Por Isabela Cabral, para o TechTudo


Você sabia que o primeiro bug de computador pode ter sido um inseto de verdade travando a máquina? Ou que o nome Bluetooth vem de um rei dinamarquês com dentes esquisitos? A vida no universo digital trouxe ao dia a dia das pessoas um novo vocabulário, com termos que atualmente soam banais. Cada nome tem seus motivos por trás e alguns carregam origens inusitadas, como os exemplos acima. Confira, a seguir, as histórias de 12 palavras relacionadas à tecnologia.

Lista traz explicações para títulos de tecnologias famosas, como bluetooth e spam — Foto: Raissa Delphim/TechTudo Lista traz explicações para títulos de tecnologias famosas, como bluetooth e spam — Foto: Raissa Delphim/TechTudo

Lista traz explicações para títulos de tecnologias famosas, como bluetooth e spam — Foto: Raissa Delphim/TechTudo

1. Bluetooth

O nome dessa conexão sem fio tem origem em um rei do século X que tinha um dente tão podre que pareciam ser azuis. Em inglês, “bluetooth” significa “dente azul”. Como isso aconteceu? Em 1996, a Intel, a Ericsson, a Nokia e a IBM decidiram se juntar para criar um só padrão de tecnologia wireless de conexão de curto alcance. Durante o processo de desenvolvimento, dois engenheiros de duas dessas companhias saíram para beber um dia e começaram a conversar sobre História. Um dos homens mencionou o Rei Haroldo Bluetooth Gormsson da Dinamarca e, interessado, o outro pesquisou sobre o monarca.

Fone conectado via Bluetooth no iPhone 6 — Foto: Ana Marques/TechTudo Fone conectado via Bluetooth no iPhone 6 — Foto: Ana Marques/TechTudo

Fone conectado via Bluetooth no iPhone 6 — Foto: Ana Marques/TechTudo

De repente, veio a ideia: o rei que foi capaz de unir a Dinamarca e cristianizar sua população daria um ótimo nome para a nova tecnologia. Bluetooth virou, então, o codinome usado pelos desenvolvedores. O padrão, porém, seria lançado oficialmente como PAN (rede de área pessoal), mas o nome comum logo se mostrou ruim de ser achado pelos mecanismos de busca. Assim, se firmou o termo Bluetooth. O símbolo de Bluetooth que todos conhecemos hoje é uma combinação das runas escandinavas referentes às iniciais do rei: ᚼ e ᛒ.

2. Podcast

O termo que designa os programas em áudio que podem ser escutados a qualquer momento foi utilizado pela primeira vez em 2004, em um artigo do jornal The Guardian. Na época, ao observar o nascimento de uma nova mídia, o jornalista Ben Hammersley escreveu um texto sobre o então recente fenômeno dos conteúdos em áudio publicados na Internet. “Mas como chamá-lo? Audioblogging? Podcasting? GuerillaMedia?”, questionou na matéria. Podcast (junção das palavras “iPod” e “broadcast”, transmitir em inglês) foi o nome que acabou pegando. Provavelmente, graças à popularidade do reprodutor de MP3 da Apple.

Google Podcasts é um dos muitos aplicativos que transmitem áudios pela Internet — Foto: Isabela Cabral/TechTudo Google Podcasts é um dos muitos aplicativos que transmitem áudios pela Internet — Foto: Isabela Cabral/TechTudo

Google Podcasts é um dos muitos aplicativos que transmitem áudios pela Internet — Foto: Isabela Cabral/TechTudo

3. Spam

Originalmente, Spam é uma popular marca de carne pré-cozida vendida em lata em mais de 40 países. Em 1970, o programa de humor da TV britânica Monty Python's Flying Circus exibiu uma esquete em que a palavra spam era repetida exaustivamente em um restaurante pelos garçons, clientes e até um grupo de vikings. Em referência ao programa, nos primórdios da Internet, alguns frequentadores de salas de chat passaram a usar o termo para indicar as postagens repetitivas enviadas por certos usuários. As mensagens entupiam e travavam as plataformas, deixando as pessoas bem irritadas. Mais tarde, a expressão spam se estendeu também aos e-mails encaminhados em massa.

