Foto: Reprodução/Twitter

Sérvulo "Sheviii2k" Júnior, um dos streamers do Flamengo — Foto: Reprodução/Twitter

Ainda que manajj tenha deixado o Flamengo posteriormente, Sheviii2k e Cabritoz continuam firmes e carregam o escudo do clube em suas streams. Jogando games como PUBG, Fortnite e CS:GO, os streamers têm o papel fundamental de conquistar o público.

MAIS DO TechTudo