Spam é uma carne enlatada — Foto: Reprodução/OAS Spam é uma carne enlatada — Foto: Reprodução/OAS

Spam é uma carne enlatada — Foto: Reprodução/OAS

4. Troll

Muitos devem conhecer os trolls das histórias de fantasia, criaturas disformes, briguentas e de raciocínio lento. Presente até hoje em muitos livros, filmes e jogos, essa figura tem raízes no folclore escandinavo do século XVII. A utilização do termo na Internet, porém, partiu de outro significado: o verbo “trolling”, que em inglês é o nome de uma técnica de pesca em que o pescador, de dentro de um barco, puxa lentamente uma isca mordida.

A expressão virou alegoria para uma prática comum entre os veteranos de um grupo online de discussão sobre lendas e fábulas, em meados dos anos 1990. Para zombar dos novos usuários, eles os provocavam com assuntos já desgastados, fazendo com que os novatos ingenuamente respondessem tudo. Chegou um ponto em que a brincadeira passou a ser considerada um transtorno e “trollar” ganhou sua atual conotação negativa. Hoje, usa-se a palavra com sentido mais aproximado ao da criatura, um ser que vive procurando briga.

5. Hack

O vocábulo “hack” faz parte da língua inglesa desde do ano 1200, aproximadamente. Ele é definido pelo dicionário Oxford como o ato de “cortar com golpes pesados de forma irregular ou aleatória”. A associação com tecnologia, no entanto, apareceu na década de 1950, no Instituto Tecnológico de Massachusetts (MIT). Os primeiros usos identificados se referiam a soluções criativas para problemas com máquinas, sem qualquer conotação ruim. Por exemplo, as atas de uma reunião de 1955 afirmam “o senhor Eccles solicita que qualquer pessoa que esteja trabalhando ou hackeando o sistema elétrico desligue a energia para evitar que o fusível queime”.

Hacker tem outros significados, além do mais comum de "invasor de PCs" — Foto: Creative Commons/Flickr/elhombredenegro Hacker tem outros significados, além do mais comum de "invasor de PCs" — Foto: Creative Commons/Flickr/elhombredenegro

Hacker tem outros significados, além do mais comum de "invasor de PCs" — Foto: Creative Commons/Flickr/elhombredenegro

Na década seguinte, o emprego da expressão se expandiu para os entusiastas de computadores em geral. Um glossário para programadores de 1955 chamado The Jargon File lista oito definições para “hacker”— sete delas positivas e uma negativa: “um intrometido mal-intencionado que tenta descobrir informações confidenciais”. Esse significado foi o que mais se popularizou na mídia a partir dos anos 1990, com jornais e filmes alertando sobre perigosos experts tecnológicos capazes de cometer crimes cibernéticos.

6. Stream

“Stream” pode ser traduzido como “corrente” em referência a um fluxo de água, como em um rio. Os falantes do inglês ainda usam a palavra assim, mas ela ganhou novo sentido na era digital, adotado, inclusive, pelos brasileiros. Trata-se da transmissão de conteúdos, como fazem a Netflix, o Spotify ou o YouTube. Uma ação contínua, como aponta o nome streaming. Acredita-se que o termo foi utilizado pela primeira vez desse modo nos anos 1920, para descrever um mecanismo de transferência e distribuição de sinais elétricos que seria a base para a reprodução ininterrupta de música sem a necessidade do rádio. Esse sistema era usado em elevadores, por exemplo.

7. Hashtag

Antes de mais nada, vale notar que a hashtag que domina as redes sociais é a união do símbolo # e uma ou mais palavras — e não o nome do próprio símbolo, como muitos pensam atualmente. Ele se chama cerquilha, tralha ou jogo da velha e costumava ser usado para indicar números e, em alguns países, a medida de peso libra. No Reino Unido, o sinal é conhecido como “hash”.

Primeira hashtag foi usada no Twitter em 2007 — Foto: Reprodução/Paulo Alves Primeira hashtag foi usada no Twitter em 2007 — Foto: Reprodução/Paulo Alves

Primeira hashtag foi usada no Twitter em 2007 — Foto: Reprodução/Paulo Alves

A primeira aparição de algo semelhante a uma hashtag na Internet foi no mIRC, plataforma de bate-papo famosa nos anos 1990 e precursora dos mensageiros atuais. A rede era separada por canais temáticos sinalizados pela cerquilha. Nos primórdios do Twitter, o designer Chris Messina sugeriu usar o mesmo recurso para ajudar a reunir as discussões com os mesmos temas. Os usuários e depois o próprio site logo aderiram. Com o tempo, as outras redes sociais também adotaram o artifício. Seu nome é autoexplicativo: “hash” + “tag”, “etiqueta” em inglês.

8. Bug

Há duas teorias para a origem da expressão que denota um erro em softwares. Uma é que Thomas Edison, o inventor da lâmpada, cunhou o termo, que aparece em suas anotações descrevendo um sistema com defeito. Na sua época, porém, não existiam computadores. A outra explicação está em uma história envolvendo uma programadora pioneira, Grace Hopper. Em 1947, ela estava trabalhando no computador Mark II quando uma mariposa ficou presa no relé da máquina e ela precisou parar para aguardar o conserto. Ao comentar sobre o incidente, Hopper teria dito que estavam “debugging” o sistema, ou seja, retirando um inseto dele. “Bug”, em inglês, significa “inseto”.

9. Emoji

O criador dos emojis é o japonês Shigetaka Kurita. Ele inventou o conceito em 1999, designando símbolos simples como “:)” para mostrar certas emoções nas mensagens escritas. O nome vem da combinação de três caracteres japoneses: 絵 (e = imagem) 文 (mo = escritos) 字 (ji = caractere). Mais tarde, Kurita concebeu os primeiros 250 emojis na forma gráfica como conhecemos hoje. Porém, sua empresa não conseguiu garantir os direitos autorais da criação e a Apple roubou a ideia.

Novos emojis do Twitter substituem as carinhas nativas no Android — Foto: Helito Bijora/TechTudo Novos emojis do Twitter substituem as carinhas nativas no Android — Foto: Helito Bijora/TechTudo

Novos emojis do Twitter substituem as carinhas nativas no Android — Foto: Helito Bijora/TechTudo

10. Cookies

Cookies são os dados dos usuários transmitidos entre o navegador e os sites, servindo como uma memória para os próximos acessos. Por exemplo, seu login e senha ou os produtos adicionados ao carrinho de uma loja online reaparecem automaticamente graças aos cookies. Anúncios personalizados também. O termo, “biscoito” em inglês, faz alusão ao biscoito da sorte chinês. Assim como ele guarda sorte dentro de si, os cookies digitais contêm informações em seu código.

11. GIF

As imagens móveis que hoje viraram uma linguagem à parte nas conversas virtuais existem desde 1987. GIF é simplesmente a sigla para “graphic interchange format” ou, em português, “formato de intercâmbio gráfico”. O mais interessante sobre a palavra é a disputa quanto a sua pronúncia. Enquanto alguns dizem “guif”, outros falam “jif”. Segundo seus inventores, entretanto, o correto é usar um som de “J”, diferente de como a maioria dos brasileiros provavelmente pronuncia o termo.

12. Wiki

A Wikipédia chegou em 2001, mas ela não é a primeira nem a única wiki da Internet, um conceito que se refere a grupos de páginas interconectadas construídas colaborativamente pelos usuários. Hoje, vemos wikis com os mais diversos temas. A primeira delas, porém, foi um programa de computador criado por Ward Cunningham em 1994, que um ano depois virou site.

Wikipedia é um dos sites mais populares do mundo — Foto: Divulgação/Wikimedia Wikipedia é um dos sites mais populares do mundo — Foto: Divulgação/Wikimedia

Wikipedia é um dos sites mais populares do mundo — Foto: Divulgação/Wikimedia

O programador iria chamar sua criação de QuickWeb, ou seja, rede rápida, já que a proposta da novidade era permitir acesso fácil e veloz a informações. Até que se lembrou de uma viagem ao Havaí, onde pegou o Wiki Wiki Bus ao sair do aeroporto. Na língua havaiana, “wiki wiki” significa “rápido”. Nascia assim a WikiWikiWeb, cujo nome batizaria toda uma nova categoria de websites.

Qual computador comprar em 2018? Deixe sua opinião no Fórum do TechTudo.

MAIS DO TechTudo